Leituras de 5a Feira

20 sinais de que você praticou atletismo (de pista)… a 20a é a melhor e a mais correta de todas…

Mais uma vez o Corrida no Ar e a Raquel Castanharo com um vídeo bem interessante e didático: as palmilhas funcionam? Acho que vocês devem saber minha opinião…

A ex-maratonista britânica Mara Yamauchi resolveu colocar em seu blog um post bem interessante explicando o porquê nem sempre os atletas resolvem comprar publicamente briga na luta contra o doping. Você pode concordar ou não, mas ela tem pontos bem interessantes.

O monstro Toni Reavissua longa explicação do porquê a corrida no amador explodiu em um mercado enorme, mas no profissional se afundou e patina. É a sua Teoria dos Incentivos Perversos.

Uma corredora teve uma ideia simples: treinou com seu cachorro e ambos marcaram em GPSs individuais o trajeto. Ela correu 8,8km. O cachorro? 1,7km a mais! Divertido!

Mês a mês 25 de algumas das melhores e mais tradicionais provas americanas!

No Inside the Games Philip Barker faz uma recapitulação com alguns dos grandes filmes retratando atletas olímpicos. Por ele fiquei sabendo também de um filme (trailer abaixo) que contará mais uma dessas grandes histórias! Já está na lista ds filmes a serem vistos!

Etiquetado ,

8 pensamentos sobre “Leituras de 5a Feira

  1. Adolfo Neto disse:

    Legal o texto sobre competição vs. corridas para amadores. Gostei porque não é apenas lenga-lenga do tipo “no passado é que era bom”. Ele tenta dar sugestões que funcionem para os dias de hoje.

    Nos comentários tem duas coisas que gostaria de destacar. Uma com a qual concordo:

    Competição entre equipes é o que realmente funciona:
    “The professional side of the sport is just a bunch of elites who, as far as the public AND the mass of amateur runners are concerned, seem like figures seen through a fog while gazing steadfastly at their own navels. It’s been proven over and over that TEAM COMPETITION attracts viewers, nothing else. Hence the Olympics are track and runing’s only big draw.”

    Outra com a qual não concordo:
    A corrida para amadores que não gostam de correr chegou para ficar e isto é ruim.
    “And, as you all know, back in those days, there was one qualifying time standard for both men and women: one, that was it. You either ran that time and got your ticket to Boston or you didn’t. The race was revered and respected and people knew that when you qualified for Boston, you were a runner.

    But then Jeff Galloway (I know I’ll get blowback from this, but I stand by what I believe) came along and convinced people that they could walk/jog, walk/run a marathon as fast as they could run without slowing their pace; races decided to partner with charities so that a lot of people were getting involved in road racing whose primary goal was to raise money, not to compete, and because people were running much slower, it became necessary to provide entertainment along the course so the walkers and joggers would have something to keep their mind off the fact that they were on their feet for hours.”

    Curtido por 1 pessoa

    • Carlos disse:

      No livro que o Balu indicou 2 dias atrás (The Way of a Runner, de Adharanand Finn) relata a febre que são as corridas em equipe, “ekidens”, no Japão, há uma prova de 2 dias (Hakone) com transmissão ao vivo pela TV e com grande audiência.

      Curtir

  2. Ralph disse:

    Sobre o filme, o “Eagle” tem uma toda uma representatividade na biografia dele, mas, mais uma vez, o filme chega no Brasil com o nome de “Voando Alto”, ignorando totalmente o “Eagle”….

    Curtir

  3. Julio Cesar Kujavski disse:

    Balu, permita-me o off topic.

    O que vc acha de mortes em corridas ?

    Não se passa 2 meses sem que eu veja um caso no Brasil
    Infelizmente temos mais um, e dessa vez aconteceu com um corredor muito bem condicionado.

    http://zh.clicrbs.com.br/rs/esportes/noticia/2016/02/corredor-que-disputou-o-ttt-morre-apos-prova-4967568.html

    Curtir

  4. adrianapiza disse:

    Gostei da corredora com o cachorro. Há uns dias atrás, vi uma pessoa tentando correr no parque com seu labrador obeso, na coleira…o cachorro corria 5 metros e estancava, e virava de lado para ficar mais difícil de ser puxado. A corredora sabe o que fazia? Ficava dando pulinhos no lugar, como quando está no farol vermelho. Que cena!!
    Na verdade os cães (ativos) normalmente tem outro ritmo, não seguem correndo por longas distâncias num ritmo constante, estão sempre correndo mais rápido do que nosso trote, mas de pouco em pouco dão uma pequena pausa. E claro, sempre fazendo um percurso maior, atraídos pelos diferentes cheiros do caminho!
    Por isso correr com cachorro na coleira nunca deu muito certo.

    Curtido por 1 pessoa

    • Vinicius Morais Nunes disse:

      Adriana, você precisa conhecer o “negão” cachorro do Giliard. Esse corre muito e sempre na frente dele. Pensa ele fez inúmeras vezes o K-42, sempre ganhado do Gili. hehehehe

      Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: