Leituras de 2a Feira

Um levantamento americano na Fortune dá números às preferências dos corredores locais quanto as marcas de tênis de corrida. Na ordem: Brooks (23%), ASICS (18%), Saucony (14%), Nike (9%) e New Balance (7%). Alguns pitacos:

– a liderança da Brooks (em alternância com a ASICS) não é novidade, não se assuste, já disse aqui;

– Saucony e New Balance sempre foram fortes lá, mas o brasileiro tem um quê de caipira, não gosta delas, da Brooks e pronto;

– Mizuno é um fenômeno brasileiro. E japonês;

– o bom trabalho da adidas surtiu certo resultado aqui no Brasil, mas nos EUA continua sendo tênis para outras coisas;

– o 4º lugar da Nike pode ser visto como bom (à frente das outras grandes), ou ruim (ainda perde das especializadas, mesmo com o caminhão de dinheiro).

 

Um estudo MUITO interessante… pegou 2 dúzias de caboclos, pôs para correr forte em uma descida de 6,4km com declive de 1200m (!!) e analisou o estrago na musculatura das pernas por causa do trabalho excêntrico. Resultado: dores e fadiga comparados a correr uma ultra de mais de 300km! Sensacional! Explicações com texto de Alex Hutchinson.

Voltado às análises de tempos na Maratona, a Spikes fez um resumão dos ótimos achados de Barry Smith em seu blog! Split positivo, negativo, homem vs mulheres, experiência ajuda… tem de tudo!

No The New York Times, quando doping não é trapaça

Uma vez que a IAAF e o COI pouco interesse têm em combater o doping, alguns atletas decidiram se juntar e criar o Clean Sport, uma associação em luta contra o doping. A iniciativa vale mais pela causa, vamos ver até onde vai…

Abaixo o vídeo da bela Maratona de Amsterdã! *dica do Correr pelo Mundo.

Etiquetado ,

10 pensamentos sobre “Leituras de 2a Feira

  1. Julio Cesar Kujavski disse:

    Sobre correr em descida, ano passado fui correr uma prova de 5 km na cidade de Caçador-SC.
    Chegando na arena colocaram a gente nuns Ônibus e levaram pra largada em uma rodovia lá no alto da cidade.

    Largamos lá do meio do nada praticamente os 3 primeiros km inteiros foram em descida. Nunca corri tão rápido na minha vida.. rsrsrs… Normalmente corro provas de 5 km pra 3´55″, e nessa prova nos 3 primeiros km estava a 3´35″. Em termos de resultado e colocação não adiantou muito pois todo mundo correu bem rápido.. rsrs..

    Realmente nos dias seguintes estava com um cansaço diferente de uma prova de 5 km normal. Mas mesmo assim gostei, é legal correr mais rápido, pra variar.

    Curtir

  2. Fábio Rocha disse:

    Tive essa experiência de dores musculares fortes após uma prova com muita descida, fiquei três dias sem andar direito, subir um simples meio fio ou descer uma escada era infernal rsrs…… Muito dolorido e travado totalmente…..

    Curtir

  3. adrianapiza disse:

    Sim, a descida machuca muito mais que a subida! Seja correndo, seja andando! E foi por isso que no circuito que fizemos caminhando em Torres del Paine decidimos fazer no sentido inverso ao feito normalmente por 90% das pessoas. Parecia que estávamos na contramão. Havia no caminho um morro a ser transposto (com peso nas costas da mochila cargueira) subindo de um lado e descendo tudo do outro. A escolha foi justamente por preferir subir os 1200m de desnível em 10k e descer em 20k do que o oposto, preferimos uma subida mais íngreme, e não uma descida! Só não entendo porque 90% opta pelo inverso.

    Curtir

  4. Hélio Shiino disse:

    “– Saucony e New Balance sempre foram fortes lá, mas o brasileiro tem um quê de caipira, não gosta delas, da Brooks e pronto;”

    Fica sempre aquela pergunta: “O importante é ser MUITO BOM em 1 coisa ou ou ser BOM em várias coisas?”
    Corrijam-me se eu estiver equivocado. Saucony e New Balance só trabalham para produtos de Running. Por outro lado, a Nike e a Adidas (Seria estranho a Adidas não estar bem rankeada?) são o que chamamos do famoso Bombril – Mil e Uma Utilidades.

    Ainda não tive a oportunidade de calçar um Brooks.

    1) Um bom Marketing faz muita diferença na Venda independente da qualidade do Produto.
    2) Brasileiro compra Marca e não Produto.

    E a Newton Running, caiu no ostracismo?

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Newton Running nunca entrou na 1a divisão de quem vende mais… parecia mais graça de quem queria correr do que preferência das massas. Continua na turma dos nanicos.

      Curtir

    • Hélio Shiino disse:

      “Corrijam-me se eu estiver equivocado. Saucony e New Balance só trabalham para produtos de Running.”

      Você está equivocado.
      A New Balance também fornece material esportivo para o Clube de Futebol Sevilla FC, ou seja, não é exclusividade Running.

      Curtir

  5. Julio Cesar Kujavski disse:

    Sempre tive curiosidade de usar New balance, mas ainda não experimentei. Minha marca preferida para tênis é Adidas. Em tênis leve de competição por exemplo, O Adizero Adios 2 (sem o boost) e o Takumi Sen são imbatíveis.

    Brooks eu acho que nunca vi um ao vivo.

    E Avia ? Lembro que existia à venda por aqui mas nunca mais vi.

    E 361? É uma marca mundial ? Patrocinou os jogos olímpicos, então deve ser forte ( $$$)

    Curtir

    • adrianapiza disse:

      Já usei um Brooks da linha Pure, gostei muito! Mas não sei se é a linha mais popular deles…eles tem uns modelos bem altos, estruturados, que acho que fazem mais sucesso!

      Curtir

    • Hélio Shiino disse:

      Sabendo que a marca chinesa 361º iria dar apoio em material esportivo para os Jogos Rio 2016, ficava de olho em alguma modalidade esportiva para saber se seus os próprios atletas chineses vestiriam essa marca. Confesso-lhe que vi pouco, tanto os Jogos Olímpicos quanto os Paralímpicos, mas não encontrei sequer uma equipe chinesa usando a 361º.

      Sempre quando surge uma marca no cenário esportivo, fico curioso em saber a origem que deu para estilizar a sua logomarca.

      Conceitualmente falando:
      http://danpearlman.com/en/work/361-on-the-way-to-number-1/
      361°
      STORE CONCEPT

      A BIT MORE DETAIL
      Always stay one step ahead of the competition – we transformed this saying into a forward-looking store concept. In implementing brand values, one degree more means more challenges,” “ more top performance and” “more passion.” The visual key, a circle expanded by one degree, is repeated as the store’s core element. The brand color yellow sets accents and creates dynamic movement.

      Esotericamente falando:
      https://www.facebook.com/notes/ever-reese/the-meaning-of-361/10150148422305390/
      The Meaning of 361
      12 de fevereiro de 2011 às 21:47

      Curtir

      • Julio Cesar Kujavski disse:

        Tenho um tênis 361, comprei baratinho por uns R$ 100,00 em uma promoção da World Tennis.

        É excelente pra caminhadas, muito macio e parece ser bem resistente.

        Usei em um treininho de 8 km e também foi bem, mas este modelo que tenho é melhor pra caminhadas.

        Qualquer hora dessas vou comprar um mais caro pra corrida.

        Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: