Leituras de 3a Feira

Deixo aqui desde já um material para a semana toda: 10 (curtas) palestras do TED aos mais fanáticos por esporte! Alguns envolvem corrida!

A atleta olímpica britânica Julia Bleasdale teve uma ideia muito bacana ao fazer um vídeo curto e LINDO com treinos na África do Sul. Veja aqui! Antes ela já tinha feito o mesmo em dezembro filmando treinos no gelado inverno de Londres.

Tempinho atrás cheguei pela Adriana Piza ao Daily Track Pic, cujo nome do site é autoexplicativo. E comentei que as duas das pistas mais lindas não estavam listadas lá. Seguindo minha dica, ele postou sobre uma aos pés da Torre Eiffel e prometeu em breve falar da outra. Lisonjeado.

Longa Leitura do Dia: Você pode querer provar muito do domínio jamaicano na velocidade pela genética, ou pelos métodos de treinamento, ou por uma suposta geração vencedora. Mas assim como no caso Futebol-Brasil e Maratona/Quênia, você não pode ignorar o imenso peso social do esporte como propulsor na ascensão social do atleta. Aqui uma ótima matéria no The New York Times sobre um dos principais torneios locais que revela o futuro do atletismo local.

Um infográfico já citado que é importante que seja sempre lembrado: 10 razões pelas quais os corredores não correm devagar mesmo quando sabe que deveriam.

O compromisso do Recorrido é sempre com a notícia, só isso! Aqui mais um vídeo “interessante” com a barreirista australiana Michelle Jenneke que ficou famosa por atributos fora da pista…

Uma ativação simples e interessante tentando promover o turismo canadense que receberá este ano os Jogos Pan-Americanos. Abaixo você tem o da atleta local Kate Van Buskirk. E aqui o do cadeirante Isaiah Christophe.

Etiquetado ,

6 pensamentos sobre “Leituras de 3a Feira

  1. Pedro Ayres disse:

    Arrisco dizer que de todas as razões para não correr leve, a pressão social é das que mais pesa. Ninguém quer parecer fraco, parecer lento. Pouquíssimas pessoas tem a grandeza de não ligar para o julgamento dos outros. E a verdade é que ninguém sabe da história do outro, mas está sempre com o dedo podre apontando e julgando. E se aquele corredor “lento” está se recuperando de uma lesão, ou simplesmente não quer correr rápido? E se aquela pessoa com sobrepeso deu o primeiro passo para ter uma vida mais ativa (não que o exercício em si emagreça de forma linear, mas a mudança de hábitos já é um começo). Fantasiamos até sobre o nosso desempenho sexual, afinal somos amantes latinos, quando na verdade desconfio que muito desempenho deixa a desejar (com a palavras as mulheres…). Somos guerreiros, e correr mais lento é crime de lesa-auto-estima, não importa as circunstâncias!

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Putz, não podia concordar mais!! Eu consigo correr leve qdo estou machucado ou dolorido em um treino corujão, mas qdo chego na USP ou algum amigo acompanha no Ibira, acabo indo mais rápido… maldito ego!!!

      Curtido por 1 pessoa

    • Ciro Violin disse:

      A corrida não pode ser considerada esporte. Todos os outros, sim, pois foram inventados. A corrida não! Ela faz parte da evolução do ser humano, e se estamos aqui, foi com a ajuda dela. O que fazemos hj na corrida esta muito longe do que nosso corpo evolui para fazer. Nunca na história corremos rápido, exceto por alguns pouquíssimos minutos em alguma caça ou fuga. Correr por 1h a 3:30 de pace, ou os incríveis 2:55 por 2horas é um salto muito grande, em muito pouco tempo, para o corpo físico que temos, que é praticamente idêntico ao de um ser humano homo sapiens sapiens de 1 milhão de anos. MINHA OPINIÃO é que correr rápido é um idiotice, quando pensamos em nosso corpo. Por isso digo que correr do ponto A ao ponto B o mais rápido possível é idiotice. A ideia é correr na velocidade que vc se sente confortável, mas obrigatoriamente praticando o ato de correr da forma mais correta possível, pisando chapado ou com o 4foot, fazendo os movimentos o mais simétrico possível, para estar em equilíbrio, homogêneo e controlando cada impacto, pois precisamos sim de impacto, mas do impacto controlado. Desse modo nos tornando cada vez mais firmes e fortes e assim teremos longevidade na corrida. Não correremos rápido por 5, 10, ou 42 kms, e sim, correremos quanto quisermos, quando quisermos, onde quisermos por toda a nossa vida. A corrida não deve ser a prioridade. Ela deve fazer parte da engrenagem da sua vida como dormir e se alimentar para que ela te ajude a se manter em equilíbrio ao longo dos dias, para que vc possa conseguir realizar as prioridades que são realmente importantes.

      Curtido por 2 pessoas

  2. Marcos disse:

    Balu, Chegando ao runnersconnect.net por um desses links que postasse aqui acabei me cadastrando e recebi free o livro 16 Weeks to a Faster Marathon. Meu inglês não é dos melhores, mas estou lendo satisfatoriamente (uma grande recompensa do vício na corrida foi melhorar a leitura em inglês – e o recorrido ajuda nisso – valeu!). Não sei se já falasse dessa publicação. Estou achando o conteúdo muito bom! Não é uma publicação estritamente de marketing. Aliás, achei o marketing mínimo. Parece um Daniels Formula objetivado para maratona, com bom conteúdo (Li Daniels em português). Também parece uma boa indicação para quem tem um inglês intermediário e quer se arriscar. Arrisquei e está valendo.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: