Leituras de 3a Feira

Christian Taylor é um dos mais espetaculares nomes do atletismo atual. Ele é protagonista de um dos maiores feitos da história de sua especialidade: o único a ter conquistado ouros olímpicos saltando com pernas diferentes. Monstro. Aqui matéria na Spikes.

Se você achar que talvez tenha sido pesada a punição à Rússia nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, talvez valha dar uma olhada no que diz o relatório final da investigação feita por lá. A matéria do The New York Times que recomendo aqui é de desanimar até os mais otimistas. Ainda estou na metade do excelente Seven Deadly Sins sobre Lance Armstrong e lhes digo: cada vez mais vejo esporte e o atletismo como um grande teatro. Bem prazeroso, mas um teatro, com atores e desenrolar que eu não sei o final, mas ensaiado. Triste, bem triste.

Na Sport Life uma lista com 8 canais brasileiros sobre corrida no YouTube.

Matéria da IAAF falando sobre um de seus maiores patrimônios, Usain Bolt. Detentor de tudo o que poderia querer ou imaginar, ele agora declara querer apenas inspirar.

Palmilhas especiais (ou as personalizadas) são para os corredores aquilo que genialmente aprendi com o Pedro Ayres: um não-problema. Mas conheço muita gente que dá importância a isso e muita gente que as vendem que também por mera “coincidência”, sem relação com as vantagens pessoais de as comercializarem, diz que elas são fundamentais para muita gente. Vendo essa oportunidade uma empresa resolveu fazer palmilhas pela tecnologia de impressão 3D.

Um vídeo está fazendo muito sucesso. Mostra toda a raça do ultramaratonista Zach Miller fechando os 2 últimos minutos de sua vitória em uma prova de 50 Milhas (80km)! Aqui mais detalhes.

Etiquetado ,

4 pensamentos sobre “Leituras de 3a Feira

  1. Esporte como teatro?
    Pode ser…
    Como competição em que as pessoas não quebram as regras não dá pra ver mesmo, não é? Teria que ser muito ingênuo.
    Mas como teatro não vale a pena assistir.
    Prefiro ver filmes.

    Curtir

  2. Ciro disse:

    Quanto mais dinheiro envolvido no esporte, menos real ele é.

    Curtir

    • Hélio Shiino disse:

      Premiação em dinheiro é coisa bem antiga. Mas beeeeeem antiga.
      Transcreverei um trecho que fala dos Jogos Olímpicos da Antiguidade.

      (…)
      The prizes: Victors received olive wreaths cut from a sacred grove and cash awards from their home city, says Romano. (Which is only fitting: “Athlete” is an ancient Greek word for “one who competes for a prize.”)
      (…)
      http://time.com/4431034/rio-olympics-ancient-history/
      HISTORY SPORTS
      What to Know About the Ancient Olympics
      Olivia B. Waxman @OBWax
      Aug. 3, 2016

      A questão não é o dinheiro em si porque este tipo de premiação vem desde tempos antigos. A questão mesmo é a falta de caráter.
      “Os fins não justificam os meios.”

      Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: