Leituras de 5a Feira

Meio que desisti de falar sobre se deveria haver ou não medalha a todos os participantes. Acho que elas são muito importantes pra quem está começando, mas não deveriam ter um papel tão central como têm hoje. Mas ao mesmo tempo, por outro lado entendo a opinião em tom de desabafo de um corredor old school que não se conforma com essa fixação dos amadores por uma medalha que no dia seguinte vai pro fundo da gaveta. Leia aqui na página 28 da última edição da Level Renner. Eu quero ouvir: o que você acha de medalhas pra todo mundo?

Um infográfico incrível sobre ritmo nas metades do 42km. Se você for de elite e quiser correr uma major é bom você investir em um split negativo. Mas lembre-se, já falei aqui de um texto incrível do Ray Charbonneau sobre splits em amadores de diferentes níveis.

O peso da grande Grete Waitz sobre a Maratona de Nova Iorque mesmo depois de 3 anos de sua morte. *dica do Helio Shiino.

Bruges é uma das cidades mais incríveis da Bélgica. O Correr pelo Mundo deu a dica do vídeo da Brugge Urban Trail, feita dentro da pequenina cidade em um ambiente um tanto quanto diferente. Clique e veja aqui!

A Runner´s World fez uma lista bacana com os 8 melhores vídeos de corrida em esteira disponíveis na internet.

Gosto de andar descalço em casa ou na casa dos meus pais. Gosto também de trotar descalço na grama no fim de um treino de tiro na pista. Por quê? Porque sim. No treino vejo vantagens na musculatura intrínseca do pé. E só. Aqui esse médico dá os seus motivos. Siga por conta e risco!

Uma corrida diferente no Chile! Uma super-esteira comportando até 10 corredores vai receber uma corrida do tipo “quem aguentar por mais tempo leva”. Ela começa a 10km/h (6 ´00”/km) e vai aumentando gradualmente até restar o vencedor. Veja abaixo o vídeo divertido!

Etiquetado , ,

41 pensamentos sobre “Leituras de 5a Feira

  1. Hélio Shiino disse:

    – Uma corrida diferente no Chile! Uma super-esteira comportando até 10 corredores vai receber uma corrida do tipo “quem aguentar por mais tempo leva”. Ela começa a 10km/h (6 ´00”/km) e vai aumentando gradualmente até restar o vencedor. –

    Uma maneira de competir tão divertida quanto foi a Wings for Life World Run – Brazil

    Se houver aqui no Rio, farei.

    Wings for Life World Run 2015 – Race Format Explanation

    Gearing Up for a Global Race – Wings for Life World Run 2015

    Curtir

  2. Hélio Shiino disse:

    – Eu quero ouvir: o que você acha de medalhas pra todo mundo? –

    Foi a forma que a$ Organizadora$ solucionaram a equação de nivelar todos os participantes desde o primeiro a não subir ao pódio até o último. Tal qual é a forma como algumas também fornecem a camiseta de Finisher.
    Enganação? Absolutamente!
    Apenas foi o resultado de Pesquisa de Mercado e Opinião Pública junto aos corredores e simpatizantes.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Não sei se é e foi tão maquiavélico assim… acredito que a coisa foi indo indo…

      Curtir

      • Hélio Shiino disse:

        … e acabou fondo.

        Para a$ organizadora$ não precisam “zerar” o investimento aplicado? Então precisam ter o mínimo de inscritos, cujo inscritos serão atraídos por algo que alimentem os seus imaginários. Se vão correr, competir, andar, fazer uma rodinha, tirar selfies, aí já não são problemas delas pois as inscrições já estão pagas.

        Por outro lado, o do consumidor, quando disse que atraiam algo que alimentem os seus imaginários, basta meio neurônio para concluir que no meio da competição/treinos/etc se formam, a torto e à direito, “clubes”, “ligas da justiça” entre outras “entidades sem fins lucrativos” que tem como “missão” eleger um líder, um herói, seja lá qual for a denominação, aquele(a) que consegue “matar um leão por dia” e, consequentemente, receber o maior número de “condecorações”. Então, o ato de você receber aquele metal reluzente no pescoço ao final de uma “batalha épica” é a cereja do bolo de todo um “Mise en scène”. Ser o tal “líder” é o primeiro passo, se manter como “líder”, exige toda uma dedicação porque se bobear, a concorrência toma os seus seguidores e você despenca no ranking.

        Para uns, é uma forma de lembrança como citou a Adriana Piza. Para outros, semiologicamente (neologismo) falando, traduz o lema: “This is Sparta!”

        Eu só queria saber o que o seleto e pequeno grupo de corredores de elite devem pensar, um pouco antes da largada, ao se virar para trás e olhar para toda aquela diversidade.

        Mas enfim…

        Curtir

      • Vinicius Morais Nunes disse:

        Acho isso bem simples de resolver. Fazer como a Golden Four, ter medalhas por mérito. E uma mais simples para os concluintes.

        Curtir

      • martinhovneto disse:

        Desculpem, mas me canso com esse discurso segregador. Elite é elite. Profissional. Amador é amador. E todos são expostos ao mercado. Toda essa “trama”que o colega corredor viu são leis de mercado que se aplicam a TUDO na vida. NADA do que está no mercado se livra das estratégias de aumento de demanda vinculada a tentativa de aumento de capital, seja monetário ou não. A “elite” que corre na frente tem que olhar para trás e agradecer a contribuição de cada um daqueles que estão correndo porque um dia eles já foram iniciantes ou amadores e porque é esse galera que, de uma forma ou de outra, contribuem para a massificação, surgimento de novas “elites” e a maior exposição do esporte. Com esse pensamento de segregação vamos então acabar com o futebol de varzea! Já pensou o que a elite do futebol pensaria de um troféu para o 3º lugar do bairro Xurupita? Um absurdo!
        Quisera eu que o boxe tivesse um milhão de medalhistas finisher.

        Meritocracia deve existir sempre. Dar ao melhores o reconhecimento devido. Que não é só uma medalha de 1º lugar, não só o prêmio em dinheiro, não só a satisfação pessoal, mas o reconhecimento de cada um medalhista finisher que o utiliza como inspiração. Não acho que nenhum atleta de alto rendimento se sinta igualado ao amador.

        Acho que deveria ser lei ter na camisa da galera a frase: “Respeite, um dia você passou por isso…” tipo auto escola saca?

        Curtir

      • Julio Cesar disse:

        Ôpa ! Não é bem assim não. Quem é atleta de elite já nasce atleta de elite. Não é pangaré igual a nós. Quem nasceu atleta de elite provavelmente nunca ligou pra medalha de conclusão de prova.

        Curtir

      • martinhovneto disse:

        Será Júlio? Tenho minhas dúvidas… todos é muita coisa rsrsrs

        Curtir

      • Hélio Shiino disse:

        Só para ratificar. Não vejo problema algum na atual situação. (risos)

        No post foi citado: “Eu quero ouvir: o que você acha de medalhas pra todo mundo?”

        Então, eu disse o que acho. Falei sim que o atual formato satisfaz tanto de um lado quanto do outro. Então beleza! Passo bem longe de sequer pensar que a situação atual mude. (risos)

        Fazer as colocações metafóricas não necessariamente significa pretensão de que algo tenha que sofrer mudança. (risos)

        As mudanças virão naturalmente por intervenções de ambas as partes conforme a conveniência.

        Cada um se diverte à sua maneira. Na boa.
        Estão se divertindo assim? Dez!!!!!

        Curtir

    • Martinho, poderia citar algum atleta que começou correndo 45 minutos nos 10 km e hoje está na elite correndo 30 minutos ?

      Curtir

      • martinhovneto disse:

        Júlio meu caro, não saberia, não tenho esse banco de dados, mas me daria prazer procurar. Mas o colega poderia tb fazer o esforço contrário, assim teriamos a “divisão do ônus” da premissa para não cair em uma falacia de generalização apressada. (Entenda, nao estou lhe chamando de mentiroso, longe de mim , por favor nao entenda por esse lado, so me refiro ao vicio silogistico da afirmação). Mas de toda sorte, o sentido, a interpretação teleológica que quis dar foi a de que todos começaram um dia, sendo iniciantes. Ninguém nasce elite, acredito eu, elite se forja, aproveitando o pontecial maximo das aptidões adquiridas e inatas. Mas podemos concordar em discordar rsrsrs de boa!

        Helio, reli o que escrevi e a coisa tem um tom mais veemente do que eu pensei na minha cabeça. Respeito muito suas opiniões. Forte abraço.

        Curtir

      • Hélio Shiino disse:

        Martinho, relaxa cara. (risos)

        Mensagens não passam entonação de voz nem muito menos nossos reais sentimentos quando nos expressamos. São de uma frieza siberiana! (risos)

        Esteja certo de que em momento algum fiz qualquer mau juízo de seus comentários tanto quanto sei que você jamais fez dos meus.

        Quanto mais formal e mais extenso tende ser a explicação mais carrancudo e arrogante tende a parecer ser a sua forma de se expressar. Por que será, né? (risos)

        Esse espaço, que eu acho ser altamente democrático e que jamais percebi qualquer interferência ou censura do Administrador, é para discutirmos – no sentido denotativo da palavra – assuntos inerentes a corrida.

        Concordância e discordância faz parte da discussão de qualquer que seja o tema, dentro ou fora do tema: corrida. Imagine o que seria do azul se todos gostassem do verde??? (risos)

        Se você ou qualquer pessoa que vier a discordar ou discorda de minha posição, sem problemas. Não caberá a mim ficar na retórica. Se eu me enganei em algum conceito, é parar e rever e Bola pra frente!

        Tenho o seguinte posicionamento. Se todos concordam, sempre, com a mesma coisa o que a mesma pessoa sempre fala, algo de novo e até mesmo de bom, não surgirá.

        Então, para finalizar, relaxa cara pois você acaba de demonstrar extrema humildade via Internet (risos)

        Outro Forte Abraço!

        Curtir

      • Hélio Shiino disse:

        – Quanto mais formal e mais extenso tende ser a explicação mais carrancudo e arrogante tende a parecer ser a sua forma de se expressar. Por que será, né? (risos) –

        Quando disse: “a sua”, não é a sua, Martinho, é forma de se expressar de uma 3ª pessoa. (risos)

        Curtir

  3. adolfont disse:

    Medalha pra todo mundo é bobagem.

    Curtir

  4. Adriana Piza disse:

    Medalha para todos pode ser bom para quem gosta de ter uma lembrança de cada prova…..mas por outro lado pode ser visto como tratar todos como crianças, todos ganham, todos são vencedores, de forma a incentivar a continuar correndo. Até guardo, mas não faço questão nenhuma! Já atravessei o globo para correr uma prova na Nova Zelândia onde não iria ter medalha.

    “There is something about the ritual of the race -putting on the number, lining up, being timed- that brings out the best in us.” Grete Waitz
    Sempre fui fã da Grete Waitz. Quando descobriu que estava doente, quis ajudar outros na mesma luta, mas sempre de maneira discreta. Criou a AKTIV, mas nunca revelou exatamente que tipo de câncer teve.

    Curtir

  5. Julio Cesar disse:

    Faz bastante tempo que enjoei de medalhas. Hoje em dia ou eu não pego, ou quando colocam no meu pescoço meio na marra eu dou para a primeira criança que eu encontrar na arena. E elas adoram.

    As camisetas (não contei, mas devia ter entre 150 e 200) doei na semana passada, aliás é mais difícil do que parece encontrar um lugar pra doar, especialmente porque são camisetas manga curta ou regata, e geralmente os donativos de roupas são para o frio.

    Com as medalhas que estão em uma gaveta não sei ainda o que fazer. Estou pensando em me desfazer até dos troféus, servem pra acumular poeira.

    Fico constrangido quando vejo na internet corredores que encheram sua sala de estar com medalhas ou troféus, sinceramente acho que não é pra tanto.

    Curtir

    • Você tocou num ponto importante. Poeira! Eles enfeitam as casas e duvido que limpem as medalhas e troféus. Só dá trabalho manter isso em casa.

      Curtir

    • Danilo Balu disse:

      HAHAHAHAHHA tb sinto vergonha alheia de quem enche a sala com as medalhas de participação que foram dadas pra todos… troféu vá lá, ainda assim não tenho coragem!

      Camisetas direto deixo na caixa de doação permanente que tem no Metrô, não chega nem em casa… a maioria é de manga curta, quase nada de regata aqui em SP.

      Curtir

      • Breno disse:

        By the way, Balu, vc que já esteve do lado de lá, por que diabos TODAS as provas atualmente incluem apenas camisetas com manga nos kits? Por onde andam as boas regatas? Menor custo por ter menos tecido, melhor troca de calor para nós corredores…surreal participar de n provas e logo logo ter que comprar camiseta regata pra correr.

        Curtir

      • Danilo Balu disse:

        Por preferência do público. Qdo a Golden Four dava essa opção (creio que foi a única das gdes até hj a dar direito de escolha), as regatas encalharam.

        Curtir

  6. É aquilo que você falou outro dia: tem MUITA gente que quer e as organizadoras não vão contrariar 95% do seu consumidor.
    Particularmente, não vejo valor muito útil na medalha. Geralmente enferruja e fica ocupando espaço desnecessário
    Ainda tenho 8 aqui em casa, que tem um valor sentimental. Mas em breve, talvez o passar do tempo e o enferrujar tirem elas daqui
    Faz muito tempo que não fico com uma medalha de prova
    Já quem começa, gosta dela, vai até por ela e depois monta lugares em casa para colocar
    Sei lá, prefiro ter as recordações vendo fotos ou puxando pela memória. Dá na mesma do que ter uma medalha em casa.

    Até os organizadores poderiam fazer assim: tem a medalha na chegada apenas parar tirar fotos haha

    Tendo que dar medalha para todo mundo, os troféus acabaram sendo banalizados também

    Ainda acho que deveria ter opção na hora de inscrição de com kit, sem kit e com medalha, sem medalha. Não sei se é viável.
    E talvez seja mais fácil fazer o que a maioria quer.

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Guardo TODAS as minhas, mas as que faço questão de ter são as por colocação (estou ficando velho rsrs) e as especiais (PBs, prova inesquecível… essas coisas)… a medalha entrou e agora ninguém vai querer tirar. Lá fora é mto comum cobrarem a mais (menos de 10 euros) pra vc ter a sua. Do contrário, é tapinha nas costas, número de peito e cronometragem.

      Curtir

      • Guardava todas, agora tenho foto de todas, mas só as especiais continuam aqui em casa. As outras doei todas para um amigo que faz corridas de rua, com corridas infantis também. A criançada gosta. E os adultos que correm lá também hehe.

        Curtir

  7. wpfigueiredo disse:

    Acho que as medalhas foram importantes quando comecei a correr. Serviam de motivação naquela época…. Hoje tanto faz… Se servir para os iniciantes se motivarem que continuem…

    Gosto de medalhas de provas importantes, maratonas, PBs etc.. Esse ano eu corri provinhas taliban (essas caça-niquel da O2) que nem quis pegar a medalha ao final….

    Mas pior que medalha são as malditas camisetas de provas.. Isso tinha que acabar..

    Curtir

  8. Andre Berlesi disse:

    Interessante como foi elevado o número de splits negativos em NY.

    Curtir

  9. martinhovneto disse:

    Eu acho que é algo que eu considero bem simples. Tem demanda, tem oferta. O que você faz com as suas medalhas isso é questão de foro íntimo. Não posso negar uma medalha a quem, mesmo fazendo 30 min em 5k, começou a correr a pouco tempo, saiu do sedentarismo, perdeu muito peso, saiu de uma situação de risco de saúde, etc, uma vitória pessoal onde a medalha é um símbolo, e não uma recompensa. Se não fosse isso seria outra coisa, a camisa da prova, o número, o chip… Assim como não posso me doer com um atleta de alta performance que entende que medalha é feita para distinguir os melhores entre os melhores. Ele treina para isso, abdica de sua saúde a longo prazo, sofre, gasta, para, no fim, vê algo que ele considera “sagrado” sendo distribuído a esmo.

    Se você não gosta, não pega, doa. Mas não gostar ou não pegar não lhe coloca em qualquer patamar. É apenas uma opção sua.

    O que eu faço? Não pego quando estou apressado, as vezes pego por estou por ali mesmo, as vezes faço questão de pegar, depende do como foi, do significado etc. Não acho um item essencial. Só acho que acabará (ou acabou) se tornando um costume brasileiro. Depois de moldado vai ser difícil não satisfaze-lo.

    Curtir

  10. Andre Dias disse:

    sobre medalhas..

    Tenho todas que participei. Na verdade, a maioria das medalhas são de outros corredores e corredoras, pois tenho o costume de troca-la na linha de chegada. Trocar a medalha depois da prova pareceu-me uma excelente oportunidade de recebê-la como eu achava que tinha direito e ao mesmo tempo proporcionar ao outro a mesma coisa.

    Às vezes não funciona, mas na maioria dos casos sim. Aqui tem um texto que escrevi a respeito dessa pratica.

    http://papodehomem.com.br/uma-medalha-conquistada-com-suor-e-mais-gostosa

    Sendo assim, quando olho minha coleção, não vejo apenas a minha historia, mas a de varias outras pessoas também. É gratificante.

    Mas tudo bem, se acabarem com as medalhas trocos os números de peito. O que importa é estar lá, correndo.

    Curtir

  11. Nishi disse:

    Medalha, medalha, medalha, já diria o Mutley. Guardo e exibo todas. São bonitinhas (nem todas, mas no conjunto fica bacaninha), uma representação física das recordações da prova. Quando comecei a correr era quase essencial, hoje nem tanto, mas é o dilema que vem quando você gradualmente se torna “veterano”: a primeira é linda, a centésima é mais do mesmo, deixa de ser essencial. Algumas das mais belas e melhores provas que fiz não tinham medalhas. Mas que organizador no Brasil, hoje, poderia abrir mão de dar a medalha de participação? Difícil, difícil. E será que na corrida da esteira gigante tem medalha? Afinal, ali ninguém cruza a linha de chegada. Agora, essa Brugge Trail Run… ainda acho um pouco esquisito esse negócio de fazer trilha artificial na cidade, é como tomar suco Tang, mas como nunca fiz uma, queria experimentar. Lyon tem uma prova boa dessas, tem uns trinta e pouco quilômetros.

    Curtir

  12. Vinicius Morais Nunes disse:

    Eu guardo todas as medalhas que ganho e troféus também. Por um simples fato, recordação que seja para mostrar para meus filhos ou para decorar, mas para eu mesmo lembrar. Já tive esse desapego e hoje vi que fez falta. Lutei por muitos anos Taekwon-Do, ganhei muita coisa, como por exemplo tetra-campeão brasileiro e não guardei recordação nenhuma, o troféu quebrou, joguei fora e foi-se. Acho legal por isso.

    Curtir

  13. Sobre medalhas…

    Eu gosto. Fui lá, participei, dei o meu melhor. Acho que o gesto é incentivador, principalmente para quem está começando e quando quem entrega o faz com gosto. Já vi umas meninas entregando com um mau humor que nem dá vontade de pegar a medalha. Naquele momento da chegada, a medalha é como um abraço de parabéns, conforta. Chegando em casa, gaveta! Estão todas lá. Já pensei milhões de vezes o que fazer com elas, mas nunca cheguei a uma conclusão. Ostentá-las na parede, não vou. Então, ficam lá guardadas até o dia que eu decidir o que fazer com elas, ou não. Algumas têm valor sentimental, outras, valor nenhum. Mas, para ter aquelas que têm esse valor sentimental elas precisam existir. Talvez, a opção de compra seja uma ideia. Compra-se somente aquelas que se têm interesse. Quanto ao restante do kit, como corredor, acho um mimo. Viseiras eu nem compro mais, uso as que vêm nos kits. Algumas camisas eu gosto e uso depois, outras não e essas vão pra doação. Mas, também poderiam ser vendidas, compra quem quer. Difícil vai ser tirar esses regalos de um povo acostumado a ser mimado. Quem fizer, vai ter a percepção de valor do seu evento diminuída. Vai ter que compensar de alguma forma.

    Sobre shorts nos kits, nada ainda né? rs

    Curtir

    • Julio Cesar disse:

      Meias nos kits já tem em provas da Latin. Shorts é uma boa idéia.

      Outro problema são os bonés que vêm nos kits, guardei alguns deles, os melhorzinhos, às vezes vem um Mizuno, Olimpikus. Os genéricos são muito ruins. Como uso boné muito raramente só se estiver um sol de rachar, pra mim eles são praticamente inúteis.

      Aquelas “sacolinhas de treino” também não servem pra nada, pois eu carrego meu material de treino em uma mochila bem grande. Quem consegue carregar material de treino naquelas sacolinhas ?

      Agora faço assim: Como geralmente estou em hotel quando vou competir, pego o kit, chego no hotel jogo o lixo do kit fora (folhetos, etc), fico com as comidinhas (barras de cereais, etc), e o resto (boné, viseira, garrafinha, sacolinha etc ) quando vou embora deixo no quarto do hotel mesmo, alguém vai acabar usando.

      Quando tem meias da Latin Sports no kit fico com elas, são muito boas.. rsrs…

      Curtir

      • Nishi disse:

        As sacolinhas são excelentes para organizar bagagem! Quando vou viajar, coloco as meias e cuecas numa delas, as camisetas (de corrida, que ocupam menos espaço e são descartadas no caso de excesso de bagagem) em outra, os calçados em outra…

        Curtir

  14. – Eu quero ouvir: o que você acha de medalhas pra todo mundo? –

    Eu sou do cara que acha que medalha é merecido para aqueles que estão nas cabeças (os três primeiros), eu sei que pode ser uma visão bem radical e que “as coisas não funcionam bem assim”. Mas em muitos esportes os atleta não ganham medalha apenas pela participação.
    Bom, eu penso isso, pois por muito tempo eu lutei taekwondo, e das poucas medalhas que conquistei aprendi o valor de uma medalha.

    MAAAAAAS, se for algo pra incentivar, guardar de lembrança, tirar uma foto, enfim…. se for algo pra ajudar com as outras pessoas achar “okay”.

    Porém, continuo com a opinião que medalha não deveria ser pra todo mundo.

    Curtir

  15. white disse:

    Medalha é legal pela lembrança da prova. Camisa acho brega, nunca uso

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: