Sobre metabolismo acelerado, várias refeições e o mundo mágico

*já me desculpo pela falta de imagens e muita ordem no pensamento…. hoje o texto é quase na base do rabisco, sem tática!

Eu adorava F-1. Hoje só assisto para ver um negro, o monstro Lewis Hamilton, dar uma surra nos brancos. O ano era 1999, eu estava em Tietê vendo a largada do GP da Inglaterra. Michael Schumacher perdeu o controle de sua Ferrari na largada e bateu violentamente quebrando uma perna e dando adeus ao campeonato. Como àquela época o desenho da brita ali era paralelo à direção dos carros, o narrador (Kleber Machado?) soltou a pérola: “o carro entra na área de escape e ganha velocidade”. Isaac Newton deve ter se contorcido em seu túmulo na linda Abadia de Westminster. Na cabeça do narrador haveria uma geração espontânea de energia quando você toca a brita. Porém, se um carro com os freios acionados ganhasse velocidade na área mole de escape, a corrida seria sobre a brita, não no asfalto duro.

Há duas crenças na Nutrição e na Educação Física que me incomodam como um narrador de F-1 incomoda ao falar bobagem. A primeira é a de que lanches ocasionais a cada 3 horas teriam o mágico poder de acelerar o metabolismo. No mundo do faz de conta da Nutrição, para gastar mais calorias e emagrecer, você precisaria… comer mais vezes. Não faz muito sentido, eu sei. O Nutricionista nessas horas faz o papel daquele narrador de futebol iletrado em Física que diz em dia de jogo com chuva que a bola “pega no gramado molhado e ganha velocidade”. É um mundo com regras à parte, é um delírio, é quase um sonho.

O pior é que a crença dos lanches está tão enraizada na categoria que muitos leigos hoje a defendem, afinal, uma categoria inteira repetindo o mantra não poderia estar errada. Poderia? Porém, a história é repleta de casos assim, de gente estudada e muito bem intencionada, que usou seu título para poder recomendar o absurdo quase impunemente. Por isso sempre duvide. Duvide sempre.

Muito Nutricionista protesta dizendo que um não-credenciado não pode clinicar. OK, é a tal da dissociação de interesses. O interesse maior dele não é que você emagreça, ele quer mesmo é que você pague pelo serviço. Você é quem quer emagrecer. Pela lei que ele defende você só pode tentar emagrecer com um nutricionista (que quer o seu dinheiro!). Ele NÃO precisa entregar o que você quer. Mas você TEM que entregá-lo o que ele mais quer.

Convido então você a fazer 2 testes. Procure um profissional com mais uns 10 amigos e diga que você irá pagar SOMENTE depois E SE vocês emagrecerem – sei lá – 10kg de gordura cada um. Qualquer boa vontade dele acabará aí. Agora nós sabemos o que cada uma das duas pontas realmente quer. *aqui não há crime algum em querer dinheiro honestamente, a crítica é somente sobre as limitações de um modelo viciado.

O segundo teste é perguntar ao mesmo Nutricionista qual a base científica (evidências!) do lanche a cada 3 horas. Faça isso! Pergunte! Duvide! Duvide sempre!

Uma coisa que sempre falo é que a Nutrição faz uma absurda inversão entre a prática e a teoria. Você deve sempre se basear na prática para entender e criar uma teoria. O carro de F-1 desacelera na brita, por quê? Temos que buscar os motivos. A Nutrição faz o oposto. Se ela defende a teoria de que o carro ganha velocidade na brita, então será isso. Fim de papo, não será necessário medir a velocidade, basta estudar 4 anos e pagar anuidade do CRN que isso vai criar um mundo paralelo onde a vontade por mágica acontecerá. É o pensamento mágico na Nutrição: se ela diz para você comer a cada 3 horas para emagrecer, então não se faz necessário estudos, você irá emagrecer. Se não perder peso, daí será culpa sua.

Reforço, então: pergunte sempre a qualquer nutricionista que faz essa recomendação qual a base científica (estudos bem feitos e controlados). O mundo real irá prová-lo completamente equivocado. Convido você a fazer o teste!

Outra mágica que acontece no mundo que ignora a realidade é a de que o exercício aumentaria o metabolismo basal. O exercício tem incontáveis benefícios, mas um dos mais citados é que ele aumentaria nosso metabolismo em repouso. Assim, praticá-los iria acelerar o quanto você gasta de energia parado e você perderia peso. É algo tão bom que custa a parecer verdade. Ela é a teoria absurda da grama molhada como propulsora da velocidade na bola de futebol. Funciona assim: em um loop infinito você treina, seu corpo por algum motivo divino fica com o metabolismo acelerado, você passa a gastar mais energia, e emagrece. Esse metabolismo acelerado continuaria queimando energia. Não é preciso fazer nada, é um mundo paralelo gerando sua própria energia.

Vou repetir a frase de um amigo que já usei aqui no Recorrido: é muito duro quando a realidade não obedece as nossas expectativas. A miríade de exercícios é incrível! Você tem exercícios de longa e curta duração, intensos, moderados e leves. Cada uma dessas características com infindáveis meio termos. Temos ainda organismos respondendo de forma particular a diferentes estímulos (individualidade biológica) em função de idade, genética, etc. Nessa lógica, bastaria pegar alguém, fazê-la repetir algum exercício em alta intensidade (ex: 5 tiros de 30 segundos com 3 minutos de pausa), dar várias refeições ao dia e ela viraria uma fornalha de queimar gordura. Tudo isso em menos de 20 minutos ao dia! Na verdade, menos de 3 minutos de exercício! Faz sentido para você? Para mim não. O mundo seria inteiro magro se a solução estivesse em 3 minutos e 6 refeições por dia. Na realidade, a prática e estudos nos mostram que esse raciocínio não para em pé! Mas lembremos: eles invertem a ordem de teoria e prática!

Pois quando você se debruça sobre inúmeros estudos controlados e bem feitos você observa pessoas destreinadas realmente treinando e queimando MAIS gordura por horas após o treino (o que é DIFERENTE de um maior metabolismo basal). Mas você também tem muitos casos de pessoas treinadas que têm um metabolismo desacelerado após uma longa atividade aeróbia, por exemplo. Você encontra casos de indivíduos que por compensação queimam menos energia no período de descanso. São respostas diferentes para protocolos bem distintos.

Não existe essa regra simples de exercício como promotor de um metabolismo acelerado. Simplesmente ela não existe!

Isso porque parece que o efeito compensatório é fortíssimo. Treinou muito por muito tempo? Você gasta menos quando está parado. O contrário do que pregam. Isso porque o corpo não é burro. Gastar energia à toa é MUITO custoso ao organismo. Nosso corpo é mais eficiente com o consumo de energia do que qualquer máquina jamais criada pelo homem (a saber, recorrendo à memória, a eficiência térmica até onde me lembro é algo como 25% do organismo contra 8% das máquinas a combustível).

O que precisamos sempre saber é que o corpo sempre economizará energia não importa como. O controle de peso (gordura) tem que ser visto ainda não como uma somatória de calorias ingeridas (alimentação) e gastas (exercício), mas como um controle fino do corpo em função de inúmeros hormônios atuantes. Já por outro lado, a massa muscular da pessoa é controlada (principalmente) via exercício. Você não consegue deixar alguém forte SEM treino, mexendo apenas em sua alimentação. Assim como inúmeros estudos mostram que a pessoa NÃO emagrece se não houver um determinado tipo de intervenção em sua dieta. Resumindo: Gordura? Dieta! Músculos? Treinamento!

Quando então você junta as duas coisas você passa a entender melhor como a tese do exercício para aumentar metabolismo é extremamente limitada. Vamos começar com os destreinados.

O exercício impacta muito na massa muscular da pessoa. Ele gera mudanças em alguns dos hormônios envolvidos no anabolismo (GH, insulina, adrenalina, por exemplo). Uma pessoa destreinada que passa a treinar tende a ganhar massa muscular, afinal, ela estressa o corpo dela com um novo estímulo que irá gerar adaptações (ganho de massa muscular). Opa! Então durante o repouso nessa fase em que ela ainda é destreinada, seu corpo está em um estado de anabolismo que supera o de catabolismo (“metabolismo mais acelerado”). Porém, árvores não crescem até o céu. Com um pouco de prática e tempo, o destreinado vira um… treinado. E aí a coisa “desanda”.

O treinado não tem mais músculos em grandes quantidades a ser ganho. Um treinado que pratique exercícios aeróbios de longa duração sofre comumente do efeito de compensação. Ou seja, durante sua fase de repouso, ele gasta MENOS energia do que o habitual. Porém, não demora quem diga que a musculação acelera o metabolismo e que músculos nos fariam “poder comer mais”. Porém, sucintamente falando: em maior ou menor grau o que te faz poder comer mais é estar sempre treinando!

Assim como uma bola não ganha velocidade somente porque a grama está molhada, alguém musculoso não passa a poder comer mais somente por ter bíceps de estivador. A manutenção da massa muscular conseguida com treinamento gera um gasto enorme ao organismo. Se você não a usa, você a perde! Do contrário, bastaríamos ir à academia dos 18 aos 20 anos e voilà. Largar tudo para sempre! É simples entender isso.

O que é difícil é acreditar que treinar faz o corpo ficar MENOS e não MAIS eficiente. Uma das consequências do treinamento é justamente fazer você gastar MENOS energia em um gesto, ou ainda, produzir mais trabalho com a mesma energia despendida. O delírio é achar que em um estado de equilíbrio (nada do anabolismo de um destreinado) seu corpo fique com a torneira aberta sem razão queimando energia preciosa. Tenha sempre em mente, seu corpo não tem como meta você andando de maiô no verão, mas a sobrevivência!

É bom deixar claro que considero o exercício importantíssimo em uma rotina de hábitos saudáveis. Sua prática regular é muito bem vinda! Mas ela vem junta de mitos. E uma das mais repetidas é o de achar que se exercitar ou comer várias vezes ao dia vem junto com mágica. Não vem. Uma pena. Falo isso com dor no coração, mas não vem.

Etiquetado , ,

8 pensamentos sobre “Sobre metabolismo acelerado, várias refeições e o mundo mágico

  1. Faísca disse:

    Se existisse um campo molhado de SP até RJ, conseguiria fazer uma bola de futebol chegar até lá com apena um chute?

    Curtir

  2. RAFAEL disse:

    “pega no gramado molhado, diminui o atrito e perde menos velocidade”
    isso não seria “‘quase um ”
    “pega no gramado molhado e ganha velocidade”?

    Curtir

  3. Marcel Rodrigues disse:

    Boa Balú! Obrigado pelo excelente texto!

    Curtir

  4. marcosvafg disse:

    Parece que o pessoal dos conselhos de nutrição anda meio sumido daqui… mesmo assim já peguei meu banquinho e fiz a pipoca, esperando a briga começar!

    Curtir

  5. ciro violin disse:

    Balu…. se existem, vc poderia dar alguns exemplos de quais seriam alguns “”mecanismos de ignição”” para o corpo aumentar o metabolismo em repouso?
    Como talvez cafeína por exemplo…

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Existem vários… a cafeina é um, mas não há almoço grátis…. parece que vc não consegue ter um portal de Saúde & Nutrição se não postar a cada 2 meses uma matéria “alimentos que aceleram o metabolismo e te ajudam a emagrecer”… mas qdo vc vai ver, descobre primeiro que o impacto no final das contas é baixo demais (assim como subir escadas gera gasto energético, mas não te faz emagrecer porque é um grão num punhado) e segundo porque esse tipo de estudo geralmente ignora o efeito no longo prazo. O jejum por exemplo, te faz comer mais na 1a refeição pós-jejum, mas no longo prazo emagrece. Dormir menos te dá algumas horas a mais, mas no longo prazo, te faz cair na cama por horas a mais. Não existe mágica, não existe a pílula que vai te deixar ligado e precisaremos dormir somente 3h por dia e levar uma vida saudável. Mas a Nutrição está no Mundo Mágico dela qdo fazer o mais fácil é… simples!

      Curtir

  6. ciro disse:

    Acho interessante o modo que vc escreve. Eu me pego dando mini-risadas-altas, quando leio algo do tipo: “…é um delírio…”, ou, “…teriam o mágico poder de acelerar…”, ou “…esse raciocínio não para em pé…”

    Penso que alguém que orienta ou segue esse tipo de orientação “torta” (de comer a cada 3horas ou de que o exercício aumenta o basal), fica momentaneamente decepcionada ao ler desse modo, acaba se irritando e te critica ou fala que vc é louco ou nunca mais volta aqui no blog.

    É uma droga isso, ja que vc não consegue atingir mais pessoas, apenas por causa do modo de escrever, que é de falar sobre assuntos sérios, mas que de vez em quando tira um sarro.

    Esse modo de escrever ao meu ver é muito bem vindo, pois eu costumo fazer exatamente o mesmo, por isso me identifico.

    Mas existe uma teoria que diz que o entendimento do outro é sempre de quem esta com a palavra….. ou seja, numa conversa ou texto, sempre o que esta falando ou escrevendo tem o dever de fazer o outro ou os outros entenderem, independente da capacidade mental de cada um.
    Então, após explicar algo para alguém, vem em seguida aquela velha frase:
    “Entendeu?”
    Mas que na verdade deveria ser (segundo a teoria):
    “Consegui te passar o que estou tentando explicar?”

    Eu discordo completamente, exatamente porque existem pessoas com capacidades diferentes de entendimento, e cada uma com um tempo para esse entendimento, e a pessoa que explica não tem a obrigação de fazer todos entenderem, ja que ele teria que investir todo o tempo de vida para fazer isso.

    Estou escrevendo tudo isso porque por mais que os textos não consigam atingir mais pessoas, penso que vc deve continuar sendo e escrevendo desse modo.
    Essa ja é uma identidade formada, e vc possui pessoas que se identificam.

    Bom….. só pra terminar.

    Pelo que entendi do metabolismo acelerado, esse comer de 3 em 3 horas, ou se exercitar a cada 3 minutos, existe a visão de que o corpo iniciaria uma queima de calorias e se manteria por inércia queimando e queimando calorias.

    Seria o mesmo que colocar uma bolinha de neve em cima de uma montanha e ela ganharia velocidade e massa e seria muito difícil de para-la por tamanha inércia.

    Foi isso que entendi?

    Se sim, não é possível que exista alguem que acredite nesse tipo de falácia.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Obrigado!! Vou encarar como elogio rsrs

      Eu confesso que escrevo para quem me lê, nao para quem prescreve bobagem…. esse tipo de profissional segue aquilo que aprendeu na faculdade, não vai mudar de opinião comigo… até porque acredita naquilo que seus professores lhe disseram… quem sou eu pra esses?? Seria mta pretensão minha, seria me levar a sério demais achar que eu tenho essa missão de “salvar” mais gente…

      Abrax

      Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: