Leituras de 2a Feira

Uma matéria no The New Times é tão incrível quanto desoladora… na Rússia, país que forma os melhores marchadores do mundo, se dopar é sistemático e não encontra grande obstáculo oficial.

Um levantamento com Usain Bolt é genial, mas flerta com a ingenuidade. Um dado que ninguém sabia era o grau de sincronismo do jamaicano contra Tyson Gay em sua prova mais rápida. Isso explica muito? Eu duvido… uma amostragem tão baixa requer muita confiança para se afirmar algo assim…

Mais um belíssimo texto do FiveThirtyEight misturando Secretariat, o maior cavalo de todos os tempos, e a evolução humana na corrida de velocidade.

Dificilmente faço nota de falecimento no Recorrido, mas Ron Clarke foi tão dominante, tão incrível, que seria injustiça com ele. O australiano nos deixou semana passada. Detentor de 17 recordes mundiais, 11 deles em um período de apenas 45 dias, o colocam entre os maiores de todos os tempos. Aqui um pouco de sua carreira. E aqui um documentário antigo da BBC que fala sobre o homem que virou mito. *e aqui outro texto ótimo da Running Times também.

Um belo texto do The New York Times para a corredora que exagera ou mesmo usa com moderação o salto alto. *Já reparou como achamos um exagero salto muito alto, mas nem ligamos para o drop dos tênis de corrida??

O desempenho de Usain Bolt neste ano tem sido, na mais contida avaliação, no mínimo frustrante. Aqui um texto em francês com gráficos que enfatizam que o que será do astro em 2015 é um grande mistério…

Abaixo o 5º episódio da sensacional série de vídeos da Salomon Running TV. Vale!

Etiquetado ,

2 pensamentos sobre “Leituras de 2a Feira

  1. martinhovneto disse:

    *Já reparou como achamos um exagero salto muito alto, mas nem ligamos para o drop dos tênis de corrida??
    Perfeita essa observação.
    Acho que isso martela a minha cabeça sempre, agora tava aproveitando essas promoções de tênis da estação passada para comprar novos, cara é muita variação! 14, 16, 18,10, 12, 06, 00, 08. como era muito aleatório fiquei com um tradicional (mizuni prorunner 17, 14.1 mm) e um nike free 5.0 e vou testando.

    Curtir

  2. adrianapiza disse:

    Muito bom e interessante o texto dos cavalos de corrida. Mostra que a parte genética talvez tenha um grande papel nisso tudo. Ao que parece, seria um problema de diversidade genética…foram cruzando, cruzando….não tem mais da onde “surgir” um com maior potencial? Se bobear qualquer dia vão clonar esse Secretariat. Com os bichos, vale tudo, até brincar de Deus ou de Darwin…rs. Imagino se um dia chegaremos nesse ponto com os atletas humanos!

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: