Retrospectiva – Leituras Obrigatórias! (3/4)

Em uma série de republicações vou relembrar os melhores textos do Recorrido, aqueles que sempre digo que são de leitura obrigatória. Aqui a terceira das 4 partes.

Um texto ótimo com uma visão particular e muito interessante sobre o alongamento no exercício. O texto levanta e questiona pontos bem importantes! Fico feliz por estar na direção certa!

Um finlandês, talvez relembrando os bons tempos do atletismo de seu país, venceu com recorde a prova mais longa do mundo. Essa prova é inacreditável! 3100 MILHAS em não mais do que 52 dias! Isso dá mais de 90km POR DIA em voltas de menos de 1km! Aqui belíssima matéria na Runner´s World!

Um texto do monstro Steve Magness é meio antigo, mas é muito didático ao mostrar o porquê é uma ilusão acreditar em qualquer método de treinamento que trouxe melhora repentina. No começo, amigo, qualquer coisa que você faça dá resultado!

Uma reportagem brilhante veio jogar no ventilador um suposto esquema de doping sistemático gerenciado pelo treinador-sensação Alberto Salazar. E agora? Aqui você vê o vídeo do documentário obrigatório da BBC.

A Running Times em um texto que, apesar de curto, faz uma retomada da carreira de uma das maiores ultramaratonistas da história. É difícil não ler em um só respiro. É de uma simplicidade que nos constrange. Veja!

Para quem gosta do mito Haile Gebrselassie, aqui um texto com passagens e detalhes bem menos conhecidos de sua carreira.

Neste antigo artigo da Go Outside, Alex Hutchison questiona nossa mania da busca pelo conforto e pela recuperação na corrida. Meias de compressão, carboidrato após o treino, gelo, massagem…. isso no longo prazo nos tornaria… PIORES.

Etiquetado

4 pensamentos sobre “Retrospectiva – Leituras Obrigatórias! (3/4)

  1. Balu e demais colegas bom dia!

    O que falta nos estudos sobre alongamento (pelo menos os que vi até hoje) é uma diferenciação entre o grau de flexibilidade prévio entre as pessoas que participam da pesquisa.

    Sabemos que as pessoas diferem muito em sua flexibilidade. Alguns quando dobram a cintura atingem o chão com facilidade outros (como eu) não chegam nem perto. Os efeitos do alongamento são idênticos nos dois casos? Pode até ser mas é algo que, a meu ver, mereceria uma investigação mais aprofundada.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Entendo o seu pto, apesar de achar que as avaliações de flexibilidade estática são próximos do inútil. E as dinâmicas são dificílimas e abrangem uma interação de N articulações, mas entendo seu pto…

      Curtir

  2. Sobre o artigo do Steve Magness e métodos de treinamento: mesmo alguns adeptos do Crossfit Endurance admitem que não é “o melhor” treino em termos de se conseguir máxima performance. O que ele dizem é que os corredores que não aguentam o volume do treinamento convencional e acabam se lesionando podem se sair melhor com um treino que enfatize menos volume e mais intensidade. Para além das bravatas de “sou crossfit portanto sou foda” acho que é mais ou menos por aí.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: