Leituras de 4a Feira

Na The Japan Times uma belíssima matéria com depoimentos de um dos fotógrafos mais experientes e vividos do atletismo. As curiosidades e passagens são ótimas para quem gosta de alto nível e história!

Eu acho que deixei passar esse texto em 2015. TEM que ser lido! NÃO apenas pela defesa da corrida descalça, mas como “filosofia”, reforça a importância do minimalismo para treinarmos aquilo que os tênis não “deixam” você treinar.

A Runner´s World fez duas matérias interessantes com resumo de 2015. Em uma delas nos relembrou de pessoas importantes ao atletismo (atletas ou não) que deixaram essa vida. E em outra listou o que foi destaque em 2015. Ambas matérias com um cacoete que é MUITO seu costume: ligeiramente excessivamente americanizado. Mas eles estão para o atletismo/corrida o que estamos para o futebol…OH ESPERA!

Leitura Obrigatória - BLOGLeitura Obrigatória: Será que treinar de menos também pode ser estressante? Um texto de Steve Magness que deixa mais perguntas do que respostas (e também por isso é muito bom!), joga munição em uma tecla que bato aqui: temos que TIRAR o conforto de nossa vida esportiva. Por isso que tênis baixo, alimentação intermitente (jejum ou nada de lanche pós-treino), treinos aleatórios, trazem estresse, mas não fazê-los, significa tirar o corpo de um estresse essencial. Magness é leitura sempre obrigatória!

A Canadian Running deu um tapa e repostou 26 coisas que fazem os corredores sofrerem. Vale a leitura!

Uma coisa que chama muito atenção é que como na Irlanda os principais canais transmitem a programação britânica, há uma participação muito grande de Mo Farah e da Jessica Ennis (heptatlo) nos comerciais. Eles aparecem MUITO. Abaixo mais um do fundista. Ele parece o Neymar, faz anúncio de tudo!

Etiquetado ,

2 pensamentos sobre “Leituras de 4a Feira

  1. Temos que tirar o conforto de nossa vida esportiva? Para um atleta de elite profissional até pode fazer sentido, o sujeito quando não está treinando descansa, dorme 9-10 horas por noite e treina com o máximo de volume possível. Para alguém assim mexer nas rotinas de recuperação pode ser útil para produzir um estresse adicional já que é inviável fazer o cara treinar mais.

    Agora para amadores que treinam com menos volume, saem correndo do treino para trabalhar e dormem 6-7 horas por noite me parece meio temerário. A recuperação desse pessoal normalmente já é insuficiente e então vamos tornar ainda mais insuficiente? Não parece fazer muito sentido. Enfim…

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Mas um atleta profissional que investe no conforto poderia treinar ainda mais… E achar que um tênis de solado grosso vai compensar horas de sono é de um otimismo que nem fabricante de tênis defende. Não dá pra trocar maçãs por peras. Não estou falando que um tem que ter conforto e o outro não. Além disso, nosso corpo evoluiu por milhões de anos sem levar em consideração se alguém ia querer ser maratonista amador. Ele funciona de um jeito vc querendo ou não.

      Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: