Corrida estacionária, corrida parado, corrida no lugar.

A quarentena pra mim compartilha com as redes sociais uma importante característica: evidencia a nós doenças que nem sabíamos das quais as pessoas sofriam. Semana passada no podcast discutimos um pouco dessas corridas em ambientes domiciliares fechados que acontecem 99% das vezes com a pessoa TENDO QUE exteriorizar o feito, numa clara evidência de motivação extrínseca.

Estão agora sugerindo ainda corrida parado (ou corrida estacionária), sei lá o nome que dar… É uma espécie de delírio induzido porque correr IMPLICA movimento horizontal, é como nadar no seco, como na foto.

 

Neste final de semana que passou enviei as planilhas de treinos aos meus alunos. Seria uma estupidez da minha parte sugerir ou sequer mesmo orientar correr parado. Se ele quiser correr parado, que faça! Só não pergunte a mim como fazer. Procure outra pessoa!

A história da corrida serve para mostrar o que os gdes fizeram. Aquilo que pareceu oferecer resultados é assimilado, o inútil ou contraproducente é abandonado. É assim que o esporte progride, não é com estudo randomizado como muitos pensam. Impossível estudar tudo, mas conheço apenas 2 famosos exemplos de grandes nomes que fizeram uso da corrida estacionária: Emil Zatopek e Percy Cerutti.

Zatopek, um obcecado nato, usava desse recurso quando estava preso a um quarto minúsculo no rigoroso inverno tcheco que enchia as ruas de neve. Zatopek fazia ainda treinos intervalados DIARIAMENTE.

Cerutti sugeria aos seus atletas fazer de 10 a 15 minutos diários de corrida estacionária APÓS 3 tipos de treino: 1h00 de “levantamento de peso intenso” ou após 45 minutos de tiros em subida ou após um fartlek de 29-32km.

Percebo que um dos maiores diferenciais entre os mais rápidos e os mais lentos é SABER o que faz a diferença. O amador parece querer roubar a cereja de bolo, a parte fácil, a parte que pode ser postada nas redes sociais, não a parte que historicamente funciona. Correr parado funcionasse bem, Cerutti e Zatopek não seriam a EXCEÇÃO, seriam a NORMA desta ferramenta.

Boa sorte tentando!

Etiquetado , , ,

7 pensamentos sobre “Corrida estacionária, corrida parado, corrida no lugar.

  1. tadeugoesblog disse:

    Melhor seria agachamentos e afundos, não?

    Curtir

  2. Fernando disse:

    Morte por infartos aumentou 8 vezes em NY, e a reportagem nem menciona a possibilidade de ser decorrente das pessoas estarem paradas em casa:
    https://epoca.globo.com/sociedade/morte-por-infarto-aumenta-oito-vezes-em-ny-qual-o-risco-da-covid-19-para-cardiacos-24368711

    Curtir

  3. Carlos Eduardo Lima disse:

    Desculpe-me, caro amigo, mas acho ridículas estas pessoas que, por causa da pandemia, estão correndo quilômetros dentro de casa. É uma gente boba, presa fácil do alarmismo da mídia. Como te escrevi posts atrás, estou adorando correr em ruas vazias proporcionadas pela quarentena. Tempos atrás fiz a experiência de correr parado em casa por meia hora. Inexplicavelmente, no dia seguinte minhas pernas doíam. Acho que a coisa mexe com outros grupos musculares, sei lá. Nunca mais!

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: