Leituras de 4a Feira

Uma corredora conta de sua dificuldade para encontrar material de corrida que não seja da chamativa cor rosa. *dica do Helio Shiino.

Auto-jabá: fiz para o Corrida no Ar um vídeo explicando o que é Jejum Intermitente e se sua aplicação na corrida e aos corredores é possível. Veja aqui!

Alex Hutchinson traz e analisa um estudo muito interessante sobre uma estratégia cada vez mais comum: treinar sessões leves em jejum ou comendo pouco carboidrato. Os resultados preliminares impressionam!

Que a corrida muda positivamente nossas funções cerebrais era algo esperado e cada vez mais relatado. O que poucos entendem é como uma atividade esportiva tão simples, feita por qualquer criança, teria tal efeito também em adultos. É tudo muito precipitado, lógico, mas correr parece ser também uma espécie de quebra-cabeça espacial. Muito bom!

Dias atrás falei sobre jejum, uma prática nutricional muito salutar. Mas os corredores apenas me perguntam se isso vai fazê-los correrem mais rápido e o que eles precisam consumir antes e depois do jejum. Já falei isso inúmeras vezes aqui: as pessoas buscam meias de compressão, tênis caro, suplemento, mas correm 2 ou 3 vezes por semana. Volume e regularidade são tudo, o resto é espuma. Steve Magness pensa fora da caixa na mesma intensidade que é pragmático. Em seu mais recente texto ele fala sobre como há uma busca exagerada por frivolidades. Com metáforas muito boas ele explica como nos preocupamos com 1% quando não fazemos o que garante 99% dos resultados.

Off-topic: como já é tradição aqui, abaixo o vídeo com a retrospectiva do ano da Google!

Etiquetado ,

4 pensamentos sobre “Leituras de 4a Feira

  1. Hélio Shiino disse:

    “Que a corrida muda positivamente nossas funções cerebrais era algo esperado e cada vez mais relatado. O que poucos entendem é como uma atividade esportiva tão simples, feita por qualquer criança, teria tal efeito também em adultos. É tudo muito precipitado, lógico, mas correr parece ser também uma espécie de quebra-cabeça espacial. Muito bom!” (Danilo Balu)

    Artigo Muito Interessante!
    Se correr por correr em si já traz todos esses benefícios imagine correr por competir!

    Eu, por exemplo, que não tenho relógio/aparelho tecnológico tanto para treino quanto para prova, imagine o quanto de tarefas paralelas eu (ou melhor, o meu Cérebro) executo neste período!
    – Visualizo meus adversários.
    – Meço, calibro e compenso o desgaste físico.
    – Prevejo a logística para pegar água e contornar um cotovelo sem perder tempo.
    – Olho para os relógios de rua, busco a placa de kilometragem e calculo se o meu ritmo está dentro ou fora do planejado.
    – Administro e avalio a possibilidade de ficar mais tempo na zona de desconforto por conta do desejo de ultrapassar um concorrente.
    – Brigo para que eu não passe para o “Lado Negro da Força”
    – Etc, etc, etc.

    Aproveitando o gancho da relação Corrida com as funções do Cérebro, acho que uns 5 ou 6 anos atrás – agora não me recordo ao certo – quando fui visitar o Museu Histórico Nacional, aqui no Rio, estava observando uma Exposição Permanente sobre a Evolução Humana quando um dos monitores fez uma fala aos presentes naquela sala dizendo que o crescimento do crânio, por conseguinte o crescimento do cérebro, é devido à mudança de hábito alimentar com a inclusão de carne em sua dieta na História Evolutiva.

    Isso ficou marcado na minha lembrança mas nunca tive a curiosidade de pesquisar sobre este assunto que me deixou intrigado naquele momento.

    Listo 2 artigos que encontrei que tem inter-relação da carne como alimento com o cérebro e com a corrida.

    http://news.harvard.edu/gazette/story/2004/11/running-paced-human-evolution/
    CAMPUS & COMMUNITY > HARVARD NEWS
    Running paced human evolution
    Anthropologists conclude running may have helped build a bigger brain
    November 18, 2004
    By William J. Cromie, Harvard News Office

    http://news.harvard.edu/gazette/story/2008/04/eating-meat-led-to-smaller-stomachs-bigger-brains/
    SCIENCE & HEALTH > LIFE SCIENCES
    Eating meat led to smaller stomachs, bigger brains
    Scholar revisits her theory explaining evolution of early primates into humans
    April 3, 2008
    By Corydon Ireland, Harvard News Office

    Bonus Track:
    http://www.cbc.ca/natureofthings/features/scientific-information
    The Perfect Runner
    Saturday, November 12, 2016 at 3 PM on CBC-TV
    SCIENCE BEHIND THE PERFECT RUNNER
    Why are humans hairless? Why is childbirth so painful, and dangerous? Why is the human intellect so highly developed? Because we run.

    Curtido por 1 pessoa

    • Hélio Shiino disse:

      Errata:
      Onde se lê: “Museu Histórico Nacional”, leia-se: “Museu Nacional”.
      O Museu Histórico Nacional se localiza na Praça XV e o Museu Nacional se localiza na Quinta da Boa Vista.

      Curtir

  2. O artigo do Hutchinson é interessantíssimo. Sem saber eu meio que emulei o protocolo do estudo através do jejum. Normalmente paro de comer entre 16 e 18 horas e só volto a comer depois do treino na manhã seguinte. Mas durante a “janela” de alimentação não faço dieta low-carb.

    Meus tempos melhoraram um bocado mas como perdi mais de 10 kg nessa brincadeira fica difícil de saber o que foi efeito do jejum e o que foi efeito do emagrecimento.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: