Leituras de 4a Feira

Você já tinha lido aqui no Recorrido, fazer sessões de gelo após todos/vários treinos dá a impressão de que você é um cara dedicado, que cuida do corpo, mas que nunca teve muito embasamento para essa rotina. Mais e mais estudos vão derrubando esse que parece ser um dos grandes mitos da corrida. Você teria que deixar o corpo se adaptar ao treinamento, além do gelo em si não fazer muito (na corrida). Por um tempo antes de ser operado eu fazia essa rotina, fui pesquisar e abandonei. Aqui Alex Hutchinson explica como as aplicações de gelo são em ocasiões bem restritas (competições do tipo revezamento em que se corre mais de uma vez, competição muito próxima, após um treino em descida…), distantes do mundo da corrida. Para ler, entender e guardar.

Aqui o vídeo teaser da corrida São Silvestre da espetacular Lisboa! Por lá são 10km. *dica do Correr pelo Mundo.

O mercado gosta de vender a ideia que aquilo se faz hoje na corrida é algo novo, pensado inovador, moderno e calculado. Quando disse tempo atrás que treinamento em corrida era receita de bolo, um dos meus pontos era que não se faz nada hoje que não se faz há muito tempo. Corrida não é ciência, é empirismo e sobrevivência do mais forte. Steve Magness, um dos caras mais pertinentes da área, traz um texto obrigatório e excelente sobre Percy Cerutty, um dos maiores nomes da história, COMPLETAMENTE IGNORADO no Brasil. Você pode viver profissionalmente da corrida no Brasil sem ter que ler sequer uma linha sobre esse excêntrico treinador, o que mostra mais uma vez o nosso nível.

O mito da bolsa escolar ao atleta, tão comum e sonhada nos EUA e tão esquecida no ensino no Brasil…

Não custa nunca lembrar que nem sempre corredor negro era sinal de sucesso. Aqui a história dos primeiros corredores negros americanos.

No The New York Times mais um texto sobre a corrida também ser um bom exercício ao cérebro.

O que a Biologia Evolutiva pode nos falar sobre o hábito humano de fazer alongamento? Muito bom!

Etiquetado

10 pensamentos sobre “Leituras de 4a Feira

  1. Hélio Shiino disse:

    “O que a Biologia Evolutiva pode nos falar sobre o hábito humano de fazer alongamento? Muito bom!” (Danilo Balu)

    (…) Então, de repente… estica as patas dianteiras a frente, conta 30 segundos, estica as patas traseiras atrás, conta mais 30 segundos, inclina a cabeça pro lado direito e esquerdo sucessivamente contando mais 30 segundos de cada lado. Enquanto isso a zebra, que percebe a figura da leoa, também faz o mesmo e alonga-se, preparando-se para o que virá a seguir… a perseguição! (…)
    http://cursofba.com/alongar-natural/
    22 NOV 2016
    ALONGAMENTO PREVINE LESÃO?
    POSTED BY PABLO SANTURBANO
    Será que alongar ajuda?
    O que a Biologia Evolutiva pode nos falar sobre o hábito humano de fazer alongamento?

    (…) Mas esses são os fatos: quando um guepardo prepara-se para caçar, ele não come uma barrinha de cereal. Seu pré-treino é a fome, a gana de comer e vencer, numa caçada a 110km/h, a luta pela sobrevivência. (…)
    https://blogrecorrido.com/2016/11/14/obrigado-pela-recepcao/
    14 DE NOVEMBRO DE 2016
    OBRIGADO PELA RECEPÇÃO!

    Eu poderia ficar horas e horas dando exemplos comparativos de que corredores ao invés de fazerem ritos cientificamente embasados, tem é manias, tiques nervosos ou similares.

    Quando falo que eu costumo ficar observando os animais a fim de concluir o quanto inventamos atos no nosso cotidiano, sou chamado de maluco ou lunático. Deixo falarem…

    Apenas mais um exemplo:
    “O ser humano é o ÚNICO ser vivo que bebe líquido entre uma garfada e outra no ato da alimentação!”
    Ah tá, é porque você fica com sede constantemente quando come?
    Não? Ah tá, é porque você se engasga se não beber líquido…
    Humpf.

    Curtir

  2. adrianapiza disse:

    Concordo que devemos prestar mais atenção ao biológico e assim, claro que alongar antes de qualquer atividade (ou depois) não faz sentido. E se nos comparamos aos animais caçadores ou caçados, vemos que fazemos o mesmo, nunca iremos nos alongar se estivermos fugindo de alguém ou da chuva. As crianças nunca alongam antes de brincar de pega pega. Não faz sentido. Assim como não faz sentido comer antes de correr. Não conheço animal nenhum que vai caçar de barriga cheia, aliás, ele está muito mais preparado quando está precisando da comida… E ainda, não conheço nenhum animal que não tire uma boa soneca de horas após comer (muito) aquela bela refeição caçada. E nós achando que não podemos comer à noite porque iremos gastar menos energia à dormindo.
    Mas voltando ao alongamento, por outro lado fico pensando quantas coisas fazemos hoje que não é nada natural, como ficar 8 horas por dia, muitas vezes muito mais, sentado numa cadeira. Será que essa pessoa, ao se levantar após todas essas hora para ir fazer o seu exercício diário não se sente bem dando uma alongada no músculo? Simplesmente para se sentir bem? Resumindo…sim sou muito a favor de usar nosso corpo conforme foi projetado, mas se pensarmos…vivemos de forma tão diferente, longe de tudo aquilo para o que fomos projetados, que acho que às vezes essa justificativa não basta. Sem pensar em lesão, se previne ou não, esse tipo de justificativa de comparar um pequeno aspecto aos animais…não basta.
    Uma coisa é justificar por exemplo que deveríamos usar sapatos confortáveis que permitam a mobilidade dos dedos, sola flexível etc. dizendo que o pé foi construído para ser usado descalço, isto é, o pé tem músculos e foram feitos para funcionar. Outra coisa é justificar um comportamento, dizer que não se deve fazer tal coisa porque os animais não fazem assim, pois em comportamento temos muito pouco ou quase mais nada dos animais não é mesmo?

    Curtir

    • Pedro Ayres disse:

      Isso de querer buscar o “natural/evolutivo” em tudo já virou comédia. Usar iPhone para postar minimalismo, pode? Macbook Pro em cima da mesa feita de madeira de reaproveitamento…

      Aliás, correr em jejum, sim, mas levar o gelzinho importado pra dar uma recalibrada no meio do caminho. Imagina animais caçando:

      – Aquele búfalo lá tá rengo, vamos naquele!
      – Não sei se chego, mó buraco no estômago…
      – De boa, tenho preá desidratado importado do cerrado brasileiro pro quilômetro 15. Tá aqui na minha mochila RiftFace Ultra!
      – Então partiu! kkk

      Curtir

      • Julio Cesar Kujavski disse:

        É, mas ninguém fala dos animais caçadores que morrem de fome porque não conseguiram correr o suficiente para pegar a comida. E dos herbívoros, o que vcs têm a dizer ?
        Eles não precisam correr atrás de comida, no entanto muitos herbívoros sabem correr muito bem. E não é só porque são presas, pois acho que cavalo não é presa de nenhum animal e corre pra cac@t$¨.. rsrs…

        Curtir

      • Hélio Shiino disse:

        Julio, não sei se entendi bem o que você comentou.

        A Natureza é tão sábia que tem a capacidade de resolver uma equação de enésimo grau para garantir – ou tentar – garantir o equilíbrio do ecossistema.
        Ela não faz tão somente a relação direta caça-caçador.
        Ela envolve:
        – a expectativa de vida de cada ser. http://www.inf.ufrgs.br/~cabral/VidaAnimais.html
        – o número de prole gerada é uma única gestação.
        – quantas da prole acima vingarão antes que sejam devorados.
        – quem é caça de quem. Ou não.
        – em qual região do planeta é o seu habitat.
        – etc, etc, etc.

        Sabe quem é o principal desequilibrador disso tudo? O nosso camarada Homo “Quase Nada” Sapiens!
        Onde ele põe a mão, dá estrago. É o Rei Midas ao Contrário.

        Pegue uma região que não houve qualquer contato humano. Tipo o Projeto Genesis, do Sebastião Salgado.

        Pode ficar tranquilo que, se não houver a interferência do homem, a espécie cujo indivíduo não conseguiu a sua caça para saciar a fome ou a tropa de cavalos que não tem presa, não entrarão em desequilíbrio no Mundo Animal.
        A Natureza se encarregará de dar o seu jeito sabiamente dando algumas virtudes e algumas deficiências. Pode confiar nela.

        Esses herbívoros que você citou, que não tem presa (Já ouvi dizer que em algum País se come carne de cavalo), mas correm muito, tem um porquê de serem velozes.
        Nada foi por acaso.
        Podemos investigar.

        Curtir

    • Hélio Shiino disse:

      “Outra coisa é justificar um comportamento, dizer que não se deve fazer tal coisa porque os animais não fazem assim, pois em comportamento temos muito pouco ou quase mais nada dos animais não é mesmo?” (Adriana Piza)

      Olá Adriana Piza!

      Saindo um pouco do campo da corrida, sabe porque essa minha grande observação nos animais e trazendo para nós, os seres humanos?
      Vai além do comportamental! Até mesmo porque cada espécie tem a sua peculiaridade.
      Falo das coisas simples e básica de todo o ser vivo.

      Os animais tem uma maestria em executar essas coisas simples e básica por causa de uma coisa chamada Instinto.

      Nós, seres humanos, também temos Instinto?
      Temos, mas ao longo da de sua História, a parcela instintiva foi dando lugar a parte raciocinativa.
      A parte instintiva que sobrou de nós foi a da sobrevivência. Uma delas.
      Tem mais?
      Até a reprodução deixou de ser instintiva.

      A capacidade de raciocinarmos deu asas para elaborarmos as coisas necessárias de forma prazerosa além de supérfluos.
      Fazer uma coisa a se tornar prazerosa não é necessariamente a torna fazê-la de forma objetiva e correta!

      Foi apenas nesse ponto que eu exemplifiquei quanto a observação dos animais. Apenas que observemos para podermos traçar um paralelo.

      Eles fazem o que tem que ser feito de forma simples e adequada.
      O ser humano, em algumas vezes, coloca adereços achando que estará otimizando mas que na verdade estará degradando todo um simples processo.

      Instinto animal é uma coisa fantástica!
      Fazem porque tem que ser feito porém jamais sentaram em uma sala de aula para tomarem uma lição dessas coisas.
      Quem foi que ensinou as abelhas a fazerem a colmeia?
      Quem foi que ensinou as aranhas a tecerem uma teia?
      (Ambas são de uma Matemática Pura!)
      São inúmeros exemplos fantásticos de instinto animal que é de ficar maravilhado.
      É coisa da Natureza?
      Como explicar o Instinto animal de cada espécie?

      Sem me alongar mais no comentário, volto a corrida para finalizar.
      Procurem um vídeo que explica toda a beleza e eficiência do movimento e postura do animal terrestre mais rápido do planeta.
      O porquê daquela postura.
      O porquê daquele movimento.

      Enquanto a gente continuar cometendo o equívoco de achar que pensamos, estaremos fazendo o básico de forma que só nós sabemos complicar, isto é, não o estaremos fazendo próximo do ato instintivo.

      Quando coloco que comparemos aos animais, quero dizer que eles sabem o que fazem sem eles saberem que sabem. (Papo de doido)

      Por favor, não me leve a mal.

      P.S. A maioria das pessoas bebem liquido entre uma garfada e outra porque tem preguiça de mastigar. Se esqueceram do ato de mastigação. O liquido é nada mais nada menos que um “empurrador” de patacas de comida não mastigada corretamente goela abaixo.

      Curtir

      • adrianapiza disse:

        Hélio, na verdade eu concordo com praticamente tudo que falou, sou muito dessa linha também, inclusive sou bióloga, curso que escolhi muito por sempre pensar assim! Só quis dizer que justamente estamos (infelizmente) tão longe do natural em certos aspectos, que acho que a justificativa de um certo comportamento não basta. Mas acho sim que devemos sempre olhar para trás para nunca esquecer da onde viemos, como fomos projetados. A nossa capacidade de raciocínio nos levou para coisas boas sim, mas acho que se tivéssemos ficado com mais instinto seríamos muito melhores…

        Curtir

      • Danilo Balu disse:

        Uma coisa é importante ser dita mesmo concordando com quase tudo do que foi dito…. a questão do alongamento eu gosto de analisar do pto de vista de redução de lesões (ou ganho de desempenho)… cada um faz o que quiser da vida… se se sente bem alongando, vai fundo! Eu, se eu pudesse, teria alguém me alongando TODOS os dias antes do treino… lembro que nas Golden Four eu fazia aquelas massagens gratuitas no dia do kit assim que chegava cedo e qdo ia embora no final do evento… era bom demais! Lesões? Nunca nem pensava nisso! No livro trato da tal sensação boa que alongar dá… se gosta, continue! Sobre o fato de ficarmos sentados, uma pessoa pode trabalhar 10h/dia sentado, mas se ela é fisicamente ativa, um treinamento BEM FEITO VAI dar a flexibilidade necessária/adequada à ela… ela continua NÃO PRECISANDO alongar… mas se ela se sente bem, com vcs, Raul Seixas! “Então vá! Faz o que tu queres. Pois é tudo. Da Lei! Da Lei! Viva! Viva!”

        Curtir

      • NEIL disse:

        Ou seja, dia perfeito, corridão, seguido de mousse de chocolate depois do alongamento e massagista… E de graça!!! Agora tem que fazer por merecer: treino, suor e periodização bem feita…

        Curtir

  3. Neil disse:

    Adriana, vc disse tudo que eu ia dizer, e ainda melhor explicado! É ótimo darmos exemplos de biologia evolutiva, mas esquecemos quanto dos nossos comportamentos fora da nutrição e esporte são modificados pelos nossos hábitos cotidianos – e é por causa deles que às vezes precisamos de uma intervenção, como alongar um corpo que na natureza nao passa 8 horas sentado de frente para um monitor…

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: