Leituras de 6a Feira

Barry Smith mergulha nos dados dos amadores correndo a Maratona de NY de dias atrás! Muito bom e revelador!

A corrida e a Maratona como suporte na reabilitação de viciados em heroína. Belo trabalho divulgado na Canadian Running!

Aos fanáticos, a Flotrack listou detalhes das 10 maiores estreias femininas de americanas nos 42km!

Mannequin Challenge é uma daquelas ondas das redes sociais. Dessa vez você sai filmando um grupo como se a cena fosse congelada. Vários famosos já entraram na onda, do futebol passando pela política. Agora a Flotrack fez uma seleção dos times de atletismo que entraram na brincadeira.

Uma análise com um assunto que rende: se competir em pista pagasse mais do que na rua, será que Mo Farah seria tão dominante?? É um ponto BEM interessante, uma vez que os tempos dos 10.000m, entre outras coisas, estacionou porque os 42km podem arrumar para sempre a vida de qualquer africano de cidade pequena!

O Esporte Espetacular leva um senhor de 70 anos do Ceará que corre diariamente para poder participar de uma de suas provas lá no Rio de Janeiro. Bem bacana! Os detalhes disso você vê aqui.

Etiquetado

10 pensamentos sobre “Leituras de 6a Feira

  1. Joao disse:

    Off topic
    O que você acha desses cálculos das majors com relação ao público?
    Dizem que 2 milhões assistem NY.
    Em Chicago esse ano anunciaram 1.7 milhões de pessoas nas ruas.
    Não é superestimado?

    Numa conta de padaria, cada pessoa ocuparia meio metro na calçada.
    Com isso, os 42k da maratona poderia ter, numa primeira fila, 84.390 espectadores de cada lado.
    Ou 168.780 dos dois lados.
    Para dar a conta de Chicago, precisaríamos ter, na média, filas de 10 pessoas de cada lado das ruas, durante todo o percurso da maratona.
    Eu estive em Chicago esse ano. Alguns trechos eram mais populosos, mas em boa parte do percurso havia somente uma fileira de pessoas, e elas com um espaço razoável entre si. Alguns trechos vazios também, ou com gente somente de um lado.

    Mesmo contando que na chegada pode ter muito mais gente, e que há uma rotatividade do público, pra mim a conta não fecha.

    Faz sentido?
    Ou tem algum erro nas minhas contas que eu não percebi?

    Abs,
    João

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      “O que você acha desses cálculos das majors com relação ao público?”
      Exageradas, superestimadas… rsrsrs mas é mta gente mesmo nas ruas! Nenhuma estimativa é real…. 2 bilhões vendo final da NFL, 1 bilhão vendo abertura dos Jogos, 1 bilhão nas passeata gay, 2 milhões no reveillon da Paulista…

      Curtir

  2. LEONARDO RODRIGUEZ disse:

    Os dados da Maratona de NY e as dicas no final vão ao encontro do que você tem defentido Balu: volume de rodagem e constância. Concorda que corroborou sua tese?

    Curtir

  3. Hélio Shiino disse:

    “Aos fanáticos, a Flotrack listou detalhes das 10 maiores estreias femininas de americanas nos 42km!”

    …nos 42Km (Americana).

    Mas que coincidência é essa, ou não, que as estreias foram todas em terras Norte-americanas???

    Poderia ter sido, estrategicamente, em outro percurso “mais rápido” fora dos EUA?
    Ou foi uma aposta para “jogar para a torcida” caso consiga um inesperada vitória?

    Opinião de 3 desta lista.
    http://www.runnersworld.com/new-york-city-marathon/deena-kara-and-shalane-on-the-magic-of-the-new-york-city-marathon-debut
    Deena, Kara, and Shalane on the Magic of the New York City Marathon Debut
    A few of America’s most decorated distance runners made their historic debuts at 26.2 miles in the Big Apple. What advice do they have for this year’s first timers?
    By Erin Strout MONDAY, OCTOBER 31, 2016, 12:54 PM

    Deena Kastor
    When: November 4, 2001
    Time: 2:26:58
    Place: Seventh

    Why New York: When I was looking at not wanting the pressure of running fast and just enjoying the marathon for what it’s worth, there were a few that came up. To me, New York the timing was right to be able to take my track fitness and build a greater base.

    Kara Goucher
    When: November 2, 2008
    Time: 2:25:53 (American course record and fastest U.S. women’s marathon debut)
    Place: Third (first U.S. woman to finish in the top three in 14 years)

    Why New York: I had watched Paula Radcliffe run [while riding on] the press truck the year before and it was one of the most inspiring things I had ever seen—seeing a female working so hard, for so long I had just never seen anything like that up close and personal. So I was like, “I really want to come here. I know this is the premier stage.” It just seemed like a good time after the Olympics to try to do it.

    Shalane Flanagan
    When: November 7, 2010
    Time: 2:28:40
    Place: Second

    Why New York: I basically let [coach] Jerry [Schumacher] decide which marathon and when he thought would be a good time. I was excited with his choice, because I felt like it was taking on one of the toughest and biggest marathons. We needed to know whether I had what it would take to make the next Olympic team—we needed to know whether I should stay on the track or switch over to the marathon. He threw me into such a tough race to find out whether I could handle it and what would happen facing not just tough competition but a really challenging course as well. It was a sink-or-swim mentality.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Em casa tudo é mais fácil e além de tudo, no país da maratona fica mais fácil negociar um cachê pela estreia…

      Curtir

      • Hélio Shiino disse:

        Disney, Maratona da Disney também não seria considerado “em casa”? Ficaria mais fácil ainda. Além de que uniria o útil ao agradável.
        Não tenho dados, mas eu acho que não é pela facilidade de ser negociar cachê que a estreia foram todas em casa.

        Tirando essa questão, o que foi que relevaram? Tempo ou colocação?
        A melhor estreia americana – Kara Goucher – foi terceira colocada. Enquanto que a oitava melhor estreia americana – Shalane Flanagan – foi segunda colocada.
        No dia da corrida também entram muitos fatores imponderáveis.

        Curtir

      • Danilo Balu disse:

        Disney não paga nada para quem ganha nem para quem dá as caras lá, não vale a pena para um profissional competitivo.

        NY, Boston, Chicago… todas pagam bem para uma americana de alto nível correr… valor que não teriam em Londres, por exemplo.

        Eu acho que a lista é feita na base dos tempos… esse ranking é mais fácil de acompanhar universalmente do que a posição em si!

        Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: