Arquivo da tag: Fisiologia

Curso (presencial): Treino com KETTLEBELL para CORREDORES!

Ao lado de meu amigo e treinador Léo Moratta estamos trazendo uma novidade ao país!

No sábado 30 de janeiro das 9h00 às 17h00 estaremos em São Paulo (na região da Avenida Paulista) contando tudo o que você precisa saber sobre treinamento de kettlebell na corrida!

Este workshop será com uma turma super reduzida e exclusiva de somente 11 pessoas! Nele apresentaremos a você os principais conceitos, fundamentos e os exercícios mais eficientes e seguros para trabalhar o ganho de força específica e funcional à prática da sua corrida, para melhorar o desempenho e ajudar na prevenção de lesões.

​O kettlebell é uma ferramenta relativamente bem antiga de treinamento, mas que somente recentemente vem ganhando destaque por sua versatilidade e opções.

Mas como usá-lo na corrida?
O benefício de treinar força parece ser de senso comum, mas como fazer isso de forma que seja transferido a esse esporte? Seja você um iniciante ou mesmo alguém com alguma experiência, este workshop lhe dará as ferramentas pra se aprofundar e o fará extrair o máximo do kettlebell voltado à corrida!

​Se você é treinador de corrida, personal trainer ou corredor (iniciante ou experiente!) esta é uma chance única de aprender! Não há nada igual no mercado!

Nós acreditamos que o kettlebell é uma ferramenta a ser usada e ensinada de forma presencial! Por isso separamos e organizamos uma turma presencial (sábado dia 30 de janeiro).

​Programação:

Ele será realizado sábado  30/1 no estúdio Moratta Fitness & Performance (Rua Pelotas, 415, Vila Mariana. São Paulo/SP, a 1km do Metrô Ana Rosa, ao lado da Av. Paulista). Das 9h00 as 17h00 (com 1h30 para almoço) abordaremos o treinamento e uso do kettlebell na corrida. Passaremos ainda por alternativas de protocolos de treinamento voltados à especificidade da corrida e suas diversas especialidades. Tudo prático e sem rodeios!

Queremos que saia de nosso workshop com conhecimento e ferramentas para ganhos reais na sua corrida!

Gostou? Então aproveite o preço especial e se inscreva clicando aqui!

Para maiores informações, confira o site do evento!

Esperamos você lá!

Etiquetado , , ,

Workshop: Treino de Base

Este foi um ano atípico à corrida, mas nosso corpo não liga para calendários! Tendo ou não provas e competições, sendo novembro ou agosto, ele funciona biologicamente igual. Mas entra ano e sai ano uma questão paira na cabeça de muitos corredores amadores: o que é base? Devo fazer? E o mais importante: COMO fazê-la?

A gente ouve dizer que a base é aquele período em que corremos muito quilômetros e de forma lenta. Mas será mesmo? O que um corredor mais quer não é correr rápido? Seria esse mesmo, então, o melhor caminho?

Mesmo modalidades de “explosão” acreditaram na ideia de que base era hora de correr assim lento. Abandonaram essa ideia. Não seria prudente nós corredores fazermos o mesmo?

Em uma aula única irei explicar por que muito do que você imagina ser certo não faz sentido! Com um enfoque direto, prático, didático e simples vou falar o que é e como fazer a sua base!

Irei explicar o que você deveria fazer para que 2021 seja o ano da virada nas corrida e no seu desempenho!

Mude sua corrida! Você sairá da live com o passo a passo que precisa!

Essa será a melhor e mais completa live que você verá sobre o assunto neste mês que tanto se fala de base! Você sairá dela sabendo o que é, como fazer, e o que fazer!

Aula única (2a feira dia 04/01)

Definição: o que é a base.

Conceitos Fundamentais: o que você não pode deixar de saber, como ela interfere e o que fazer.

Como: se inscreva aqui! Preço incrível e irrecusável!

*via Zoom em link a ser enviado no dia.

**a live ficará gravada por 24 horas.

Etiquetado

Treinos, planilhas, consistência e sobrevivência

Corria esse sábado no Japi (Jundiaí) quando os 2 corredores comigo falavam sobre como algumas pessoas são “caxias” quanto às planilhas. Se recusam a treinar com outros para não mudar “prejudicando o treino”. Eu tenho uma teoria: planilha de treino vale muito POUCO.

O treino em si que você faz importa MENOS! O que faz alguém ficar bom, como diz alguns dos melhores gringos que conheço, é aparecer na pista dia após dia. O que você faz lá importa MENOS. Você precisa ir e treinar!

Prova maior disso é que a ferramenta mais precisa pra se determinar o desempenho em Maratona leva apenas duas variáveis: volume e desempenho recente em QUALQUER distância.

Periodização, tipo de treino, variáveis fisiológicas, etc… Me fale apenas quanto correu e quão rápido correu recentemente e você tem seu tempo na Maratona melhor do que QUALQUER modelo conhecido.

Dellana explicando Ergodicidade em seu livro (nem vou me atrever a tentar explicar o termo) nos dá um exemplo muito prático dizendo que o vencedor em uma corrida NÃO é o cara mais rápido, “mas o mais rápido dentre os que sobreviveram ao processo”.

Minhas planilhas de treino não são pra fazer alguém rápido! Mas pra fazer alguém correr de forma segura! Que ele possa “aparecer na pista dia após dia” e que sobreviva ao processo. Como? Aí vem a mágica.

Dias atrás em um papo um corredor dizia que o treinador dele liga sempre pra saber como foi o treino, “puxar a orelha por fazer rápido demais”. Aí alguém disse: o Balu nunca faz isso.

É verdade. NUNCA faço mesmo! Por quê? Porque você no meu treino NÃO CONSEGUE correr mais rápido do que eu quero. Pergunte a QUALQUER UM que treina comigo. Por quê? Porque treinamento não é fazer o treino mais eficiente, mas não deixar alguém se machucar pra que ele possa “aparecer na pista dia após dia” e sobreviva ao processo.

A motivação DELE o faz correr rápido a sessão. O SEU treino o impede que não ultrapasse os limites. É ASSIM que ele fica mais rápido.

Alguns dos MELHORES que conheci, grandes amigos, faziam EXATAMENTE isso. Nunca tiveram planilha, apareciam e faziam o treino que alguém estava fazendo. Mas treinavam SEMPRE.

Etiquetado ,

Linha Diagonal e os clássicos

Essa é a LINHA DIAGONAL, um exercício fabuloso que o Léo Moratta me apresentou e que, segundo ele, está na sua rotina de treino incessantemente faz 2 anos. E ele ainda hoje se desequilibra às vezes. Por que falo isso…

Dia desses li um cara que gosto muito dizendo que não importa quão bom você seja, você NUNCA será bom pra deixar de lado exercícios fundamentais como Terra e Agachamento se quiser trabalhar força. (*a linha diagonal trabalha força AND mobilidade)

OS CLÁSSICOS IMPORTAM!

Quando eu tinha assessoria lembro que tínhamos que ficar fazendo malabarismo para o treino “ser legal”. Mas pera lá!!!

Quando vou no studio do Léo Moratta vou lá pra fazer justamente o que eu NÃO gosto. Ele NUNCA me pediu pra correr porque sabe que eu gosto, ele não precisa pedir. No studio eu faço o desconfortável, o difícil, o duro, o aborrecido.

Nutrição tem MUITO disso! O que mais ouço é as pessoas falando que não “gostam disso”, que “enjoaram daquilo”. E daí?! Eu como brócolis 90% dos dias. Mas queria MESMO era besuntar cheddar em cima. Cheddar é low-carb! Bolso eu tenho, mas não tenho DNA pra isso (laticínios são NÃO naturais à espécie)

Nutrição e Esporte não são sobre comer e fazer “o que gosta” ou o que “não enjoe”!

Vamos lá. CARNES, OVOS, FOLHAS, LEGUMES e COGUMELOS são os agachamentos e terras da Nutrição. O resto, sem exceção, é sobremesa. Repito: Sem exceção.

TUDO o que não for o que listei acima é sobremesa.

Repito: Tudo.

 

OS CLÁSSICOS IMPORTAM!

Ou você trabalha a base e “tempera” com o resto (digamos 80% das calorias vindas daquela lista, tal qual Princípio de Pareto), ou você não progredirá como poderia.

Você nunca será bom a ponto de eliminar aquela lista. Ter a sobremesa como base não costuma funcionar. Acredite em mim.

***

A linha diagonal é um exercício sensacional que tenho pedido em meus treinos presenciais na pista. Ela replica o gesto atlético. É uma expressão da força e mobilidade práticas na corrida.

Etiquetado , ,

Suplementos? Métodos de treino? Educativos?

“É O PESO, ESTÚPIDO!”

Um levantamento francês encontrou que o peso dos 100 melhores maratonistas do mundo em 2011 é 3,2kg mais baixo que o peso dos top 100 em 1990. Pode parecer pouco, mas como quase a totalidade deles pesa menos de 60kg, estamos falando de 6% a menos de peso.

Nutricionistas IPI, médicos do esporte, corredor amador lento… esses caras parecem bêbados procurando a chave de casa embaixo do poste porque é só lá que o ambiente é iluminado.

Os melhores atletas SABEM o que determina o sucesso em seu esporte. Pareço repetitivo, mas já disse de graça aqui N vezes que na corrida o que importa é: volume de treino, capacidade de dissipar calor e baixo peso.

Quando o nutricionista-burro-IPI vem e diz que “não recomenda jejum no desempenho” ele apenas assina um atestado de ignorância. Primeiro porque os melhores do mundo o fazem há DÉCADAS (e um nutricionista-burro-IPI nunca ensina mais que os melhores).

E segundo porque jejum é um mecanismo de auxílio de BAIXO PESO. Agora volte lá e veja qual é umas das 3 variáveis determinantes de desempenho que listei de graça pra você.

Mas há sempre a opção de estarmos todos muito errados, lógico! Então sempre quando me marcam em publicação em que o nutricionista IPI pede pão francês ou bisnaguinha de pré-treino (ou um dos suplementos que ele tem que vender), me pergunto o que aconteceria se esse sábio estivesse na África, origem de 90 dos 100 melhores maratonistas do mudo… ele faria africanos fazer 42km em 1h35?

O que você acha? Os prós estão errados, mas o seu amigo da assessoria que corre a 4’35”/km está certo?

p.s.: agora na quarentena ajudei um amador em SEMANAS a perder ~14kg (sem fome, sem lanche, sem pré-treino, sem suplemento…). Fez em treino o que NUNCA fez em prova. Qual a conclusão do treinador? “Ah, se consumir mais carboidrato… vai voar…” Pois é! Nem mesmo ele entendeu que a lista que coloquei aqui NÃO fala NADA sobre consumo de carboidrato.

Etiquetado , ,