Arquivo da categoria: Leituras

Leituras de 3a Feira

O que atletas de ultradistância podem nos ensinar sobre a capacidade humana de resistir.

Em entrevista ao The New York Times o autor de um novo livro tenta explicar como alguns atletas de elite vencem a idade para se manter em alto nível.

Auto-jabá: no outro blog eu explico qual o melhor jejum… o de 16h? o de 48h? Adivinhe!

Allyson Felix é a entrevistada por Sean Ingle no The Guardian!

Tente ficar indiferente com a vida da promissora atleta Deshae Wise. Tente…

Aos pais que leem o blog, aqui um treino interessante…

Etiquetado ,

Leituras de 2a Feira

No ano passado coloquei um curto vídeo que nos trazia que a esteira (de corrida) é uma invenção secular (200 anos!). Agora um texto mais cuidadoso vem nos mostrar como o ser humano é doente… algo que era para torturar agora é uma busca voluntária por milhões de pessoas ao redor do mundo. Eu tento entender, mas não consigo… *super dica do Luis Oliveira.

O Financial Times faz uma curta matéria sobre aplicativos de treino, aderência e resultados. O Luis Oliveira jura que é de graça. Eu duvido.

O maior crescimento no mercado de maratona no mundo é chinês. Não à toa começa a surgir uma pequena migração de quenianos indo para lá. Um vídeo interessante cobre a vida de um agente deles! Se assistir ao vídeo, preste atenção por volta do terço final… a mentalidade queniana… como eles focam na colocação, não necessariamente nas melhores marcas. Interessante!

Quem é de SP e frequenta correndo a região do Ibirapuera ou provas pela cidade provavelmente conhece uma figura carimbada do meio, a Animal. O BuzzFeed fez longa matéria sobre sua vida improvável. Eu que achava que sabia muito sobre ela aprendi coisas inimagináveis…

Auto-jabá: Lá no blog co-irmão expliquei os princípios por trás de algumas regras pessoais que uso na minha Nutrição e a lógica da escassez em um mundo de excessos.

Off-topic: vai chegar o dia em que ao alinharmos para uma corrida de rua teremos adversários robôs! Veja que “assustador” este robô correndo como em filmes de ficção!

Etiquetado

Leituras de 2a Feira

No The Guardian uma lista com os melhores nomes de atletas do atletismo. Lógico que Usain Bolt (trovão) está lá!

A Canadian Running tenta nos dizer que uma das maiores sabedorias da maratona, aquela que diz que você tem grandes (ou maiores) chances de ficar gripado (ou adoecer) após uma maratona seria lenda. Para isso eles questionam 2 levantamentos clássicos dizendo que o que vale não é a percepção e sensação de mal-estar dos atletas de estar doente, mas os indicadores e testes em… ratos. Aí não, né!?

O Sergio Rocha (canal Corrida no Ar) e o Eduardo Suzuki (canal Tênis Certo) criaram um podcast para tratar de temas diversos da corrida e calçados. Aqui o episódio 2 com link também para o de estreia.

Na Outside Alex Hutchinson fala sobre um novo modo de calcular o ritmo na Maratona. Vale checar se você durante toda a leitura lembrar sempre que a fisiologia implica táticas diferentes de ritmo para um esforço de 2h00 e para outro de mais de 3 horas!

No Estadão uma curta entrevista com o ótimo Brett Laner, editor do blog Japan Running News, focada mais no maratonista Yuki Kawauchi.

No vácuo da dura Maratona de Boston o Daniel Carmona me enviou uma estatística curiosa. Ele tirou os dados do site oficial comparando a desistência dos atletas (apenas entre quem de fato largou e os concluintes). Ele descobriu que “dentre as 20 maiores delegações participantes (sendo 18 delas com ao menos 100 corredores), o Brasil teve o maior índice de desistência (91% vs 95% da média). Seria isso explicado pela intolerância ao frio? Condições extremas? Condições naturais de se viver em um país quente? Complexo de vira-lata?” Confesso que não tenho opinião a respeito. Acho que o acaso pode nos confundir. Mas se me disserem que morar e treinar no Brasil e correr naquele frio fez os brasileiros desistirem mais, faz sentido. Há plausibilidade.

4.638 pessoas já escalaram o Everest e apenas 1.497 quebraram os 4 minutos na Milha (1.609). Porém ninguém fez ambos. O meio-fundista americano recém-aposentado, Nick Symmonds, lançou um projeto pra ser o primeiro! Abaixo o vídeo!

Etiquetado ,

Leitura pós-Feriadão

Abaixo uma continuação de uma lista que considero sem utilidade, mas que os corredores amadores adoram: os tênis usados pelas vencedoras das principais maratonas este ano. *Fonte.

A BBC pergunta: é saudável correr maratonas? A matéria é cheia de informações mal trabalhadas, lógicas e imprecisas. Fala que os atletas com sobrepeso se machucam mais (não é verdade), fala que você provavelmente vai perder peso treinando para os 42km (outra inverdade, sem suporte nas evidências) e recomenda ainda hidratação, que desidratação seria o maior risco (tremenda bobagem). Tudo dito por “especialistas”, sempre eles. Eu nunca entendo porque consultá-los se falam sempre tanta besteira! O fato é que correr maratonas (rápido ou não) não é saudável, você vai encontrar poucos treinadores que afirmem o contrário. Mais do que isso: longuíssimos exercícios aeróbios (desconsidere a caminhada) são fragilistas, ou seja, nos deixam mais frágeis. Maratona (ou correr muito) só é interessante MESMO quando sabemos que, do contrário, a pessoa seria sedentária não fosse esse esporte. Entre correr uma, 2 ou 3 maratonas por ano ou ser sedentário, maratona ainda é melhor.

A SBG Media divulgou e comentou os resultados de uma pesquisa sobre o que pensa e o que quer os corredores das provas americanas. A impressão que dá é que é bem similar ao gosto brasileiro: que é fácil encontrar eventos, que estão melhores que 5 anos atrás, que acham caro, etc. As organizadoras estão tendo que cada vez mais brigar mais para garantir seu filão.

As maratonas brasileiras são caras? Abaixo você tem os preços em reais (R$) de algumas das maratonas do continente. É um bom comparativo! Fonte: Um Só Lugar.

No The Washington Post um texto incrível sobre as agruras inimagináveis de uma africana que só foi encontrar uma vida digna ao ser adotada e depois ir correr e competir nos EUA.

Abaixo o belíssimo vídeo da maratona da ainda mais bela cidade de Paris!

Etiquetado ,

Leituras de 5a Feira

Acho engraçado como não há métrica do mercado de corrida… sempre que tinha alguma apresentação corporativa ou mesmo na academia (universidade) sobre o tamanho dele me perguntavam: existe alguma fonte com dados? Eu sempre respondia: coloque, invente qualquer número (de praticantes), não sabemos quanto há de corredores no Brasil. O mercado trabalha assim, às cegas! O pessoal do skate diz que é o segundo esporte do país. O handebol também. O vôlei também. Vai chegar a hora que a zumba ou o cross-fit vão dizer o mesmo. Saiu mais uma dessas pesquisas que transforma o brasileiro em um corredor nato. Mais de 33% teriam a corrida e caminhada como “esporte preferido”, seja lá o que isso quer dizer… isso porque nem de longe temos esses 60 milhões de corredores (não deve passar de 5% disso, ou seja 3.000.000) nem os eventos televisionados da Globo geram tamanha audiência e barulho. Aqui a pesquisa que transforma “academia” no 3º esporte de nossa preferência. Ah… outra piada… 75% dos que responderam praticam algum esporte… ahã! Depois as pessoas ficam surpresas quando o Trump “surpreende todas as pesquisas”…

Abaixo uma lista inútil que corredor amador adora: os tênis usados pelos vencedores das principais maratonas.

O herói por acidente”, um belo curta do COI sobre um velocista escocês. Não vou contar mais detalhes para não estragar! *tem legendas!

A pergunta que parecia inevitável após sua vitória em Londres: seria Eliud Kipchoge o maior maratonista da história? Você deve, sim, considerá-lo em uma lista. Isolá-lo nunca. O atual recordista mundial (Dennis Kimetto) ganha sempre esse direito e Abebe Bikila (que já foi recordista mundial e é até hoje o único bicampeão olímpico da maratona além de ter chegado a vencer 11 de 12 provas) TEM que estar em qualquer lista.

Falando dele, uma matéria da Spikes com o primeiro e único treinador de Kipchoge: Patrick Sang.

Você acha as provas brasileiras caras? Elas podem não ser as mais baratas, mas oferecem mais do que apenas corrida, como é praxe lá fora. Abaixo você tem os preços em reais (R$) de algumas Meias Maratonas no continente. É um bom comparativo! Fonte: Um Só Lugar.

Etiquetado