Leituras de 2a Feira

A maioria deve saber que correr com número de outro corredor é algo que as organizadoras não permitem. Há, PRINCIPALMENTE, a questão da classificação (por sexo e faixa etária), além da questão de segurança (a quem avisar no improvável caso de ocorrência médica?). Aquela pessoa mais quadrada vai falar que é errado e pronto. Por trás de tudo há uma questão menos nobre, menos admitida: a venda paralela de número é algo que as organizadoras não gostam porque é você comercializando um produto DELA repassando a eles o custo administrativo (trocar os dados, por exemplo). A Runner´s World trouxe um artigo que revela muito o prejuízo com o comércio clandestino com ágio, além dos trapaceiros que querem alguém correndo com o nome deles. A corrida une do melhor e do pior.

Ray Charbonneau escreveu um texto interessantíssimo sobre ritmo na maratona! Ele vale MUITO ser lido porque o autor sempre pensa de forma bem interessante, fora da caixa, mas sem perder a lógica. Seria mesmo a melhor estratégia um ritmo uniforme ou split negativo em amadores nos 42km??

Matéria do The Wall Street Journal tenta explicar como a corrida foi dominada pelo público feminino nos EUA. Aliás, a regularidade com que a corrida aparece no veículo mostra que lá isso é negócio sério!

Aqui o vídeo com os melhores momentos de um dos meetings mais importantes e tradicionais do atletismo, o tcheco Golden Spike.

Ao pessoal da trilha, aqui o vídeo do La Transvulcania. E ainda, uma dica do Alê Augusto com o vídeo do Ultra Fiord que ele vai correr ano que vem.

A Meia Maratona Rock n´ Roll Dublin é BEM bacana. A organização lançou um curto teaser!

Etiquetado ,

13 pensamentos sobre “Leituras de 2a Feira

  1. Balu e demais colegas, saudações!

    Essa discussão já surgiu num grupo do facebook. Minha opinião é: você paga a inscrição com meses de antecedência. Se tiver um problema e não puder correr, mesmo que seja um mês antes, não consegue devolução do dinheiro e, segundo os organizadores, não pode repassar a um terceiro. Pra mim essas cláusulas são abusivas e violam o o código de defesa do consumidor.

    O problema é que nós, corredores, somos muito passivos, vivemos relax com a cabeça cheia de endorfina. Se metade dos corredores prejudicados nessa brincadeira metesse um processo depois de cada corrida os organizadores mudavam de comportamento rapidinho.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Eu sempre acho que deveria haver como mudar… Se não há como, eu corro sem nenhum remorso… Mas é um jeito de vc se proteger como organizador… Acho que cabe uma taxa de administração pra evitar má fé.

      Curtir

  2. Daniel disse:

    Show!! Irei correr esta prova em Dublin este ano!

    Curtir

  3. Julio Cesar Kujavski disse:

    Sempre que alguém fala que fez o tal split negativo e fica todo orgulhoso por causa disso eu penso: Se fez split negativo (às vezes “bem” negativo”) provavelmente poderia ter feito um tempo melhor se não tivesse economizado tanto no início da prova.

    Não dá pra recuperar o tempo perdido quando se larga lento demais, mesmo com o split negativo.

    Curtido por 1 pessoa

    • Hélio Shiino disse:

      Mas que o split positivo é difícil, ah isso é!

      É tão dificil que se no split negativo, eu fazendo, por exemplo, 1ª 1/2 a 4’30 e a 2ª 1/2 a 4’25, equivaleria a fazer 1ª 1/2 a 4’25 e a 2ª 1/2 a 4’30 no split positivo, eu não consiga fazer isso na 2ª 1/2 do split positivo, e acabe fazendo a 2ª 1/2 a 4’32, por exemplo. Ou seja, 2” mais lento que o planejado…

      A gente sabe que no split negativo, a 2ª metade é para fazer cruzando o pórtico na “pane seca”. Imagine fazer isso já na 1ª metade. É altamente sabotador! É o ingrediente para se quebrar no meio de uma prova! Mas tudo é questão de treino e as condições no dia da prova.

      (Eu sempre imagino assistindo a São Silvestre e vendo os líderes subindo a Brigadeiro a 20~21km!!!!!!! São Super Homens!!!)

      Será que não se aplica outras estratégias como split progressivamente negativo, split progressivamente positivo, fartleks positivo, fartleks negativo etc??? Ou ainda aquela dos tiros de split progressivamente negativo/positivo a cada 1k em uma prova de 5k. Tiros de split progressivamente negativo/positivo a cada 2k em uma prova de 10k.

      Eu, geralmente, aplico os fartleks de ligeira duração de split progressivamente negativo. Eita termo complicado! Split positivo, comigo, não tem como rolar!

      Curtir

  4. Alessandro Augusto disse:

    Balu, já estou treinando sério pra Ultra Fiord ano que vem. Enquanto minha filha nao nasce, tenho colocado 1 saco de 10kg no carrinho do nene (simulando o peso dela na epoca da prova) e temos feito muita trilha e single track em alta velocidade. Estou tendo dificuldade pra passar com o carrinho de nene dentro dos corregos de rio cheio de pedra. Alem disso nao consigo encontrar roupa pra recem nascido se proteger da neve, acho que vou ter que pedir pra voce trazer de Dublin. kkkkk

    Aproveito pra confirmar que já estou inscrito nos 3km de caminhada da Disney Run, nos 2.5km revezamento em familia e tambem na caminhada 6km da Pepa´s run.

    Tamo junto!

    Curtido por 2 pessoas

  5. Igor Oliveira disse:

    Balu, eu não vejo qual o grande problema em alterar o nome em uma inscrição, é tudo uma bendita planilha, que se bobear, num excel, que a empresa não perderá 3′ em fazer a alteração do cadastro do corredor.

    E outra, botando nisso, quantos % que realmente fazem essa troca? 1% dos corredores na prova? O trabalho da organizadora é ínfimo.

    Imagina pra uma maratona, a pessoa treina 4-6 meses pra prova, acontece alguma coisa faltando 1 mês pra prova e ela não poderá fazer a prova, o que ela fará com 150 reais? Jogar fora? Perdeu? Não tem chance de mudar pra uma outra prova da mesma organizadora? No ano seguinte? Tomei um preju e a organizadora ganhou um dinheiro fácil meu?

    Se eles deixassem claro que a pessoa tem até 15 dias para efetuar a revenda ou devolver a inscrição mediante alguma justificativa plausível, seria ótimo.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      É um trabalho que não é tão íntimo assim (não é um excelzão) e que alguém que não trabalha de graça terá que fazer. O problema não é esse. Veja a Golden Run Brasília, ST e a Meia do Rio… Tem mta gente querendo fazer dinheiro revendendo… É proteção do dono do evento. Tinha que ter uma taxa de uns 30%…

      Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Já reparou que vc acha normal o hotel e a empresa aérea não mudarem a reserva?

      Curtir

      • Quando você reserva hotel em geral não paga antecipado. Liga, cancela e fim. Só paga alguma taxa se o cancelamento é em cima da hora. Quando há pagamento antecipado é moleza transferir para outra pessoa, eu mesmo “comprei” um pacote de carnaval que um amigo tinha reservado (ele tinha dado metade do valor de sinal) e não pôde ir por problemas de última hora. Foi só avisar a pousada da mudança do nome do hóspede e fim de papo.

        Cia aérea troca a reserva mas cobra uma taxa. O problema é que se você compra a passagem com antecedência (ou seja, mais barato) essa taxa é altíssima. Mas mesmo isso tem sido revisto pelo Judiciário.

        Curtir

      • Danilo Balu disse:

        Eu sei de tudo isso, assim como sei que tem mta corrida que troca na boa os dados rsrs

        Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: