Arquivo da categoria: Leituras

Leituras de 3a Feira

4 ultramaratonistas de elite dão suas dicas para lidar com a dor e o desconforto de correr por muito tempo. Tudo é muito pessoal, mas é interessante ver alguns padrões que podem não ser a causa maior, mas de certa forma explicam o comportamento diferenciado de quem corre forte desse jeito por tanto tempo.

Ainda nessa linha de preparação mental, Alex Hutchinson fala da força da inteligência emocional no desempenho, desta vez em corredores bem mais amadores.

Autojabá: no outro blog falo sobre por que emagrecimento e controle de peso não são sobre calorias

A Spikes devem em quando traz matérias com histórias diferentes de atletas de alto nível, mas bem menos badalados. Para agradável surpresa desta vez foi a brasileira lançadora de disco Andressa de Morais. Como quase todo atleta do atletismo, sua origem é humilde!

Se há uma coisa que aposto é em uma provável ligação ainda que tênue de distúrbios alimentares em mulheres e a corrida de longa distância. Vivemos em uma sociedade que valoriza em demasiada corpos excessivamente magros (em mulheres) e muito atléticos (em homens). Não é só isso. Na corrida, falei aqui recentemente, o desempenho é fortemente ligado ao baixo peso quando vivemos em um ambiente extremamente obesogênico, ou seja, onde é fácil engordar. Então a mulher corredora de um lado tem um mundo onde nunca teve acesso tão fácil a muito alimento engordativo enquanto do outro lado tem que se manter magra se quiser correr bem e ainda ser valorizada pela sociedade que a quer assim leve para considerá-la bela. Como lidar? Uma colega corredora muito magra saía para treinar forte pela manhã comendo apenas uma banana e depois comia feito um passarinho. Outra com quem trabalhei, ela reconhecidamente vivia no limite da bulimia. Uma “famosinha” de rede social vive a propagandear uma dieta saudável cheia de verde com corpo que todos os amigos já sabem, mas que somente ela não vê que é pra lá de doentio, cadavérico. Não acho que sejam as redes sociais, mas elas amplificaram a situação, como já foi tratado aqui no blog. Agora é a vez de uma corredora de destaque abrir o jogo em um longo e MUITO belo texto no qual ela fala sobre como o distúrbio alimentar mexeu com sua vida.

 

Etiquetado

Leituras de 2a Feira

Autojabá: no outro blog eu falo o que o filme Batman versus Super-Homem nos diz sobre quem vigiaria a Nutrição

 

No vácuo de seu novo livro sobre ultramaratonas, uma matéria de Adharanand Finn contando sobre o crescimento dessas provas. Os outros 2 livros de corrida dele são incríveis, dizem que este é ainda melhor, mas o tema não me atrai, então vou pular. Porém, a matéria dá pistas do que ele acabou descobrindo!

 Autojabá 2: no outro blog falo novamente sobre um inegável vício que muitos profissionais fazem questão de não enxergar, o vício do açúcar.

 40 anos atrás Sebastian Coe fez um dos maiores feitos do atletismo ao bater 3 tradicionalíssimos e importantes recordes mundiais em uma janela de somente 41 dias. Aqui reduzido a Athletic Weekly reconta.

 Ganhou destaque a notícia de um estudo mostrando que ratos que receberam bactérias encontradas no intestino de corredores da Maratona de Boston. Um texto da Outside explica detalhes interessantes de forma bem didática.

Veja a imagem abaixo que ilustra o blog hoje… No ótimo livro Speed Trap o treinador Charlie Francis faz uma longa reflexão sobre doping. Sou contra, não vem ao caso. Bom, Francis foi treinador de Ben Johnson até 1988, ele sabe do que fala. Na foto abaixo a atleta Brigid Kosgei ganhou U$58.000 pela vitória da Peachtree Road Race. Já a segunda colocada Agnes Tirop levou pra casa U$2.500. Percebe?? Em menos de décimos de segundo houve uma diferença de U$55.500. 22 vezes a menos! Em um mundo onde SÓ a vitória interessa se pavimenta o futuro glorioso do doping.

Etiquetado

Leituras de 5a Feira

(Meio) Off-topic: um ciclista ainda em começo de carreira fez todo um laboratório parar para checar se o equipamento estava mesmo funcionando e calibrado ou se acabavam de fazer a maior medição de VO2máx da história. O Vo2 é aquela típica medida distante e ineficiente ao desempenho esportivo, mas prendeu gerações inteiras de fisiologistas que agora que vão descobrindo sua inutilidade é tarde demais para admitir o erro e abandoná-lo. Aqui a Outside reconta este episódio.

Autojabá: no outro blog falo sobre o mito do “carne demais pra um cão”

Autojabá 2: Para saber quando o podcast 3 Lados da Corrida do qual faço parte postou novos episódios, basta assinar aqui ou então assinar ou conferir no blog!

Os caras da Citius Mag fizeram um curto documentário sobre uma prova de revezamento de 550km que teve participação de uma equipe inteira feminina que quebrou o antigo recorde feminino, ficou em 3o geral e ainda correu abaixo de 4’00”/km!

Etiquetado ,

Leituras de 6a Feira

O crescimento dos participantes das corridas de rua teria chegado ao teto? Bom, na verdade há levantamentos que dizem que estamos em pequena queda. Um texto da Runner’s World reforça o discurso de que não apenas nos EUA, mas também na Europa temos menos gente participando de provas de 2016 pra cá. O crescimento asiático parece não compensar. As provas maiores parecem se segurar melhor, mas as pequenas estariam pagando o preço.

No The New York Times matéria sobre o livro de corrida de um dos gurus desse esporte.

Quão rápido são os britânicos correndo maratona? Não são muito diferentes de nós brasileiros… A verdade é que ficar acima da média lá fora não é nada difícil, mas por experiência própria, se destacar lá fora é MUITO mais difícil do que aqui no Brasil… britânicos, espanhóis, irlandeses, americanos… tenso… tenso mesmo acompanhá-los! Os dados sobre quão rápido eles correm na média lá fora você tem neste levantamento do Run Repeat aqui!

No The New York Times um corredor amador explica como a corrida o ajuda/ajudou a fazer melhor seu trabalho!

A Let’s Run fala daquelas que seriam as 3 principais ultramaratonas do mundo. Difícil discordar… mesmo sendo matéria patrocinada pela Hoka One One.

Não sei o quanto acompanham ou gostam do alto nível. Tempo atrás a fundista americana Gabe Grunewald passou a enfrentar uma duríssima batalha contra o câncer. Uma guerra que ela perdeu recentemente e que levou o atletismo ao luto. Uma mulher singular!

Etiquetado

Leituras de 4a Feira

Um texto da Outside sugere que pelo achado no Mundial de Atletismo não devemos prestar muita atenção em nosso tipo de pisada (se com o calcanhar ou com a parte frontal). Então tá… antes fosse simples assim!

Auto-jabá: no outro blog retomo que NADA na Nutrição deveria ser visto que não fosse aos olhos da cronicidade. É sobre oferta, senhores!

No meu segundo livro, O Treinador Clandestino, um dos capítulos é justamente sobre a importância do desaquecimento. As pessoas fazem isso pensando em segurança (reduzir as chances de um evento cardíaco, o que é uma enorme bobagem). Mas na verdade temos ganhos não-esperados. Em um texto sucinto e didático Steve Magness fala dessa ideia e de alguns ganhos indiretos com desaquecimentos poucos usuais.

No The Guardian o grande Adharanand Finn no vácuo de seu novo livro fala sobre como a ultramaratona o trouxe uma paz inesperada.

Um belo texto falando do prodígio que assombrou o atletismo americano semanas atrás: Matthew Boling!

Cada vez menos tenho aquela paixão por acompanhar o alto nível do atletismo. Motivo? O doping disseminado sem um combate real por parte dos dirigentes faz tudo aquilo parecer ser um teatro, puro entretenimento, um filme, uma peça de teatro. Para que se envolver emocionalmente? É só esperar o próximo filme, a próxima peça…. sem decepção, sem sensação de ter sido enganado, afinal, é tudo ficção. Falo isso e reforçado pela matéria da Reuters que fez o que já se sabia… foram ver onde estão os treinadores russos banidos do esporte por doping. Adivinhem… sim! Seguem na ativa com dirigentes fingindo que nada sabem.

Auto-jabá: questão de dias atrás, vendo um vídeo do Kei, do canal de YouTube Keiando, acabei por trocar mensagens com ele para gravarmos um vídeo juntos sobre mitos na corrida! O motivo foi que ele é corredor mais raiz, que não consegue aceitar muitas das coisas tenta nos empurrar/vender. O resultado? Um vídeo longo para os padrões! Juro que não imaginava ter falado por tanto tempo! Coitado do Kei! hahahaha Espero que gostem do resultado!

Etiquetado ,