Leituras de 3a Feira

A INCRÍVEL jornada do queniano Sam Chelanga para se tornar um atleta americano. Sua história é quase inacreditável! Demais!

CMxP7ZHUcAA35ptSe você estiver, assim como eu, encantado com o Mundial de Atletismo que está rolando em Pequim, vale sempre colocar os pés no chão. Eu acreditava que os dopados eram minoria. Hoje jogo do outro lado: devem ser ampla maioria. Uma análise muito interessante da Let´s Run de uma matéria do Sunday Times vem revelar o tamanho da sujeira. De 10 a 21 dopados por major acaba medalhando! As provas mais sujas são aquelas nas quais os russos sistematizaram o doping, como a marcha atlética. E o Brasil, sempre desanimador no atletismo, não decepciona! Mesmo sendo um anão nesse esporte, está “bem” no ranking do doping, somos 11º entre os que mais usam o recurso dessa ilegalidade.

Ainda no assunto doping, por que Steve Magness não é tão otimista com a eleição de Sebastian Coe à presidência da IAAF. Ao menos no discurso, até então o ex-recordista mundial não pareceu muito interessado em tomar o lado certo dessa luta.

Um pouco sobre a queridinha americana Emma Coburn que compete em uma das provas mais legais de pista: os 3.000m com obstáculos. Para quem não conhece muitos detalhes da prova, leitura ótima!

Enquanto assiste ao Mundial de Atletismo, você pode rever 10 dos melhores momentos dos quase 40 anos dessa competição.

Uma questão tão delicadíssima que, independentemente da decisão tomada, não há totalmente certo ou errado. Uma atleta que tem naturalmente elevados níveis de testosterona poderia ter liberdade para competir? Uma indiana ganhou passe-livre para seguir competindo com um doping natural. E se todas que têm vantagens exigirem tal direito? Aqui uma análise sobre o tema ardiloso.

Abaixo um vídeo que se visto no monitor, tira o fôlego de muita gente! Meu inclusive! A fera Andreas Steindl encarou 31km com 5 picos de 4.000m em menos de 8 HORAS!

Etiquetado ,

9 pensamentos sobre “Leituras de 3a Feira

  1. anaminarelli disse:

    Show de bola esse vídeo…

    Curtir

  2. Olhando o resultado da marcha de 20 km não tem nenhum russo na prova. foram todos suspensos por doping ? Aliás, excelente prova do brasileiro Caio Bonfim, por 2 segundos não fica em quinto.
    E nas provas de velocidade, é aquilo que eu tinha falado: Nenhum brasileiro passa das qualificatórias.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Os russos estão com um problemão porque o técnico deles está num escândalo de doping…
      E acredita que eu perdi o resultado do Caio Bonfim??? Estou sabendo agora por vc!!! Ele está até então com o melhor resultado brasileiro! Único pontuando! Só a Murer pode fazer melhor!
      E acho que só a Rosângela (100m) fez semi-final…

      Curtir

      • O problema da marcha atlética é que é uma modalidade meio subjetiva, tipo a ginástica artística.

        Alguns são desclassificados por flutuar e acho que vence quem consegue enganar melhor os árbitros.

        Passaram um replay em câmera lenta do vencedor quando ele deu a última volta na pista de atletismo, com a câmera ao lado dele, e em câmera lenta deu pra ver nitidamente que ele flutuava em todas as passadas. É claro que ao vivo é bem mais difícil de ver, por isso digo que torna-se um pouco subjetivo, alguns são desclassificados, outros mesmo flutuando não são.

        Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Ah sim! É uma piada!

      Curtir

  3. Ainda sobre brasileiros no mundial:

    Já estou acostumado com abandonos de atletas brasileiros, mas nossos maratonistas sempre conseguem me surpreender:

    Um deles abandonou antes do km 5, depois falou que já estava machucado antes da prova.

    Outro parou no km 16, na reportagem que eu li estava escrito que ele parou por cansaço.
    Oi ? Maratonista para por cansaço no km 16 ?

    Solonei começou errou a dose e acabou com quase 2:20. Poderia ter feito um tempo bem melhor se não tivesse saído tão forte. Mas pelo menos terminou a prova.

    Curtir

  4. Nishi disse:

    Puta vídeo monstro! Monstro!!!

    Curtir

  5. adrianapiza disse:

    Interessante essa discussão sobre aplicar limite de quantidade de um hormônio para poder competir. Claro, a competição tem que ser de igual para igual….mas isso na verdade não existe! Lembro bem do caso do Eero Mäntyranta, que competia no cross country sky e citado no livro The Sports Gene. Ele tinha uma mutação genética que o fazia produzir muito mais hemáceas que o normal. E aí? Vale? Ou teria que ter um limite máximo também…. É isso que faz muitos atletas serem muito melhores do que outros não? E com certeza é entre os atletas profissionais que vamos encontrar muito mais dessas variações. Assim, não vejo sentido em colocar limites desse tipo. A pessoa nasce assim, tem talento naturalmente não é? É aí que está a graça da coisa, não dá para fazer uma competição com todos com o mesmo nível de hormônios, células vermelhas, hemoglobina….etc. Para mim, é essa variação que permite esses recordes todos (embora ajude também a dificultar o controle anti doping).

    Falando em doping e David Epstein, tem um artigo muito didático falando da dificuldade do controle anti doping, passando pela questão laboratorial mesmo, bem interessante (talvez você já tenha visto):
    http://www.propublica.org/article/speed-bumps-why-its-so-hard-to-catch-cheaters-in-track-and-field

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: