Nutrição é importante demais para ser tocada por Políticos. Ou por Nutricionistas.

Lei manda tirar o saleiro das mesas para reduzir risco cardíaco OH ESPERA!

Lei manda tirar o saleiro das mesas para reduzir risco cardíaco OH ESPERA!

Semanas atrás veio uma notícia inacreditável no Jornal Nacional: os gênios legisladores do Estado do Espírito Santo decidiram proibir o sal à mesa dos restaurantes. Toda ideia esdrúxula que vira Lei deveria ser lamentada, mas não faltaram médicos, nutricionistas, âncoras e “especialistas” saudando uma intervenção excessiva do estado nesse tipo de assunto. A ideia é tão nonsense que está sendo combatida com o melhor do brasileiro, a criatividade: agora penduram saleiros com barbantes para burlar a lei.

Um Liberal pode argumentar que a Lei é errada por interferir na liberdade e no direito de escolha do indivíduo. Já um libertário paternalista dirá que ela é apenas um nudge, ou seja, um empurrãozinho na montagem da disposição das escolhas que temos que fazer, visando nos ajudar inconscientemente e nos incentivar a escolher o melhor, sem tirar o direito final de escolha. Mas essa Lei está longe de ser essa ajuda. Ela é nada mais do que um atestado de como nossos Médicos e Nutricionistas nos tratam mal quando o assunto é Nutrição e Saúde Pública.

Nutrição é importante demais para ser deixada (só) na mão de Nutricionistas.

Reforço, o Nutricionista pode vir defender a lei, mas isso será apenas um atestado de ignorância no tema. Primeiro porque ele sinaliza de como esse profissional da saúde entende pouco sobre o efeito do Sal em nossa Saúde e na incidência da hipertensão. Segundo porque seu silêncio em outras escolhas que ficaram intocáveis, como o açúcar à mesa, mostra do seu total desconhecimento do que realmente afeta negativamente nossa Saúde. *Tempo atrás eu publiquei aqui a fragilíssima tese sobre a qual se sustentam hoje as recomendações de Sal. Basicamente ela se apoia em um único estudo curto e muito mal feito (mas você pode ler mais aqui).

Menos Sal, menor expectativa de vida... que puxa!

Menos Sal, menor expectativa de vida… que puxa!

Terceiro porque um nutricionista (ou médico) que defende a estrovenga late para a árvore errada. O Sal é muito presente em alimentos processados e fast food porque ele dá sabor e é um grande estabilizador. Mas não é o sal o vilão. É como se adicionássemos brócolis em toda comida ruim e concluíssemos que a culpa é do… brócolis! Reforço: é uma tese equivocada em seu âmago que mostra ignorância de quem criou a lei. Porém, quando o nutricionista a defende olhando para o sal é que ele mostra que ele não sabe do que fala.

Ainda no problema do ignorante pró-ativo, no caso o político legislador, surge outro problema: recentemente no Reino Unido debatia-se se professores poderiam confiscar e jogar fora lanches inadequados de crianças. Veja bem, se eu não acho que nem Nutricionista e Político é adequado para dizer o que é bom para nossa dieta, não preciso dizer quão equivocada é essa estratégia de jogar na mão de um professor. Vou reforçar: Nutrição é tão importante que NÃO deveria ser deixada (só) na mão de Nutricionistas. Tão menos de professores e políticos!

Conselhos ruins…

Dois textos me chegaram por amigos e leitores pedindo que eu os lesse. No primeiro, de 10 dicas dadas, pelo menos 7 estão COMPLETAMENTE erradas. Repito: SETE! (*a saber: 6, 9 e 10 corretas). Sabe o que isso significa? Em uma prova do tipo V ou F, a labradora da minha namorada tiraria uma nota melhor se amarrássemos as opções em 2 ossinhos. Um papagaio na feira, aqueles que puxam o bilhetinho ao som do carrinho, também se sairia melhor. Na boa, não precisamos pagar para comer mal, conseguimos fazer isso sozinho sem o CRN para policiar.

Junte-se a esse texto uma coisa horrorosa que saiu no Jornal da Corrida: nele falta lógica da primeira linha ao último parágrafo. É assim que querem dizer o que é melhor para comer?? Não é que seguindo a total falta de lógica da Nutricionista não terminaríamos sequer um treino longo. Se esse mundo fosse real, é a humanidade que não sobreviveria à primeira estiagem milhões de anos atrás! São 2 textos que desrespeitam toda a Fisiologia! TODA!

CG6v2_-XIAEwZQvAlguns aqui no blog queimam a largada ao dizer que tenho problemas com treinadores ou médicos. Nada mais injusto. Só não acho treinador fundamental nem acho que médico tenha carta branca para sair falando e palpitando sobre Saúde. As lógicas das duas categorias geralmente são fragilistas e corporativistas, dois erros em suas essências. Mas assim como tem Treinador que escreve MUITO bem (Steve Magness e Alex Hutchinson são dois), alguns médicos também vão “reconstruindo” a Nutrição tirando dessa lama. Recentemente foi a vez do médico e pesquisador Assem Malhotra vir falar alto algo que ninguém da área da Saúde quer ou gosta de ouvir: fazer exercícios não te fará emagrecer. O que o Malhotra tem dito está alinhado com outros ótimos profissionais, como a nutricionista Zoe Harcombe, que não entende como nutricionistas possam defender o que foi defendido nos 2 textos citados aqui.

Mas foi também um médico, o brasileiro Luis Claudio Correia, autor daquele que é provavelmente o blog de saúde mais pertinente do pais, o Medicina Baseada em Evidências, quem veio tocar no assunto espinhoso: o mito prejudicial que se tem da falsa correlação entre exercício e perda de peso.

Enfim, algumas vezes as pessoas me cobram porque faço críticas sem dar o caminho das pedras, como se existissem. Apontar o errado sem dizer a receita do certo não tira o argumento. É impossível ser sucinto. Mais do que isso, seria picaretagem da minha parte. Mas abaixo vão algumas dicas. Simplificar é errado, lógico, na mesma medida que tornar complexo também o é, como faz muito profissional que quer transformar o hábito de comer de modo saudável uma arte, orientada e paga por uma classe sempre exclusiva, lógico.

CCWKAhPW8AA1tey

Por fim, antes que alguém venha dizer que low-carb é perigoso, deixo aqui 9 mitos sobre a dieta. Os nutricionistas fariam um bem à sua área se investissem mais tempo abrindo a cabeça e contestassem o monte de lixo ensinado na graduação. De outro lado, deixo aqui 10 mitos da Nutrição. Ou então, resumidamente, diria para você fazer o inverso do que sai postado na maioria das publicações de corrida brasileira.

Etiquetado , , ,

7 pensamentos sobre “Nutrição é importante demais para ser tocada por Políticos. Ou por Nutricionistas.

  1. Ralph disse:

    Puxa, estou impressionado do mesmo modo que estou indignado com as referências que você passou. Como a sociedade é enganada, meu Deus do céu !

    Curtido por 2 pessoas

  2. William Fortunato disse:

    Enquanto outros países como os EUA estão alterando drasticamente suas leis e recomendações nutricionais (mesmo a contra gosto de muitos; como indústrias e fundamentalistas ignorantes), aqui nós lutamos para retirar o sal da mesa dos restaurantes. É mais pura ignorância, já que as evidências científicas apontam para outro norte.

    O texto do portal de triatlhon é um verdadeiro ESTUPRO às bases de uma dieta baseada em ciência.

    Lamentável…

    Curtir

  3. Marcio Manzi disse:

    Balu, faça um post com a base da sua nutrição para treinos.

    Curtir

  4. Sobre o artigo Weight Loss, Exercise, or Both and Physical Function in Obese Older Adults do New England Journal:

    – Participants assigned to the diet group were prescribed a balanced diet that provided an energy deficit of 500 to 750 kcal per day from their daily energy requirement.
    – Participants in the exercise group were given information regarding a diet that would maintain their current weight and participated in three group exercise-training sessions per week. Each session was approximately 90 minutes in duration and consisted of aerobic exercises, resistance training, and exercises to improve flexibility and balance. The exercise sessions were led by a physical therapist. The aerobic exercises included walking on a treadmill, stationary cycling, and stair climbing.

    A dieta era bem restritiva e diária, enquanto os exercícios (de baixa intensidade por sinal), apenas 3 vezes por semana.

    Conclusão ? Cada um que tire a sua.

    Curtir

  5. martinhovneto disse:

    Acho que é um dos maiores exemplos de distorção do processo legislativo. Não Balu, ultrapassa o libertário ou o nugde. É a mais plena falta do que fazer do legislativo. Não existe justificativa no mundo que aporte o fato do legislativo mover um processo dos mais caros do mundo, fazer isso passar por várias comissões, ter um parecer, ser apresentado e discutido em sessão para proibir um saleiro em cima da mesa. Só de sacanagem eu vou atrás de uma ADIN.
    Já que é pra gastar nosso dinheiro, que seja de forma plena.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: