Arquivo da categoria: Leituras

Leituras de 6a Feira

O que faz pessoas cada vez mais buscarem correr ultramaratonas? A Business Day tenta uma explicação.

Autojabá: no outro blog falo sobre o contra-ataque das fabricantes de ração para cachorros.

Dias antes de uma competição pouco importante a avó de um dos maiores saltadores do mundo vem a falecer. Desanimado e desmotivado, decide não competir. Sua mãe o demove dessa ideia. E daí nasce o 4o maior salto do mundo no triplo! Que história!

Recebi um convite irrecusável, participar do Endörfina Podcast do Michel Bögli. Por pouco mais de uma hora falamos sobre um assunto comum a ambos: corrida! Convido vc a nos acompanhar! Onde? Spotify e demais plataformas! Pra facilitar, aqui o link!

****

Trecho abaixo extraído do livro Antifrágil de Nassim Taleb explica didaticamente aquilo que SEMPRE falo sobre a superioridade de terrenos irregulares:

Por fim, um ambiente com variabilidade (e, portanto, com aleatoriedade) não nos expõe a lesões por estresse crônico, ao contrário do que acontece com os sistemas concebidos pelo homem. Se você andar sobre um terreno irregular, que não tenha sido construído pelo homem, dois passos jamais serão idênticos — compare isso com a máquina da academia de ginástica sem aleatoriedade, oferecendo exatamente o oposto: forçando-o a fazer repetições infinitas do mesmo movimento.

****

Em formato bem peculiar, a Salomon TV tem episódios bem interessantes. Dessa vez ela fala de uma trilha de cerca de 1 milha!

Etiquetado ,

Leituras de 3a Feira

Que vídeo espetacular! Seu treinador se preocupa com seu core (sobrevalorizado), fica olhando sua pisada, recomenda tênis, palpita na sua alimentação e presta ZERO atenção ao fato de você ter um pé todo destreinado, enfraquecido… Separe 15 minutos e veja os benefícios de dedicar atenção ao pé!

Autojabá: no outro blog falo do talento dos especialistas estarem sempre errados… até hoje…

O enorme impacto que o assassinato de um jovem talentoso e querido atleta tem em todos ao seu redor.

 

*****

 Joyride é o novo modelo (lindo!) de tênis da Nike que vem com tecnologia aparente (aquela que se não é visível o consumidor não se encanta e decide pagar menos). Mas há uma coisa no vídeo (abaixo) que parece ser uma tendência que me incomoda cada vez mais na corrida num nível que não imaginam… E não tem NADA a ver com a Nike, marca que mais me agrada e fabricante dos que são, para mim, os melhores tênis dentre as grandes. No começo do vídeo a primeira frase do narrador é: correr é difícil (running is hard) para depois quando aparece sua imagem falar que a ideia do modelo é fazer correr parecer ser fácil.

Questão de 15 dias atrás tomei café com um corredor experiente que treinou a vida toda em assessoria. Segundo ele, ele se afastou um pouco dos grupos porque ver as pessoas correndo sorrindo o incomodava cada vez mais… Running is hard… e ver as pessoas felizes fazendo algo difícil confunde o cérebro, sabe? Como pode? A imagem não condiz com o que esperamos! Que não me levem a mal, mas vejo uns perfis de Instagram com as pessoas correndo às gargalhadas… parecem aquelas fotos de mulheres magras rindo com um garfo de salada na mão… parece que a rúcula é comediante fazendo um stand up!

Parece haver um consenso em quem gosta ou é pago para problematizar tênis de que deveríamos buscar modelos segundo o conforto. Não consigo concordar! No calçado eu busco é AJUSTE, o que é MUITO diferente de conforto. Crocs é confortável. Usar palmilhas de silicone é confortável. Minimalista NÃO e confortável. A pessoa precisa buscar ajuste, acredite! Um dos maiores males do nosso tempo é a busca pelo conforto! A atividade física, a dieta, o jejum… NADA disso é a busca pelo conforto!

Em nome do conforto comeríamos o que quiséssemos, não faríamos esporte (só um teórico, um acadêmico, defende a bobagem de que treinar aumenta nossa disposição) e não faríamos jejum.. comeríamos a cada 3 horas (entendeu o delírio da diretriz nutricional??)… com tênis é assim! Que ele não tenha costura mordendo seu pé, que o tamanho seja justo, mas.. conforto? Não caia nessa! Se correr está assim tão fácil que arranque gargalhadas, você está é se enganando. SEMPRE o melhor momento da corrida é quando paramos, não??

Etiquetado ,

Leituras de 3a Feira

O grande Craig Pickering falando do treinador como um grande placebo.

No The Wall Street Journal aquele típico texto que tenta vender a ideia de que para correr melhor, é preciso apelar à tecnologia… Parece um classificados escrito ou por quem não entende NADA de corrida ou por quem tenta vender algo (o que é mais provável).

Que relato DURO e sincero o da incrível saltadora Tianna Bartoletta sobre um problema de saúde e todo o drama e consequências.

Detalhes técnicos incríveis e saborosos por trás de um recorde mundial que só um texto primordialmente técnico pode revelar a real importância.

Autojabá: no outro blog falo sobre um grave problema, Diabetes do tipo Nutri Esportivo.

Confesso que eu sabia pouco sobre a vida de um dos maiores fundistas britânicos da história, Basil Heatley. Ex-recordista mundial da Maratona o inglês foi medalha de prata atrás de Bikila justamente no Japão, mas quis o destino que ele não voltasse ano que vem ao local da conquista que lhe deu sua maior fama.

Etiquetado

Leituras de 2a Feira

Autojabá: tive recentemente a oportunidade de dar uma entrevista (que foi mais um bate-papo) com uma rádio brasileira lá na Nova Zelândia. Se você gosta de minhas ideias em nutrição e corrida, pode ouvir a primeira parte clicando aqui!

Uma coisa MUITO legal e bonita do atletismo é como que essa modalidade, repleta de pessoas de origem financeiramente muito humilde, pode transformar tantas vidas. Dias atrás Noah Lyles, o americano que vem dominando as provas de velocidade, ao conquistar sua vaga para o Mundial de Doha escreveu uma bela carta à sua mãe. E não foi só! a Spikes ainda nos trouxe a história incrível do saltador sírio Majd Eddin Ghazal que mesmo no olho do furacão de uma guerra conseguiu participar de competições mundiais.

Autojabá 2: no outro blog eu falo um pouco mais sobre por quediz me o que comes eu te direi quem és”.

Uma coisa que aprendi na Etiópia é que a Great Ethiopian Run, a maior prova da África, é a chance que muitos ali têm de serem descobertos por agentes europeus que vão ao evento. Mosinet Geremew, o segundo maratonista mais rápido da história, deu uma entrevista bem interessante ao site da prova falando de sua vida! *super dica da Adriana Piza que foi comigo à Etiópia ano passado!

Um curto vídeo sobre as irmãs Dibaba… legal ver que elas treinam onde pangarés como eu correm quando vão pra lá!

Etiquetado ,

Leituras de 6a Feira

Não escondo que ainda não me convenci de que os novos modelos da Nike melhorem o desempenho de qualquer corredor em 2,4% (ou 4% ou qualquer outro valor). Porém, um questionamento faz todo o sentido quando feito no vácuo do recorde mundial feminino na Milha de dias atrás: como permitir e validar um recorde feito com um equipamento ainda não lançado e disponível no mercado?? A IAAF está dando uma aula de como NÃO lidar direito com a tecnologia em um esporte de comparação tão direta!

Autojabá: no outro blog eu falo novamente sobre uma das grandes armadilhas dos supermercados: os biscoitos saudáveis.

No The Guardian o elefante no meio da sala do esporte internacional: como será em 2020 quando as atletas transgêneros ganharem medalhas olímpicas de forma INJUSTA?

O atletismo faz sucesso em países africanos entre outras coisas porque ele é A chance que muita gente tem para sair de uma vida miserável (não à toa você vê tantos atletas humildes de países menos miseráveis). A Spikes nos traz a história incrível da ugandense Winnie Nanyondo. *aliás, se você ainda não ouviu fica aqui o convite para ouvir o podcast 3 Lados da Corrida do qual participo! Ontem o tema foi exatamente sobre Quênia e Etiópia como celeiro!

Há exatamente um ano dos Jogos Olímpicos de Tóquio a NBC faz uma matéria sobre 20 atletas/equipes que podem ser notícia no evento! Tem de tudo e, logicamente, atletismo!

Etiquetado