Leituras de 2a Feira

Acho que todo mundo aqui entende a importância do horário para competirmos bem. Finalmente aparecem provas. Texto do The New York Times enfatiza que talvez seja interessante um pequeno ajuste prévio antes de competirmos.

Como muito bem disse o blog da Xeroshoes (fabricante de minimalistas e interessada direta no assunto), o crescimento do maximalismo tirou um pouco o chamariz do minimalismo, mas não significa que esse nicho esteja morrendo como se precipitam alguns. Aqui um texto fundamental. Curto, mas didático. Vale a leitura para entender a base do minimalismo!

Saiu para correr e a natureza está chamando? Pois inventaram um aplicativo onde você consegue achar um banheiro cadastrado e pode pagar para resolver seus problemas de ordem fisiológica. É o AirPNP.

Um estudo fantástico que provavelmente não será nem citado (nem lido!) pelo seu Médico, Nutricionista ou Treinador: noruegueses encontraram que a atividade física pode não ter feito algum na redução de nossa pressão arterial. Resumindo: pode ser balela recomendar exercícios para prevenir hipertensão. Já disse aqui: cortar sal também não funciona!

Um costume bem americano é o incentivo ao esporte desde as categorias de base, usam os ídolos locais para criar um espelho, gerar desejo e motivação. Fazem isso como ninguém. A Gatorade há tempos tem o prêmio de atleta escolar de cross country. E mais uma vez levam uma estrela para surpreender a premiada. Vejam o vídeo (por volta do 1´30”) com a fundista Molly Huddle entregando o troféu de surpresa.

Um vídeo lindo. É o mínimo que posso falar. Sou muito rabugento pra conseguir ouvir quem treina meia-boca ficar falando “superação” e “guerreiro” quando tem gente que treina igual gente grande de verdade. “Never make an excuse (…) Stop smiling today & work hard”. Sem mimimi. A cena do 35” até o 40” vi não-sei-quantas-vezes…

Etiquetado

9 pensamentos sobre “Leituras de 2a Feira

  1. Luis Oliveira disse:

    Belo filme, Balu.

    Interessante que o que me veio à mente não foi essa papagaiada de “guerreiro” e “superação” de atleta amador. Acho que essas coisas são relativa e, em alguns casos, a superação é realmente grande no contexto. O que não desculpa a parvoíce nas redes sociais (outra história).

    O que me chama atenção é quão grande e estreito é o funil que esses caras tem que passar para ter qualquer destaque. Incluindo o destaque dúbio de vir parar em um mercado secundário como o Brasil. Onde tem que competir com atletas locais que, sem metade do seu talento, acham que eles estão aqui roubando seus premeios e pódios, que são vistos como direito divino dos nativos.

    Curtir

  2. Vinicius Morais Nunes disse:

    Eu sou umas das pessoas que sofrem com a tal da hipertensão arterial. É pouca coisa, mas eu cuido sempre. O que faz ela subir então? hehehehehehe

    Curtir

  3. phrayres disse:

    Eu acho muito curiosa essa relação verão-exercício. Justamente quando está mais quente todos saem pra rua para adquirir o corpinho de praia. Os outros animais tem a percepção do meio: calor extremo é hora de ficar quieto na sombra. Já o animal humano perdeu essa percepção.

    Aliás, já que a foto ali do artigo é de ciclismo: semana passada começou a temporada, Tour Down Under (Austrália) e Tour de San Luís (Argentina), ambos num calorão. Pobres dos atletas. Pelo menos no ciclismo a velocidade ajuda a dissipar um pouco o calor…

    Um ciclista teve a coragem de twitar que seria bom se os grandes tours tivessem etapas menores (cerca de 140km) como o Tour Down Under. Melhor para os atletas e mais interessante para o público. Curioso como o esporte de elite vem diminuindo distâncias e tempo enquanto os amadores estão numa neurose de superação cada vez maior.

    Curtir

  4. martinhovneto disse:

    Olá! Eu acho que a superação tem muitos aspectos. E mesmo em um treino meia boca você pode encontrar ela sim. Até porque o meia boca pode ser pro cara um esforço gigante. Só podemos saber se “calçarmos os tênis dele”.
    Com relação ao declínio do minimalismo, ou ao futuro declínio do maximalismo, acho que são transições flutuantes do mercado. Acho que é uma demanda muito elástica. Com o tempo eles se acomodam no mercado e vão virar nichos.

    Curtir

  5. Adriana Piza disse:

    Demais o vídeo …aliás, virei fã deste canal após o filme Trascend, que assisti umas 3 vezes… gosto da maneira que ele filma, da trilha sonora…aliás vendo um deles do canal, o “Kenyan Spirit” (que não sei se virou um filme, procurei mas não achei nada) fiquei vendo umas 20 vezes os 5 segundos a partir do 1:09 min…vendo as passadas de gazela dos caras! Demais!

    Curtir

  6. Estevam disse:

    A relação do exercício com as doenças cardiovasculares está cada dia mais parecida com a das bebidas alcoólicas. Fazer pouco é melhor que não fazer, mas fazer em alta intensidade ou por longos períodos está ligada a mais doença. Talvez tenha a ver com a inflamação. E tem o peso da dieta e da genética também.

    Curtir

  7. […] o post de 2ª feira, o Estevam disse: “a relação do exercício com as doenças cardiovasculares está cada dia mais […]

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: