Por que as corridas custam (aqui e lá fora) tão caro?

Por causa da temporada europeia, havia poucas provas de asfalto (só trilha!) no meu primeiro final de semana na Europa. Cheguei sábado de tarde em Paris e na manhã do dia seguinte peguei confortavelmente exatos 30 minutos de trem suburbano (RER) até uma cidade vizinha correr uma prova local de 15km. Eu achei que Esbly fosse uma periferia feia. Ledo engano! Corri minha 1a prova desde novembro em um dos cenários mais bonitos e incríveis que poderia desejar. Preço: €8. Reforço: OITO EUROS.

Domingo seguinte em Haia, capital administrativa holandesa, corri o principal evento de corrida da cidade com outros 20.000 inscritos. Preço: 18 EUROS. Seriam €17 se eu abrisse mão do guarda-volumes.

Em algum momento aqui no Brasil nós “decidimos” que organização boa de corrida é aquela que oferece tudo a você, do essencial àquilo que você nunca usa (mas que tem custo!) ou aquilo que está longe de ser algo inerente à corrida. Como se caíssem do céu, optamos por exigir que haja fru-frus e a organização nos ofereça de tudo tudo, de massagem à viseira. O guarda-volumes é um exemplo. Fui taxado por usar, mas foi uma escolha minha. Camiseta? Você decidia comprar ou não. Lanche? Não havia! E olha que estamos falando de um evento que incluía a prova de 21km! Aqui no Brasil reclamam da qualidade do sanduíche ou de haver ou não toalha (?!?).

Já falei sobre isso aqui no Recorrido (e depois aqui também): é fácil reclamar de preços de provas sem saber a base de seu cálculo. Um texto esclarecedor no The Guardian vem mostrar o peso de cada coisa em uma maratona nos lembrando de 3 aspectos que não podem jamais ser esquecidos ao falarmos do assunto: o primeiro é que não há muito estímulo dos consumidores (nós corredores!) para que baixem os preços quando privilegiamos justamente os eventos mais caros, com mais mimos. O segundo aspecto é que a distância da prova em si tem um peso relativamente marginal no custo total. E o terceiro e muitas vezes ignorado é que o valor da inscrição NÃO cobre todos os custos de uma prova.

A base de cálculo que eu sempre gosto de usar é a de 50% do custo é pago com inscrições. No exemplo usado (a Marine Corps, nos EUA) ela cobre pouco mais da metade (U$99 de U$158). Ou seja, é mais uma fonte reforçando o que qualquer pessoa mais sensata entende, prova cheia não é nem de longe certeza ou garantia de lucro alto ou mesmo lucro.

Sim, os custos aqui e lá fora crescem mais rápidos do que a inflação, é uma verdade. Mas no Brasil reclamamos demasiadamente de um mercado que nós mesmos viemos escolhendo desde o princípio, já que nossas corridas não se parecem em nada com que há lá fora! E isso tem um preço…

*dica do PC Braga!

Etiquetado , , , , , ,

10 pensamentos sobre “Por que as corridas custam (aqui e lá fora) tão caro?

  1. Fernanda Rolan disse:

    Olá Danilo, sou leitora do seu blog mas não deixo comentários assiduamente. Moro na Alemanha, no estado do Saarland, o menor estado Alemão, e costumo fazer as provas locais. A prova que paguei mais caro custou 17€ (21 km), e custou este preço pois tem uma estrutura grande com coisas como camiseta, medalha, comida, bebida (cerveja, é claro), guarda volumes, banho para quem quiser, shows e por aí vai. Mas também já paguei 3 € (três Euros) numa prova de 10 km, que teve guarda volumes, água no percurso e no final.
    Os preços, das provas locais normalmente ficam entre 3€ e 10€ e as provas são bem organizadas, você recebe um número, tem seu tempo cronometrado e se quiser pode imprimir um certificado com seu resultado sem custo nenhum.
    Via de regra, os preços das provas locais, não incluem camisetas e muito menos medalha.
    Mas não acho que medalha e camiseta façam alguém mais ou menos corredor.

    Fernanda

    Curtir

  2. otahir borges de macedo junior disse:

    Balu, o preço de uma prova no brasil é um roubo. Mas brasileiro gosta de ostentar e paga, porém, sempre reclama, mas só reclama, e não se posiciona.
    Eu vou a uma prova para me testar, tentar melhorar meu tempo, o resto é só perfumaria.

    Curtir

  3. Ontem corri na cidade de caçador-SC, inscrição R$ 20,00. Veio uma camiseta, mas só porque tínhamos que correr com ela, o número estava impresso.

    Não tinha medalha, apenas troféus para os 3 primeiros na geral e faixas etárias.

    Prova de 5 km, um posto de água no percurso (nem precisava). Na chegada água, banana e maçã.

    E o pessoal correndo forte. Passei os 2 primeiros km com média de 3´31″ e havia uns 30 corredores na minha frente. Com esse ritmo em algumas provas grandes em capitais eu estaria entre os 10 primeiros.

    Nessas provas pequenas o pessoal corre forte sem mimimi.

    Curtir

  4. Pedro Ayres disse:

    Como ir a um show de música ruim sem parecer ter mau gosto? Pagando caro! Como participar de corridas de rua, uma coisa tão simples (um passo após o outro com uma fase aérea!), com tempos risíveis em termos de performance, e ainda fazer tudo isso ter glamour? Pagando caro! Como comer na rua, sentado num banquinho, sem parecer um pobre coitado? Food-truck com comida gourmet, pagando caro! E por aí vai…

    Essa necessidade de se distinguir, de não se misturar com a ralé, impulsiona os preços de tudo. Uma parte da população que QUER que seja caro, para que o evento seja exclusivo, mas não necessariamente quer pagar.

    O público ganha o que pede. Como diria um provérbio chinês, apócrifo ou não, cuidado com o que você deseja…

    Curtir

  5. Gustavo Bianch disse:

    Gosto das provas rústicas daqui de Viçosa, MG. Aquelas organizadas pela associação atlética da universidade costuma ser 10 reais com direito à camisa (tecido de algodão) e água. As organizadas pelo município (dia da padroeira e dia da cidade) são “gratuitas”, ou seja, pagas pelo contribuinte. Tem ainda uma faculdade por aqui que começou a organizar provas também. Preço: 5 reais, mas apenas com água incluso e banana no fim da prova. Todas são de 5k e 10k. Vou reclamar do que? hahaha

    Curtir

  6. Adriana Piza disse:

    Quando vou me inscrever em uma prova, a primeira coisa que verifico é o percurso. O que chama a atenção em algumas provas aqui é que às vezes você vai se inscrever, já tem até foto de todos os ítens do kit, com opções de kit básico e premium (e muitas vezes o básico esgota e só há a opção do premium…) mas ainda NÃO tem o percurso definido ( o famoso “em breve”). Como se o percurso fosse secundário, e o kit fosse a razão principal de se fazer ou não a inscrição.

    E como escolho pelo percurso, ontem fui na T&F Villa Lobos, prova com organização e percurso excelentes, mas com mimos exagerados…e que vem aumentando a cada ano. Muita coisa não usei:
    Estacionamento, fui a pé.
    Guarda volumes, não usei.
    Água no percurso, não peguei.
    2 bananas e 1 maçã, não comi, levei para casa.
    Exageros : o kit tem cada vez mais quinquilharia….dessa vez veio até um porta medalhas, não se o que fazer com isto, as meias, boné, sacolinha, medalha…..além de uns 15 massagistas para te atender no pós prova… todo mundo pingando de suor na fila para receber 10 minutos de massagem. Precisa?
    Preferiria pagar menos e não ter nada disso, mas por opção paguei e fui, pelo percurso e organização.

    Curtir

  7. Cesar Caseiro disse:

    Balu, fiz a inscrição para a UAE Healthy Kidney, prova de 10k no Central Park, organizada pela NYRR.
    Preço: US$33.

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: