Breaking2 e os WR com asteriscos

Em 1983 os neozelandeses realizaram uma prova de Milha em uma descida. O queniano Mike Boit e ao menos 4 outros atletas superaram o recorde mundial por cerca de 10 segundos. E nem por isso disseram que uma barreira caíra, que estaríamos um passo mais próximos da Milha em menos de 3´30″…

Depois disso, em 2007 o também queniano Hillary Kimaiyo aproveitou a diferença de quase 400m para superar em 1 minuto o recorde mundial dos 10km correndo 26´01” nos EUA. Outros 2 fundistas superaram o WR. Ninguém disse que estaríamos muito próximo de quebrar a barreira dos 26 minutos…

Cerca de 3 anos atrás foi a vez dos japoneses se anteciparem à Nike e prepararem uma pista com ventiladores para Justin Gatlin correr. Ele melhorou em 13 centésimos o recorde de Usain Bolt nos 100m. Essa festa não fez ninguém achar que em breve os cronômetros marcarão 8.xx nos 100m ou 18.xx nos 200m.

Mas sábado nossos parâmetros de avaliação parecem ter mudado… Gente que parecia entender do riscado diz que estamos mais próximos da quebra das 2 horas. Mas… será?!

Apresentei no meu Facebook cálculos bem interessantes (aqui os originais) sobre as vantagens dada por toda a assistência preparada pela Nike. Basicamente, as vantagens dadas pelo paredão formado pelos 30 coelhos (se revezando em grupo de 6) e pela parede disfarçada de relógio no Tesla forneceram um benefício entre 1´30” e 2 minutos. Neste pacote você já inclui o quebra-vento pelos atletas (principalmente) e a impossibilidade de rajadas de vento que o escudo no carro possibilitam. Além disso, inclua os lasers (a melhor sacada!) que tiram o custo fisiológico de você ter que determinar o ritmo, hoje sabidamente um dos gastos mais árduos além do vento.

Elid Kipchoge foi a maior surpresa! É isso o que fazem os maiores da história! Surpreendem a críticos, comentaristas, patrocinadores e torcedores. Estes mesmos cálculos estimam que seu recorde pessoal hoje está em 2h02:00 e 2h00:20, que é o quanto ele correria sem o auxílio do aparato que a marca preparou.

Tênis, hidratação forçada, técnicas de treinamento, manguitos… para você acreditar que qualquer coisa desta lista empurrou o queniano próximo à barreira, você precisa ter MUITA fé e muita liberdade poética para contar sua história. Seja pela falta de qualquer evidência, seja porque a maioria dos comentaristas caiu num conto antigo, no viés do sobrevivente.

Estamos aqui contando o resultado de UM atleta. Não podemos nos esquecer que 60 foram os candidatos considerados, 18 foram para uma segunda fase e apenas 3 largaram. Destes, um quebrou MUITO feio e outro correu LONGE do que se esperava e do que se queria. Estamos falando que 2 pioraram com a estratégia escolhida e usada. Ou seja, tudo o que NÃO se pode dizer é que um projeto foi um sucesso do ponto de vista prático (mercadologicamente já virou um case) por NÃO atingir um objetivo que ninguém negava ser possível! É muita esquizofrenia! É como achar que Hillary Clinton quase ganhou ou Trump quase perdeu e daí declarar a candidata democrata a nova presidente!

Por fim, ao dizer que caiu a barreira das 2 horas ou de que estamos mais próximos dela é ignorar alguns exemplos já citados. Correr em descida não empurrou o Recorde Mundial da Milha ou dos 10km, mas o talento de 2 dos maiores da história que o fez. Marcas aliás, longe das barreiras feitas em descida. Correr com ventiladores não fez NADA pelo recorde dos 100m. E na ponta do lápis estamos mais próximos de ver alguém correr 200m em 18 segundos do que ver um maratonista correr em 1h59.

Podemos, sim, ver que mesmo que com toda ajuda possível, nem mesmo o talento do maior da história foi capaz de superar a barreira das 2 horas, essa sim bem distante do que hoje pode ser possível. Porém, não espere racionalismo de torcedor. Estranho é ver o nível do debate de quem se apressa a acreditar que correr com rodas ajuda em algo no mundo real, ou que todo o ganho veio apenas na base do “querer é poder”. Parece filme de Hollywood e novela das 6.

Etiquetado , , , , , , , , , , ,

8 pensamentos sobre “Breaking2 e os WR com asteriscos

  1. Hélio Shiino disse:

    Sabe aquele Filme “Quase Perfeito” em que você elabora o Roteiro, ensaia com o Elenco e na Cena final a Cereja não “pousa no Bolo” para o Desfecho Histórico????
    http://news.nationalgeographic.com/2017/05/extreme-running-marathon-nike-science/
    Runner Comes Excruciatingly Close to Breaking Two-Hour Marathon Barrier
    Science has learned a lot about humans and endurance running. But the goal of going even faster during a race has remained elusive.
    By Michelle Z. Donahue
    PUBLISHED MAY 6, 2017
    (É como se fosse aquela Prova Final de Matemática em que o Professor não tem como te dar 1 décimo para passar de Ano porque você mostrou que não sabe a Matéria o suficiente! E aí começa o Choro e o Esperneio…)
    Mas nem pensar em jogar fora todo o 99,9% do Material já produzido…!
    Aí o Diretor te joga um seco: “- Se Vira porque Eu Quero o retorno do Investimento!”
    Então a necessidade gera a criatividade e nos proporciona um “Oficioso Oficial”! Algo como um Genérico de 1ª Linha! Tão bom quanto, ou até “melhor” do que o Original (de Referência)!
    New UNOFFICIAL Marathon World Record
    http://www.sportingnews.com/other-sports/news/breaking-2-marathon-world-record-eliud-kipchoge-zersenay-tadese-lelisa-desisa/16swfzg1qnu6m10gx6acminvxx
    Kenya’s Eliud Kipchoge sets new unofficial marathon world record
    ATHLETICS
    By Ron Clements Omnisport
    Published on May. 6, 2017
    Parafraseando a Banda Queen: “The Show Must Go On”
    https://digiday.com/marketing/inside-success-nikes-breaking2-moonshot/
    MARKETING ON PLATFORMS
    Inside the success of Nike’s Breaking2 ‘moonshot’
    MAY 8, 2017 by Tanya Dua

    Curtir

  2. Julio Cesar Kujavski disse:

    Esse lance “querer é poder” da propaganda da Nike é mesmo muito chato.

    Se querer é poder então faz um “trabalho mental” no atleta e coloca pra correr sozinho uma maratona abaixo de 2 horas.

    Curtir

  3. marcosvafg disse:

    Uai… mas o tênis não ia resolver tudo?

    Curtir

  4. Rafael disse:

    2:00:25 Eliud Kipchoge (KEN)
    2:06:51 Zersenay Tadese (ERI)
    2:14:10 Lelisa Desisa (ETH)

    14:13 5K 14:14 1 sec slow 14:14
    28:26 10K 28:21 5 sec fast 14:07
    42:39 15K 42:34 5 sec fast 14:13
    56:52 20K 56:49 3 sec fast 14:15
    1:00:00 Half 59:57 3 sec fast –
    1:11:05 25K 1:11:03 2 sec fast 14:14
    1:25:18 30K 1:25:20 2 sec slow 14:17
    1:39:31 35K 1:39:37 6 sec slow 14:17
    1:53:44 40K 1:54:04 20 sec slow 14:27
    2:00:00 Marathon 2:00:25 25 sec slow

    Curtir

  5. Marcio Manzi disse:

    Tudo vale a pena quando a alma não é pequena.

    Curtir

  6. Miguel Nakajima disse:

    Como uma ação de marketing o #breaking2 foi, no mínimo, questionável, já que eles não conseguiram o objetivo.
    Como marca para o atletismo é, como foi plenamente explicado no post, irrelevante. As regras existem para igualar todos os que tentam. Eu estou tentando o qualify para a Maratona de Boston (3:05:00) e não adianta pedir pra Nike preparar Monza pra mim, porque tem que ser em uma prova que a BAA reconhece.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: