O CREF é uma vergonha. O CONFEF também!

Vamos ser diretos: o CREF (Conselho de Educação Física) é uma vergonha. O CONFEF é uma vergonha. O CRN e o CFN são uma vergonha. Até o conselho de veterinária é uma vergonha!

Dias atrás soubemos que ao publicitário João Paulo Farias, que dava treinos de basquete de forma gratuita e voluntária a crianças carentes em Recife, foi dada voz de prisão por exercício irregular da profissão.
Ele acabou na delegacia. O que ele, um ex-jogador amador de basquete não sabia, é que uma vez que você não pague um pedágio em dinheiro ao CREF, você não pode fazer o bem. Não importa a quem, para eles a caridade tem que ser taxada e tem que haver pagamento na jogada a um bando de sanguessugas que sobrevive à base de uma lei retrógrada, autoritária, paternalista e corporativista que sustenta os privilégios deles.

abutres2Esses CRNs e CREFs vivem do dinheiro tomado dos outros na marra, à força, sem precisar prestar serviço algum, fundamentado apenas na ideia que eles sabem dizer o que é melhor para você. O CONFEF covardemente silenciou-se, não deu alternativas e deixou as crianças na mão, humilhou o voluntário. Eles acham que somos todos uns incapazes de escolha que tem que sustentá-los.

Como eles lucram e ganham dinheiro com isso, acharam que vale a pena pedagiar até mesmo quem tenta fazer filantropia, ajudar o próximo. Funciona assim: você quer fazer uma boa ação? Ainda assim você precisa pagar em dinheiro esses burocratas.

Quando indagado o que fariam no caso desse treinador, empurraram com a barriga como se não fossem com eles ou como se as crianças pudessem pagar. Canalhas que querem somente o seu dinheiro!

Há basicamente 3 tipos de pessoas que defendem um CREF (ou CRN) obrigatório: o ingênuo, o mau caráter e o corporativista. A exceção que comprova essa regra eu sequer encontrei ainda.

Vagabundos!

Etiquetado ,

20 pensamentos sobre “O CREF é uma vergonha. O CONFEF também!

  1. Thiago disse:

    Faltou falar dos sindicatos que estão ai para “lutar pela sua causa”…

    Curtir

  2. Marcio Manzi disse:

    Parabéns
    Comentário no site original da matéria:

    Sergio Araujo 19/07/2016 at 09:47

    Apenas um complemento, o CONFEF é uma autarquia pública, porém que foi transmitido à iniciativa privada. Nos idos dos anos 90 empreendedores sabichões resolveram aproveitar a intençao do governo FHC de “diminuir” o Estado brasileiro, permitindo que ações de fiscalização profissionais fossem realizadas por terceiros, e criaram o sistema CONFEF/CREF e se aproveitaram do aporte legal criado para exigir que todos formados em EF tivessem que possuir o cref, mas o mais importante é que eles pagassem anualmente o CREF. Na prática o CREF nunca fez nada para melhorar a vida de ninguém. As academias e outras instituições que possuem profissionais trabalhando se utilizam majoritariamente de estagiários contratados, ganhando muito mal e sobre isso o CREF não faz nada! E agora o mais grave é que as práticas corporais tem dono: os professores de Educação Física. O CONFEF serviu aos propósitos da criação de um nicho de mercado. Algo grotesco do ponto de vista da cultura! As práticas corporais são de todos, as pessoas deveriam ser livres para escolherem aprendê-las com um mestre de Capoeira, com uma dançarina aposentada, com uma artista circense, com um ex-jogador de basquete ou com um profissional com formação científica em Educação Física, ou ainda alguém que tenha experiência na prática corporal e feito EF. O profissional de EF deve ser capaz de justificar pq vale a pena fazer aula com ele e não outra pessoa, confesso que em vários casos escolheria outra pessoa. Da mesma forma que uma pessoa deve poder escolher se tratar com medicina ocidental ou com um curandeiro xamãnico!

    Curtido por 2 pessoas

  3. Qualquer sindicato, conselho ou associação de classe só tem como objetivo o corporativismo.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Se você regulamenta a profissão exigindo algum tipo de qualificação mínima vai ter algo tipo CRN. Exigência de nível superior para prescrever dietas é jabuticaba nossa mas nos EUA tem que ter formação técnica para ser “registered dietitian” e na Europa também. Se precisa de formação e registro deve ter algum órgão para fiscalizar isso. Em suma o CRN faz aquilo que foi criado por lei pra fazer.

    Acho que a verdadeira discussão é outra: deveríamos exigir algum tipo de formação para que a pessoa atue como consultor na área de nutrição ou é melhor deixar correr solto? Confesso que não tenho opinião formada.

    Curtido por 1 pessoa

  5. patylrocha disse:

    Obrigada demais por isso Balu. Imagina eu, uma dentista que há pouco acompanhou o escândalo dos desvios de dinheiro nos Conselhos Federal e Estaduais da minha classe testemunhar esse abuso numa região extremamente carente daqui de Recife. É revoltante! Em 21 anos de formada, jamais precisei desse povo pra nada, jamais me senti representada.

    Curtido por 1 pessoa

    • Julio Cesar Kujavski disse:

      Mas eles não são seus representantes, são seus fiscalizadores.

      E você nunca precisou do seu registro do CRO para poder trabalhar ?
      Se sim, “precisou deles”.

      Ou você encararia o mercado de trabalho sem ter CRO e concorrendo com qualquer pessoa que quisesse abrir um consultório de dentista sem precisar ser formado e sem ter registro ?

      Curtido por 1 pessoa

      • Cesar Augusto Martins disse:

        Concordo, JC. Está meio difícil encontrar algum órgão do governo que as pessoas não classifiquem de “vergonha”, mas não podemos cair no erro de achar que eles não sirvam pra nada.
        Acho que há argumentos mais fortes ainda que esse que você colocou. Eu gosto de pensar pelo lado do cliente/consumidor do serviço. Se, por exemplo, você contrata um contador picareta e ele lhe causa um enorme prejuízo. Se esse picareta tiver registro profissional no CFC/CRC, você pode recorrer à justiça. Uma vez comprovado que ele descumpriu alguma lei, norma, código de ética, confrme regulamentado e fiscalizado pelo CFC, ele sofrerá as consequências, que vão até a perda do registro ou além. E se esse picareta não tiver registro? Como fazer justiça? Resposta: se o registro for obrigatório o picareta responderá por exercício ilegal da profissão. Beleza, justiça garatida. O ponto agora é: e se o registro não fosse obrigatório? Ferrou. Você que contratou o serviço que amargue o prejuízo. E o picareta ainda continua impune, prestando serviços e prejudicando outros clientes eternamente.

        Curtir

      • Danilo Balu disse:

        1. Meu pto é ser obrigatório.
        2. Quero ter direito de me tratar com quem quiser.
        3. Se intitular dentista sem ter estudado odontologia é uma farsa. Nos casos citados ninguém fez algo assim.

        Curtir

  6. Cesar Augusto Martins disse:

    …acrescentando ao que eu disse acima, imaginem se o prejuízo que o picareta causou foi a morte de um paciente, durante uma cirurgia médica ou dentária. E se for a morte de um diabético, por conta de uma prescrição/dieta errada de um nutricionista picareta? Nesse caso não seria importante que o registro fosse obrigatório? Não sei em qual grupo vocês vão me colocar, se no do ingênuo, do mau caráter ou do corporativista. Mas nesse caso sou à favor de que o registro do nutricionista (CRN) seja obrigatório.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Vamos deixar os médicos de fora, porque eles na saúde são de fato importantes. O CRN é obrigatório, mas vc pode continuar a contratar/consultar um profissional que tenha CRN… Ninguém está dizendo que vc não possa! É sobre poder, não dever. Tire a obrigação e para vc como cliente não muda nada!
      Hj a diretriz para tratamento da diabetes, por exemplo, (e me prendo a ela porque foi o exemplo usado) é contra QQ lógica. Vc contrata um profissional que tem que seguir a lógica torta, e caso ele tente uma abordagem low carb (em diabéticos!), ele vai contra essas associações. Associação é como uma empresa QQ, ela visa o lucro. É ingenuidade achar que ela está preocupada com a sua saúde.

      Curtir

      • Cesar Augusto Martins disse:

        Não sei se você entendeu o que eu quis dizer. Ambos somos à favor da livre escolha. A questão da obrigatorieade surge naquelas funções que exigem mais responsabilidade. Aquelas com maior impacto, que causam prejuízos econômicos e sociais maiores. Estas têm que ser tratadas com maior seriedade, organização e leis para se promover um nível de justiça que atenda às demandas da sociedade.
        Sobre as diretrizes… este é um outro ponto, totalmente separado. Cabe ao órgão atualizá-las constantemente, discutindo com os próprios profissionais da área. Essa atualização implica também na atualização de toda a regulamentação (leis, normas, código de ética) a que estão sujeitos os profissionais da entidade. Ora… se isto não está sendo feito, no caso do CRN, então a crítica deve girar em cima deste ponto e não da obrigatoriedade.

        Curtir

      • Danilo Balu disse:

        QQ um pode dizer que se acha essencial… Veja bem, no nordeste agora há um Sindigelo que regulamenta a produção de gelo. Vc paga a mais obviamente. Tem tb profissão de DJ regulamentada. Todo mundo se acha especial e fundamental, basta um lobby para aprovar a lei. A obrigatoriedade não dá opção ao cliente porque ele não tem onde consultar alguém fora da panela. O CRN não PRECISA ser atualizar nem o QUER porque já tem uma lei que dá segurança outra fazer QQ bobagem e ganhar um dinheiro sem precisar fazer nada.

        Curtir

  7. Cesar Augusto Martins disse:

    E… eu disse que acho que você não me entendeu, pois note que eu de fato “tirei a obrigatorieade do CRN” durante o meu raciocínio e o resultado que encontrei foi “nutricionistas picaretas matando diabétcos impunemente”. Daí eu ser à favor da obrigatorieade, neste caso.

    Curtir

  8. Julio Cesar Kujavski disse:

    Falando em sindicatos, concordo que mudanças são necessárias no sentido de modernizar o aparato sindical, mas ele não pode acabar, pois os empregados mais vulneráveis precisam sim do sindicato, pois o capitalista (empresário) não dá nada de graça pra ninguém, muito pelo contrário.

    E pra quem vive falando mal de sindicatos eu pergunto: Você gosta de receber 13 salário ? Gosta de ter férias de 30 dias mais 1/3 do salário ? Gosta de ter FGTS ? Gosta de ter multa rescisória do FGTS quando vc é demitido ? Vc abriria mão de receber seguro-desemprego se ficasse desempregado ?

    E você acha que esses direitos caíram do céu ? Ou estes direitos existem porque os empresários são bonzinhos ?

    Ou foram conseguidos com muita luta, greves e negociações por parte dos sindicatos ?

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Para, Julio! Isso não é conquista de sindicato! Pelo amor!! Sindicato obrigatório é CONSEQUÊNCIA de leis trabalhistas! Pode ter trinta sindicatos por categoria… Estou nem ligando. Mas quero eu escolher pra qual eu me afilio SE me filiar. De tudo o que vc falou aí queria eu que fosse conquista sindical… E FGTS, se pudesse, eu seria o primeiro a cair fora!

      Curtir

  9. Bruno disse:

    Ótimo texto, Balu.

    Também me senti muito mal ao ler tal matéria, visto que conheço a realidade das crianças daqueles bairros. Valorizo muito qualquer atitude que uma pessoa tome a fim de ajudar às classes mais necessitadas.

    Mas acredito que o CONFEF acha melhor deixar essas crianças na rota do crime…

    Conselhos são máquinas de arrancar dinheiro de quem trabalha de verdade.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: