Arquivo da categoria: 10km

Os Maiores eventos de Corrida de Rua em 2016

Para acabar uma série iniciada dias atrás (aqui, aqui e aqui) e depois de publicar o infográfico das Meias Maratonas Brasileiras, o das Maratonas Brasileiras e a das 50 Maiores Corridas do Brasil, abaixo listo os Maiores Eventos de Corrida de Rua do Brasil em 2016.

Nesta lista, limitei apenas os eventos que somam mais de 10.000 concluintes somadas todas as distâncias e provas paralelas.

Em 2015 esses eventos eram apenas 9, mas em 2016 chegaram a 11. Desses, 2 são exclusivos para mulheres e a Night Run (Etapa II SP) ainda tem maioria feminina. Apenas 3 têm distâncias únicas (SS, Tribuna e Pampulha), somente 2 ficam fora do eixo Rio-SP, 4 têm transmissão pela TV e só 2 são noturnos.

Veja a lista completa abaixo! *reforço que são todas as distâncias somadas.

maiores-eventos-de-corrida-2016

Etiquetado , , , , , , , , ,

As 50 Maiores Corridas de Rua do Brasil (2016)

O Recorrido publica com exclusividade (aqui completo) os dados das 50 Maiores Corridas de Rua do Brasil em 2016. Este é um levantamento único no nosso mercado e busca principalmente colocar um pouco de luz dando números desse esporte em nosso país, uma vez que dependêssemos das organizadoras, não teríamos estatísticas confiáveis.

Comparado com 2015, pouca coisa mudou no perfil das 50 maiores provas. Os destaques:

– As 50 provas continuam com quase o mesmo número de concluintes (316.000), um aumento de apenas 0,7%;

Há cada vez mais mulheres (42% *já descontadas as provas exclusivamente femininas);

– As provas de 5km são as mais frequentes na lista. Em 3 anos passaram de 15 para 19;

– Já as de 10km são cada vez mais raras (de 13 a 7);

– Talvez por serem mais tangíveis, as provas de até 9km vêm ganhando bastante destaque.

top-50

Já a localização destas provas mostra-se bem concentrada. 29 em São Paulo e 13 no Rio de Janeiro. Apenas essas duas, Brasília e Fortaleza (com 2 cada) são locais de mais de uma das 50 provas.

Nenhuma fica na Região Norte.

Nenhuma na Sul.

Outra característica é notar que 4 organizadoras possuem 36 dessas 50 corridas! E das 5 maiores, todas já foram exibidas ao vivo na TV, mostrando a força desse fator em determinar o sucesso de um evento.

Porém, se ainda assim você acha que fazer corrida é fácil e garantia de muito lucro, vale destacar que mais uma vez duas corridas Top 50 foram descontinuadas de um ano para cá. Ou seja, é um investimento que está longe de ser garantia de sucesso!

O que você não pode deixar de dar é atenção às mulheres. 6 provas são exclusivas delas! E elas são maioria em 20 das demais 44. E talvez tenha que saber que nem toda prova grande é domingo de manhã! 8 são sábado à noite.

Para ver todos os números, fica aqui o convite para você ver o Infográfico das 50 Maiores Corridas do Brasil em 2016!

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Mais pitacos ou: mulher gosta de prova grande ou faz a prova grande?

Estava para escrever comentários sobre os dados que postei aqui no Recorrido referente às Meias Maratonas brasileiras, das Maratonas nacionais e das 50 maiores corridas de rua do país. Faltava tempo, mas consegui!

Minha primeira surpresa foi ver que alguns sites, veículos, e outros me escreveram pedindo para usar e divulgar os dados. Me achei menos estranho porque ficava pensando se não havia interesse em dados que acho importantes para entender melhor o mercado.

Olhando como um todo, a Maratona é bem aquilo que eu esperava, um crescimento tímido, carregado pela Maratona do Rio. Cada vez mais provas (19 ou 36% a mais), mas apenas 4 grandes. Muito mais mulheres correndo, mas ainda pequena minoria. E o exterior ainda atrai bem, mas com a dificuldade de uma crise acentuada.

Na Meia Maratona vem o espanto. Aquela que seria talvez a nova queridinha do brasileiro, patina. Mais provas, mas menos homens correndo, mais mulheres, empate no geral. 2016? Acredito em um cenário parecido…

Em as 50 maiores provas do Brasil por sua vez mostram como a TV tem peso fundamental. A distância também parece ser importante porque a maioria das provas ainda são as de 5km e 10km. Mas algo que pode passar despercebido é como a atenção com as mulheres é fundamental. A prova para crescer e estar entre as maiores precisa atrair muita mulher! Se falhar nesse ponto, acende-se a luz amarela. Mas até onde?

E aí cheguei a um dado. Em conversa informal com o pessoal do Corrida no Ar eu dizia que brasileira gosta mesmo é de prova grande. Então fiz um gráfico cruzando tamanho da prova e a participação feminina. O resultado quando você olha nas Meias Maratonas é que quanto mais concluintes, mais mulheres, em um efeito que não sei se é causa ou consequência (arrisco dizer que é consequência).

Quanto mais concluintes em uma Meia Maratona brasileira (2015), maior a porcentagem de mulheres

Quanto mais concluintes em uma Meia Maratona brasileira (2015), maior a porcentagem de mulheres

Porém, quando você faz o mesmo trabalho usando somente as 50 maiores provas do país, a resultante é invertida, ou seja, mais concluintes, menos mulheres. Explicações eu não tenho. Vocês têm?

Quanto maior o número de concluintes das 50 maiores provas brasileiras (2015), menor a porcentagem de mulheres

Quanto maior o número de concluintes das 50 maiores provas brasileiras (2015), menor a porcentagem de mulheres

Etiquetado , , , , , , ,

As 50 Maiores Corridas de Rua do Brasil em 2014

Algumas semanas atrás montei uma lista com as maiores provas do Brasil. Agora que a temporada praticamente acabou, consegui colocar finalmente um infográfico com as 50 maiores do Brasil. Números, curiosidades e mais detalhes vocês podem ver clicando aqui neste link. Algumas observações:

statisticQuanto maior a distância das provas (4km-42km), menor o porcentual feminino. Esse é um padrão geral, aqui e fora;

Elas são 37,6% dos quase 300.000 concluintes, mas são 100% em 3 provas e maioria em outras 5;

São Paulo tem mais da metade de todas as provas. Rio tem 11, Brasília 4 e Santos (SP) 2. BH, Cuiabá (MT) e Vitória uma cada. Belém, Florianópolis e Fortaleza são as únicas representantes de suas respectivas regiões.

– O Circuito das Estações (SP e RJ) são um sucesso de público, assim como as provas da Yescom que contam com a força da televisão. TV, aliás, que transmite 4 das 5 maiores e já transmitiu localmente a vice-líder. Entende o porquê a São Silvestre tem regras próprias? “É a TV, estúpido”…

– Não adianta, ainda somos um país apaixonado pelos 10km, a distância mais presente no levantamento, sendo uma delas inclusive feminina;

– Por fim, a Maratona de SP foi a única prova com mais de 3.000 concluintes que ficou de fora (51ª). Ou seja, voltamos àquele debate, se você quer ficar rico fazendo provas, saiba que fora do eixo Rio-SP, há apenas 2 provas que não têm TV ou não sejam revezamentos! E que dessas 50, 33 são organizadas por Yescom, Iguana Sports, Vetor ou CORPORE.

Esqueci de algo?

Aproveite e dê uma olhada aqui no infográfico porque deu um trabalhão! (risos)

https://infogr.am/raio-x-das-50-maiores-provas-do-brasil-em-2014

Etiquetado , , , , , , , ,

Quanto custa organizar uma prova?

Abaixo vai um descritivo simplificado com os custos envolvidos numa corrida. Espero assim que fique mais claro o quão caro é um evento e o quão difícil é obter lucros com corrida. Quem sabe eu consiga até jogar um pouco de luz nas margens de lucro.

Separei por tópicos, omiti todos os detalhes e valores. A prova é um 10km para 2.200 inscritos. Pra ser mais preciso, na corrida irão aparecer 2100 corredores. Cerca de 10% dos inscritos geram receita, mas não correm. Porém, vou usar um número de 5% de bandits, os pipocas.

Ainda antes dos números. É uma prova simples. NÃO conta com uma EXPO como a Golden Four ASICS ou as da Yescom, que joga os valores nas alturas. Não tem ainda uma arena dos níveis de Vetor, Iguana, CORPORE ou Latin Sports, o que joga o valor percebido bem para baixo.

É... acho que não foi uma boa ideia inventar de organizar uma corrida...

É… acho que não foi uma boa ideia inventar de organizar uma corrida…

O kit é simples: camiseta de tecido tecnológico simples, medalha, chip, sacolinha e toalha ou boné. Hidratação a cada 3km, lanche na chegada.

Com os números abaixo, você tem um kit que tem que custar R$75 para você empatar a prova no papel. Ou seja, você ainda NÃO tem nenhuma liberação dela na Prefeitura, Federações e órgãos de trânsito. Em uma prova em São Paulo ou Rio de Janeiro, isso pode chegar a 6 dígitos de custo em uma Maratona ou Meia Maratona (e o primeiro número não é o 1!).

Mais. O custo abaixo supõe que somente você sabe da prova, ninguém mais. Para vender 2.200 inscrições, você tem que fazer muito barulho. Essa quantidade de gente parece fácil em SP ou Rio, mas é BEM difícil mesmo em cidades como BH, Porto Alegre ou Brasília. Isso sem reforçar que é “fácil” cobrar R$75 em SP, mas complicado fazer o mesmo em Salvador ou em uma cidade do interior, por exemplo.

Você então pode partir fazendo um pacote de anúncios em veículos “verticais”, aqueles que só falam com corredores (como as 3 revistas principais, mais Webrun e outros). Nessa brincadeira você pode ter que desembolsar, por baixo, R$30.000 entre anúncios ou e-mails marketing. Se você quiser trabalhar no “corpo a corpo”, vai ter que imprimir muito folheto e terá ainda que distribuí-los. Mas esta é uma opção apenas de apoio, nunca é central em um evento desse porte. Mesmo os famosos blogueiros independentes que você quiser usar pra promover a prova, ganham e pedem inscrições caso você queira economizar. E pra cada cortesia, lembre-se, são R$75 a menos na sua receita.

Enfim, a coisa é complexa. Algum demagogo Jênio acha que idoso deve pagar 50%, então atente-se a isso. E para fazer as inscrições, prepare-se, a menos que você seja o dono de algum site do tipo, você tem que pagar um pedágio para cada atleta que se inscrever.

Pois quer saber quanto custa esse 10km para 2.200 pagantes que só você sabe que existe e que não tem ainda liberação para existir?

Quanto-custa-um-cliente-LTVR$160.000.

Para dar uma dimensão, dentro de alguns dias vou escrever aqui sobre as maiores provas do país. As com mais de 3.000 concluintes são menos de 60! Ou seja, 2000 concluintes é um número bem arrojado. Se você quiser fazer uma prova menor por causa do custo, você até economiza nos kits e hidratação, mas a arena é algo quase fixo, seja com 1000 ou 4000 pessoas presentes. Há um meio termo que vai dizer qual o número ótimo.

Como por muito menos de R$220.000 esse evento não “sairá”. É bom você ter patrocinador pagando muito porque R$100 por inscrito é coisa para pouca prova de 10km cobrar de 2.200 pessoas!

Escrevi algumas coisas com certo tom de ironia, mas falo com segurança: conheço eventos operando tranquilamente no vermelho. Abaixo os detalhes.

ALIMENTAÇÃO/HIDRATAÇÃO: Esse tópico envolve corredores e staffs que – acredite! – também se alimentam e não trabalham de graça;

R$6000

KIT ATLETA: Camiseta, sacolinha, boné e informativo;

R$51.000

EQUIPAMENTO e ESTRUTURA: Sistema de som, cronômetro, rádios comunicadores, estruturas dos balcões (retirada de kit, medalha, hidratação na chegada…), pórtico de chegada/largada, tendas, testeiras, placa de KM, placas indicadores, gradis, mesa de hidratação, mesas, banheiros químicos, gerador de energia e palco;

R$25.000

LOGÍSTICA: Suporte de carro, moto, Van e transporte de materiais;

R$3.000

MATERIAL DE APOIO: Cones, sacos, fitas, lixeiras, canetas, elásticos, buzina, corda, braçadeira, ferramentas, vassouras…

R$3.000

MATERIAL DE MERCHANDISING: Basicamente o material (telas) visuais e faixas que cobrem arenas, pórtico e placas…

R$13.000

PREMIAÇÃO: Medalhas mais troféus. SEM prêmios em dinheiro.

R$8.000

RECURSOS HUMANOS: Staffs, produção, carregadores, coordenadores, equipe de som, etc;

R$32.000

SERVIÇOS DE TERCEIROS: Ambulância, segurança, vigia, bombeiros, cronometragem, locutor, fotógrafo, limpeza, montagem, eletricista, etc;

R$18.000

Etiquetado , , ,