Leituras de 5a Feira

A Canadian Running postou a 2a e última parte de uma entrevista com o lendário treinador Jack Daniels, autor de um dos melhores livros técnicos sobre corrida! *aqui a parte 1.

A Strava publicou as melhores fotos de corrida de 2015 e as histórias por trás delas. Vale muito a visita! *dica excelente do Adolfo Neto!

Tempo atrás falei sobre não precisarmos de justiceiros das corridas. Por quê? Tenho calafrios de quem quer nos proteger e não tem autoridade (moral ou técnica) para isso. Sempre há a enorme tentação de querer mais e mais, é inerente. Aqui um texto da Outside falando de como um dos maiores sites de corridas tem uma comunidade que mantém vigilância ferrenha contra trapaceiros. *dica do Luis Oliveira.

Gretchen Reynolds no The New York Times vem recentemente nos brindando com bons textos sobre saúde e exercício físico. Em uma recapitulação de textos de 2015 ele nos chama atenção para um aspecto que não escrevo muito aqui, mas foi destaque ano passado: como parece haver uma correlação importante entre atividade física (corrida!) e (boa) saúde mental.

No The Washington Post uma matéria falando sobre o Park Run e seu incrível crescimento sob as asas do fundador Paul Sinton-Hewitt. Aos leitores que ainda não conhecem o circuito, essa é uma corrida de 5km que acontecem por parques ao redor de 11 países aos sábados pela manhã. O evento virou um mamute! *dica do Adolfo Neto.

Com a provável mudança dos 1.500m para a Milha no NCAA (EUA), mais um autor tenta explicar a opção pela mudança americana.

Está virando mania corredores desafiarem metrôs ou ônibus em corridas por cidades grandes. Aqui 2 malucos convidam triatletas medalhistas olímpicos para irem de transporte público enquanto eles nadam, pedalam e correm pelas ruas de Londres! Muito bom! *aqui mais detalhes!

Etiquetado ,

2 pensamentos sobre “Leituras de 5a Feira

  1. adolfont disse:

    Eu acho que algumas pessoas levam corridas de amadores a sério demais: querem troféu, querem prêmio em dinheiro, etc. Mas como dar prêmio em dinheiro se sabemos que alguns se dopam? E anti-doping tem um custo muito alto para ser implementado em corridas para amadores (como são a maioria das corridas nos EUA e no Brasil).

    Com relação aos caçadores de trapaceiros, em parte acho exagero. Mas, por outro lado, acho bom. Até por que eu nem imaginaria que este tipo de situação acontecesse se não fosse esse pessoal que se preocupa com isso e divulga.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: