Ir ao Nutricionista na Saúde faz mal.

Um dos estudos mais interessantes que li este ano fala sobre a REDUÇÃO na mortalidade por complicações cardíacas quando os cardiologistas estavam FORA do hospital*. Basicamente funcionaria assim: com os médicos presentes eles se sentem na necessidade (e na exagerada confiança e obrigação!) de intervir nos pacientes, matando alguns (que não morreriam sem a intervenção deles!) e salvando outros. Em sua ausência, não tendo quem fizesse a barbeiragem, a Mãe Natureza tomava conta da situação. É a arrogância e ingenuidade tão humanas personificadas em doutores que usam jaleco achando que nossa intervenção pode controlar com enorme segurança sistemas complexos.

Ainda este ano terminei de ler também Antifrágil – coisas que se beneficiam com o caos de Nassim Taleb que explica com calma como que, durante a saúde, cada visita nossa ao médico nos aproxima da morte. Basicamente deveríamos buscar a intervenção humana em assuntos da Saúde se e somente quando estivermos muito necessitados (doenças graves). Por quê? Porque toda intervenção humana, sem exceção, implica riscos grandes, muitos desses riscos ainda subestimados e desconhecidos. É por isso que ao contrário do que pensamos, exames de rotina da próstata NÃO aumentam a sobrevida e mamografias deveriam ser postergadas ao máximo (provavelmente aos 50 ou 60 anos) **. Erros médicos matam mais do que qualquer câncer nos EUA, por exemplo. É como ter um revólver hipotético com espaço para muitas balas e cada ida funcionar como uma rodada de roleta russa com essa arma.

E é por isso também que treinador deveria ser fundamental apenas e somente quando NÃO buscamos saúde (não é o objetivo maior dele te oferecer isso), mas quando você quer correr uma prova como uma Maratona, ou ainda uma prova como 10km em um tempo específico. Mas hoje encostemos um pouco a corrida, falemos de um dos maiores assessórios supérfluos, perigosos e subestimados em seu risco: a Nutrição.

A Nutrição, resumidamente ainda é uma falsa ou pseudociência por motivos bem simples, mas bem claros. Primeiro, ela estabelece a prática em função da teoria SEM examinar sua validade, e não o contrário, o que deveria ser a regra. Em muitas de suas diretrizes, há enorme carência de evidências básicas, como as que dizem respeito sequer à eficácia e, talvez mais importante, segurança. Exemplo? Consumo de Sal, balanço calórico, consumo de QUALQUER nutriente, razões que levam ao emagrecimento (ou engorda).

Quando eu digo que você não deveria ir ao Nutricionista, não é questionando a boa-vontade, mas sobre a ENORME incapacidade dele de diminuir os riscos da intervenção. Ir ao nutricionista, é como o dito sobre o cardiologista, ele faz uma intervenção em sua dieta trazendo enormes riscos à sua saúde. O Nutricionista assim somente deveria ser buscado na hipótese de doença (ainda que no caso da diabetes, um nutricionista convencional é muito perigoso).

Com certeza há nutricionistas competentes no mercado. O problema é que o modelo da profissão implica que ele vá seguir o que é dito pelos conselhos, ou seja, sem evidências científicas e sob o risco de ser fiscalizado e punido caso não siga o regimento. E também porque uma vez paga a consulta, há uma pressão enorme para que ele(a) intervenha, ainda que ele(a) não seja necessário, ou mesmo inconveniente.

Um nutricionista, assim, não deveria JAMAIS ser procurado na saúde. Uma vez procurado, ele não deveria JAMAIS prescrever uma dieta*** e deveria haver ainda estímulo para que se o fizesse, fosse o mínimo possível.

E onde procurar informação sobre Nutrição?

Dentre os livros mais incríveis que li até hoje sobre Nutrição, apenas um (Obesity) foi escrito por uma nutricionista, Zoë Harcombe (ainda que ela não seja nutricionista de formação). Todos os outros foram escritos por pessoas de outras áreas. Isso porque o progresso aos saltos não acontece em reuniões de conselhos, geralmente vem por mentes que pensam diferente, olham de fora, questionam sem os vícios. Por experiência própria e por estatística, NÃO espere um livro incrivelmente bom se ele tiver sido escrito por um nutricionista. Mas isso não é uma razão forte por si só.

E onde ir? Revistas e sites?

Definitivamente não. A escolha de um colunista em revista obedece a combinação de alguns critérios. Um deles é a sua titulação. E ela não tem muita importância em uma ciência que não cumpre o básico. Um doutor em Macumba não faz a Macumba virar ciência. Outro critério é a base do “companheirismo”, se é brother, conhecido de quem comanda a seção. Outro critério é se o Nutricionista é um bom vendedor de produtos e suplementos. São os anúncios da revista que pagam a conta, não a fidelidade dele com o assunto. Então o colunista vai servir para explicar o porquê você deve comprar produtos.

Para acabar, fica aqui o aviso: NÃO há nas publicações brasileiras coluna regular de Nutrição que não cometa erros graves no tema. E por fim, uma coluna de Nutrição regular infringe uma lógica cruel; ela vai sair independentemente de haver ou não assunto a ser tratado. E nessas horas, vale tudo, até escrever qualquer coisa. Nutrição em livros escritos por nutricionistas ou em colunas de revista raramente sobreviveria se o critério fosse qualidade. É melhor não arriscar.

*para entender melhor, você pode ler sobre esses estudos em 3 textos excelentes no The New York Times, no Huffpost ou em português no excelente blog Medicina baseada em Evidências do monstro e médico Luiz Correia.

**aqui recomendo a leitura de Reckoning with Risk, do monstro Gerd Gigerenzer.

***Por que não prescrever dieta? Porque a Nutrição simplesmente desconhece quase que por completo a ideia do quão fundamental é a não-linearidade do consumo de nutrientes e energia. E um cardápio é JUSTAMENTE em sua essência a ideia do profissional controlar por você linearmente o consumo desses. Ou seja, é um profissional indo perigosamente na contramão da segurança e efetividade.

Etiquetado , ,

7 pensamentos sobre “Ir ao Nutricionista na Saúde faz mal.

  1. Fritei um torresminho, puxei a cadeira e vou ficar aqui de olho no pessoal do CRN… #FortesEmoções

    Curtir

  2. Gustavo Bianch disse:

    Escrever contra “A Nutrição” faz mal, Balu. Inclusive quando se tem o Conselho “na cola”.

    Curtir

  3. Tadeu Góes disse:

    Meio que cansei de seus posts atacando a categoria. Vc está coberto de razão mas são recorrentes esses posts. Me parece que vc fala mais para a categoria do que para seus leitores.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Mara Vitória Chaves disse:

    Faz exatamente o que critica: afirmações sem conhecimento de causa. É uma besta fera procurando notoriedade e, para isso, atirando sem direção e acertando em inocentes. Vai catar coquinho no asfalto……

    Curtir

  5. Micaéla disse:

    kkkkkkk e o que fazer diante os posts deste ser? Somente rir! Minha gente, só eu percebo que essa pessoa quer causar? um fanático por like, ou por querer ser polêmico…kkkkkk e na verdade não causa nada, o pessoal já cansou meu querido, faça posts interessantes, conte coisas novas, por que já sabemos que tu é recalcado com nutrição e com nutricionista.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: