Leituras de 3a Feira

Na Canadian Running 7 das mais diferentes pistas de atletismo do mundo!

E aqui a edição de janeiro/fevereiro da revista digital gratuita Level Renner.

Uma curta reportagem (9 minutos) completamente reveladora explicando o porquê NADA do que vem da Rússia, WADA ou IAAF deve receber nossa total confiança. É desanimador…Não acredite em nada, duvide de tudo.”

Pode parecer decepcionante, mas é o seu cérebro (não seu corpo) quem faz você parar ou reduzir o ritmo na corrida. Aqui uma matéria que didaticamente fala sobre o assunto e dá dicas.

Vou citar (de forma reduzida, editada e com ênfases minhas) uma passagem fantástica em Anti-frágil de Nassim Taleb e depois volto ao assunto do vídeo: Uma vez eu quebrei meu nariz… andando. Por uma questão de antifragilidade, claro. Eu estava tentando andar em superfícies irregulares, como parte do meu programa de antifragilidade. Infelizmente, eu estava carregando algo muito menos ancestral, um telefone celular, que teve a insolência de tocar no meio da minha caminhada. Na sala de emergência, o médico e a equipe insistiram que eu deveria aplicar gelo em meu nariz. No meio da dor, me “caiu a ficha” que o inchaço que a Mãe Natureza me deu foi certamente não causado diretamente pelo trauma. Ele foi a resposta do meu próprio corpo ao prejuízo. Pareceu-me que era um insulto à Mãe Natureza substituir suas reações programadas a menos que tivéssemos uma boa razão para o fazer, apoiada por testes empíricos adequados para mostrar que nós, seres humanos poderíamos fazer melhor; o ônus da prova recai sobre nós seres humanos. Então, eu murmurei na sala de emergência ao médico se ele tinha alguma evidência estatística dos benefícios da aplicação de gelo para o meu nariz ou se resultou de uma versão ingênua de um intervencionismo. Sua resposta foi: “Você tem um nariz do tamanho de Cleveland e agora está interessado em… números?” Lembro-me no meu vago pensamento de que ele não tinha resposta. Efetivamente, ele não tinha resposta, porque assim que eu acessei a um computador, eu era capaz de confirmar que não há nenhuma evidência empírica convincente da aplicação do gelo em favor da redução de inchaço. Pelo menos, não fora dos casos muito raros, em que o inchaço iria ameaçar a vida do paciente, o que claramente não era o caso. Era puro racionalismo vagabundo da cabeça dos médicos, seguindo o que fazia sentido para os seres humanos inteligentes limitadamente, juntamente com o intervencionismo, esta necessidade de fazer alguma coisa, este defeito de pensar que nós sabemos melhor. Este defeito não se limita ao nosso controle de inchaço: esta confabulação assola toda a história da medicina, juntamente com, naturalmente, muitos outros campos de prática. (…) A responsabilidade recai sobre os médicos para nos mostrar por que reduzir a febre é bom, por que tomar café da manhã antes de fazer atividade física é saudável (não há provas), ou por que fazer sangramento em pacientes é a melhor alternativa (eles pararam de fazer isso). Às vezes tenho certeza que eles não têm ideia do que falam quando eles têm de pronunciar defensivamenteEu sou médico” ou “você é médico?.

Voltei. O Corrida no Ar trouxe um vídeo (abaixo) com a fisioterapeuta Raquel Castanharo falando sobre aplicação de gelo/calor em corredores lesionados. A doutora é especialista, eu não, mas minha “filosofia” é: aplique gelo apenas em lesões agudas (“momentâneas”) que dóem e/ou interferem em sua rotina imediata, jamais faça disso uma prática em lesões crônicas. Mas Taleb é cirúrgico: o profissional de saúde quer, ele PRECISA intervir, é ISSO que esperamos e queremos deles, ainda que seja muito PIOR a nós. Alguns estudos vão dando sinais que gelo rotineiramente PIORA nossa capacidade adaptativa, mas você não terá trabalho algum em achar (e pagar, lógico!) um profissional que dirá para você que gelo é uma rotina saudável na corrida.. Veja o vídeo! Ele questiona muita bobagem que você ouve!

Etiquetado ,

23 pensamentos sobre “Leituras de 3a Feira

  1. Julio Cesar Kujavski disse:

    Balu, acho que é meio off topic, mas estão dizendo por aí que o baixíssimo rendimento e a (ainda) não obtenção do índice olímpico do Cesar Cielo se deve, entre outras coisas, à adoção de dieta com restrição de carboidrato, que ele fez em fevereiro de 2015.
    Por essas e outras ele voltou para os USA para ainda ter tempo de tentar o índice…

    Curtir

  2. Ralph disse:

    Antifrágil é sensacional!

    Curtir

  3. Adolfo Neto disse:

    O post de hoje está ótimo! Já compartilhei. Pena que estou sem tempo para comentar mais a fundo. Só queria dizer que o simpático casal russo é muito bem vindo aqui em Curitiba!

    Curtir

  4. Camila Rosa disse:

    Parabéns pelo post de hoje, Balu! Excelente! Acho muito interessante a “Teoria do Governador Central”. Fiz meu TCC sobre isso (há 10 anos), e apesar de o Noakes ter recebido muitas críticas sobre o modelo, acredito sim que exista essa relação. Um abração!

    Curtir

  5. adrianapiza disse:

    Seguindo sua “filosofia” ou as recomendações do vídeo da Raquel, o Nissim Taleb deveria sim então colocar gelo em seu nariz … rsrs. Quem sabe teremos ainda no futuro evidências de que o gelo não é benéfico em situação alguma…( na minha modesta opinião diria que em algumas situações nosso organismo “exagera” na resposta, mas ao mesmo tempo e com isso aprendemos a querer intervir a toda hora, e não aceitamos nenhum desconforto, por menor que seja).

    Curtir

  6. Nishi disse:

    Outra coisa. Não é exatamente um pista de atletismo, mas o Clube Tietê tem uma raia dupla de corrida bem diferentona…

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: