O que o calor de Doha nos ensina?

Por motivos pouco nobre$ a IAAF resolveu fazer o Mundial de Atletismo deste ano em Doha (Qatar). A Maratona foi disputada à meia-noite para diminuir os efeitos do calor. Ainda assim largaram com 35°C, foi a vitória mais lenta da história da competição e teve mais de 40% das corredoras abandonando.

Eu vivo dizendo aqui que o desempenho na Longa distância é dependente de 3 fatores. Um deles é o

Eu vivo dizendo aqui que o desempenho na Longa distância é dependente de 3 fatores. Um deles é o VOLUME DE TREINO (de corrida!). Não importa a escola de treino, a nacionalidade. Você vai encontrar que em média os atletas fazem grande parte (~80%) dos quilômetros mais lento que o ritmo de competição. Não há muito segredo, o restante fica a gosto do treinador.

Os outros 2 são capacidade de DISSIPAÇÃO DE CALOR e (baixo) PESO. Repare ainda que peso tem relação forte e direta com a questão do calor e mesmo com o volume (é mais fácil correr 150km semanais pesando 60kg do que com 120kg).

A PRÁTICA

Semanas atrás, na gravação do podcast 3 Lados da Corrida com o psicólogo Arthur Ferraz, ao final fora do ar batíamos papo. Ele falava que estava prestes a viajar ao seu sexto Ironman no Havaí. Quando falávamos de seus treinos ele que é visivelmente e saudavelmente bem magro disse que precisava ainda perder “alguma coisa”. Por quê? Um cara do nível dele SABE que treino e peso “é tudo” nesse esporte.

A área (de nossa pele) é uma variável bidimensional enquanto nosso peso (ou volume) são tridimensionais. A relação de crescimento em ambas é sempre DESVANTAJOSA à capacidade de dissipação do calor, uma das 3 variáveis fundamentais. Entende meu ponto?

O gráfico abaixo que acompanha o texto é de 2 atletas de mesmo nível, um com 60kg e outro com 70kg. Só que os dois competindo a 26°C, um pode correr em 2h10 e outro “apenas” em 2h18 porque o “carburador esquenta”, o “motor fuma”.

Está treinando?? Tem que fazer mais! Tem que olhar o peso! Esqueeece tipo de pisada, tênis (modelo pesado PIORA um dos marcadores), palatinose (gel em excesso PIORA a questão do peso), meia de compressão (PIORA a dissipação)… Atleta BOM (igual o Arthur) SABE o que importa!

Etiquetado , , ,

Um pensamento sobre “O que o calor de Doha nos ensina?

  1. liporati2002 disse:

    Balu, não são só 3 fatores, tem um quarto fator: PEDs.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: