Eu só sei do que não sei

Acho que não é segredo que eu sou um ferrenho defensor das dietas com restrição de carboidrato, seja no esporte amador, seja pra controle ou perda de peso, seja ainda “simplesmente” por uma questão de saúde. Das poucas dezenas de pessoas que orientei, todas perderam muito peso. Muito. Não menos do que 5kg bem rapidamente. Alguns 10kg, outros 20kg e teve quem chegou nos 30kg. O mais legal de tudo: a maioria não precisou nem correr mais, nem fazer academia. Só mudaram a dieta. Afinal, um dia me alongo, esporte não emagrece.

Mas naqueles caprichos da justiça Dele, teve uma pessoa que eu não consegui ajudar. Questão de semanas atrás um grande amigo me chamou pra um café. Dentre todos, ele foi o único que não emagreceu muito. Ficou flutuando nos 2-3kg. Justo ele, dedicado, disciplinado, ex-atleta e muito meu amigo.

É da natureza humana tentar estar no controle de tudo. Quando tentamos prever a temperatura, o câmbio do dólar, ou mesmo terremotos, isso nada mais é do que a manifestação desse nosso impulso de achar que podemos talvez tentar controlar tudo. Dói no âmago do ser humano essa impotência de ser mero espectador, apenas passageiro num trem sem destino. Queremos palpitar qual direção tomar. Achamos que estudando ou analisando dados, podemos encontrar padrão em fenômenos que são aleatórios. Na nossa soberba, confundimos ruído com informação e essa com sabedoria.

laerte5Um amigo em comum nosso tinha 2 cachorros frutos de uma mesma ninhada. Viveram sob mesmo teto com o mesmo dono e com doses individuais de ração. Um era gordo, o outro magro. O meu amigo abandonou o esporte competitivo quando os joelhos já não aguentavam mais levar seu corpo cada vez mais pesado onde a cabeça queria. E anos depois seu irmão magro chegava à seleção em outro esporte.

Você deveria usar a “individualidade biológica” para explicar certas coisas como quem usa óleo de Dendê na cozinha, com moderação. As pessoas querem uma resposta, por mais que não a tenhamos. Mais do que isso! Por mais que não a saibamos!

Conversei muito com esse amigo, várias vezes, por telefone, mensagens, fui em sua casa visitar a cozinha e tenho certeza que ele fez tudo certo, mas pra ele, simplesmente não funciona. A corrida é muito disso. É um enorme desafio racionalizar o que não compreendemos usando do argumento da individualidade biológica. Uma grande amiga teve uma dor totalmente inesperada e ainda assim bateu seu recorde pessoal. Corre bem, mesmo nunca fazendo uso de tiros. Como explicar? “Cada um é cada um?” Não tão rápido! O processo científico pede que você esgote todas as possibilidades, mas a verdade é que sabemos que a mesma receita em pessoas diferentes resulta em bolos diversos.

Deus ri de nossos planos. Mesmo que queiramos palpitar antes.

Deus ri de nossos planos. Mesmo que queiramos palpitar antes.

A minha “filosofia” atual é tentar ficar vendo como nossa arrogância nos tira o foco. O treino é um mundo de variáveis agindo umas sobre as outras e achamos que podemos até enxergar sincronia quando nem conhecemos a totalidade dessas variáveis. Anos atrás, quando eu entrava na pista me programando a passar cada volta em 1’22”, era o que eu fazia a todo custo. Em algum momento lá atrás eu passei a achar equivocadamente que o controle ferrenho daquela hora do meu dia seria crucial no meu desempenho de 30 minutos dali milhares de horas depois. Cada um dá o peso que quer às coisas, mas não deixa de ser ilusão achar que temos tamanho controle de nossa vida ou que tenhamos explicação pra tudo.

Enfim, numa espécie de misto de Complexo de Deus com Síndrome de Super Homem queremos estar com o controle de tudo. O homem tem instintos dos mais primitivos aos quais ele não pode negar tê-los. Mas estando ciente desses, nada mais sereno do que simplesmente aceitar quando não se sabe o porquê das coisas, até o motivo de uma simples dor. O mundo talvez fosse mais interessante se nos vangloriássemos de nosso sucesso apenas com a mesma frequência e intensidade com a qual nos responsabilizamos e nos culpamos pelos nossos fracassos.

Etiquetado , ,

23 pensamentos sobre “Eu só sei do que não sei

  1. Hélio Shiino disse:

    – Eu só sei do que não sei –

    Reescrevendo uma célebre citação do nosso Amigo Sócrates??? (risos)

    – O mundo talvez fosse mais interessante se nos vangloriássemos de nosso sucesso apenas com a mesma frequência e intensidade com a qual nos responsabilizamos e nos culpamos pelos nossos fracassos. –

    O Mundo é interessante! É o contato, desde criança até os dias de hoje, com pessoas que vão nos contaminando e fazendo-nos distorcer o modo como percebemos o mundo ao nosso redor é que nos transformam em arrogantes, propotentes, chatas tais quais elas.

    O que dizer de pessoas que cismam em manter a cortina fechada e ainda reclamam que tem que aumentar a potência da lâmpada da sala porque continua mal iluminada???

    Cabe a nós separarmos o joio do trigo.

    – (…) nos culpamos pelos nossos fracassos. –

    E se ao invés de enxergássemos como fracasso, enxergarmos como uma dentre outras etapas para alcançar o sucesso? Ou seja, uma Lição.

    Curtir

  2. Jose Teodoro disse:

    Balu, o caso do seu amigo , aconteceu comigo, cheguei a fazer 2 meses de low carb, ficando em cerca de 50g de carbo por dia, durante um mês, correndo por volta de 40 km por semana, já estava acostumado a correr de jejum, portanto não senti tanto a falta de carbo nos treinos. Mas o resultado final foi engordar ao contrario de emagrecer.

    O que sei hoje é o seguinte, acho que cada um tem um minimo que deve comer de carbo por dia, estou tentando achar o meu, Hoje, como carbo ( em menos quantidade), gluten sinceramente eu acho que não me faz mal, e treino longo, só com agua, passo tranquilo 2h30 sem gel ou qualquer porcaria.

    Sinceramente, cada corpo é de um jeito, não tem receita magica, tanto no treino quanto a alimentação, você tem que aprender a escutar os sinais de seu corpo e fazer o que é melhor pra ele.

    Curtir

  3. Marcel Pracidelle disse:

    Boa Balu… Gostei desse texto. Eu acredito na eficácia da restrição de carboidratos, não restrinjo porque sou magro e apaixonado por eles. Queria poder correr bem sem os tiros, mas não consigo. E costumo achar também que um treino mal feito hoje vai influenciar a prova alvo em 6 meses… Na verdade uso isso como motivação para fazer o meu melhor a cada treino. Na verdade acho que todos sabemos muito pouco.

    Curtir

  4. Lucas Perrone disse:

    Bom dia Balu. É comprovado cientificamente que a dieta low-carb é superior ao exercício físico para perda de peso. No site do Dr. Souto tem um post de excelente sobre isso. Post este escrito com ajuda do Felipe Piacesi. http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/07/exercicio-e-emagrecimento.html?m=1

    Curtir

  5. Balu, ajuda aí:

    Cada vez mais estou atento à questão da nutrição. Estou lendo o livro “Barriga de trigo”, seu autor defende a eliminação de carboidratos da dieta, especialmente o trigo.
    Concordo que a grande maioria de nós ingere muito mais alimentos do que precisamos, principalmente carboidratos (trigo).
    Mas quando leio o livro percebo um certo fanatismo do autor (que é médico). Ele só fala mal do trigo – ele diz que o trigo atual não é nem de longe parecido com o antigo, e só fala bem de carnes, por exemplo, e recomenda que a ingesta de carne seja livre.
    Mas aí eu penso que as carnes atuais também não são como as de antigamente, são cheias de hormônios e outras coisas, e diz a lenda popular que comer carn de demais dá câncer no intestino.
    No livro ele defende a livre ingesta de gordura, mas se eu falar isso pro meu endocrinologista (que não me parece um cara burro, é bem informado e professor universitário) ele vai fazer uma cara esquisita, e vai dizer que meu colesterol já está no limite e que é pra eu não ingerir gordura.
    É muita informação conflitante, e como diria o Didi Mocó: Eu fico “cafuso”…..

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Rapidamente. … Sim ele é meio fanático, o que não é bom. Não é difícil vc achar que o trigo de hj é MTO diferente de 50, 500, 2000 anos atrás. Comer carne cheia de hormônio de gado criado com ração de milho ou animais picados tb é perigoso, talvez ele não tenha enfatizado adequadamente isso. Carne NÃO dá câncer no aparelho digestivo. Comer mais gordura faz bem, mas NÃO pode ser trans nem os óleos de cozinha, aqueles que vc acha em garrafa no supermercado… tem que ser a animal, manteiga, azeite e a naturalmente dos vegetais. Abrax

      Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Ah! Faltou! Quem mais interfere negativamente no colesterol é o açúcar. Dedique mais atenção ao HDL (fazer subir) que ao LDL (cair). E fique de olho no TG.

      Curtir

  6. Giovana Kaupe disse:

    A velha história de saber assumir o que sabemos e tb o que não sabemos (seja por falta de dedicação, por crenças ou pq a ciência ainda não elucidou). Sobre o Barriga de trigo: é um ótimo livro mas se for o único lido sobre a dieta ele se torna falho. Recomendo Dieta da Mente, dieta dos nossos ancestrais e o blog do dr Souto (tds em português). E viva a low carb!! \o/

    Curtir

  7. Alex Santos disse:

    Olá, Balu gostei do seu texto, adoro assistir o Corrida no Ar, sou professor de corrida e estou aprendendo muito com vocês, obrigado pelos ensinamentos que Deus lhe abençoe. Abraço.

    Curtir

  8. Daniela Barcelos disse:

    Oi Danilo, adorei o texto. Se todo mundo pensasse desta forma haveria mais respeito entre as pessoas. Parabéns e obrigada por compartilhar conosco!

    Curtir

  9. Gustavo disse:

    Esses dias presenciei duas situações muito curiosas. A primeira cena era a sala dos professores de uma escola que eu trabalho. O assunto era nutrição. Daí um colega comentou: “li uma reportagem que diz que a gordura não é grande o vilão da saúde, mas sim o carboidrato”. Concordei com ele e me lembrei de tudo que li nesse blog e em outros espaços como o Corrida no ar. Será que essa noção ainda irá sensocomunizar-se com o tempo?

    A outra situação também foi na escola que eu trabalho. Eu passei por um mural que estava pregado um monte de trabalhos de ciências de alunos do ensino fundamental. Era uma pirâmide nutricional. Fiquei assustado com a quantidade de pães e massas que as crianças desenharam na base nutricional. Só tinha glúten! haha Será que realmente a revisão da pirâmide social sairá?

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Não, acho que já está mto enraizado, tarde demais… foram quase 60 anos advogando que gordura é ruim e carboidrato é bom. Uma geração cresceu, uma sociedade e uma indústria se criaram em torno disso. As crianças HJ recebem a informação da pirâmide nutricional, uma completa farsa. Desfazer isso vai levar MUITO tempo. Qtos médicos, nutricionitas e treinadores vc conhece que são low-carb? Mais: qtos estão na TV “ensinando” milhões? Sou MTO pessimista.

      Curtir

  10. martinhovneto disse:

    Danilo Balu, botei fé nos carbs depois dessa (rsrs):

    “Alguns estudos têm demonstrado que a simples presença de carboidrato na boca humana pode favorecer a ativação de algumas regiões cerebrais específicas com impacto positivo para a melhoria do desempenho físico. Assim, recentemente, a estratégia de enxágue bucal com carboidrato tem sido adotada com sucesso em exercícios físicos intensos (>70%VO2max) com duração de, aproximadamente, 60 min. Nesse sentido, o propósito deste estudo foi discutir, com base nas informações disponíveis na literatura, a eficácia ou não da estratégia de enxágue bucal com carboidrato para a melhoria do desempenho físico, bem como os possíveis mecanismos envolvidos. Os resultados produzidos, embora ainda preliminares, são bastante promissores, o que nos leva a acreditar que o enxágue bucal com carboidrato possa ser uma estratégia bastante interessante, sobretudo, pela fácil aplicabilidade, baixo custo e boa eficácia para a melhoria do desempenho físico em esforços físicos intensos e prolongados.”

    Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-00372011000200012&lang=pt

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Só que só vale como placebo, qdo vc NÃO sabe dessa estratégia…

      Curtir

      • martinhovneto disse:

        Na real eu acho interessantes artigos como esses que falam do preliminar do preliminar do anteprojeto de um estudo. Agora porque eu leio isso? Gosto e analisar os aspectos (ou a falta de) epistemológicos destes textos.

        Curtir

    • Lucas Perrone disse:

      Eu ja acho que valeria mais a pena o uso de gel de carboidrato visto que durante o exercicio o aumento de insulina e quase nula devido ao aumento da permeabilidade muscular aos carbos. E como o vilão da história low carb e a insulina, esta nao estara presente em quantidade significantes em periodos prolongados. Assim, aos não lipoadaptados e, caso julgue necessario, voce terá esse efeito do enxague bucal e a presenca de carbo para o musculo.

      Curtir

      • Danilo Balu disse:

        De novo, o enxague bucal vale como Placebo. .. uma vez que vc “sabe” isso, perde o efeito.

        O gel pode ser usado tb por low-carb em treinos longos/fortes/importante, mas seu uso recorrente em treino perde o sentido porque vc quer justamente fazer seu corpo aprender a queimar gordura durante a corrida.

        Curtir

      • martinhovneto disse:

        Lucas, sem o aval do Danilo, acredito que o que ele se referencia são passagens como essas, que referenciam um possível efeito placebo:

        “Com base nessas informações, acreditamos que um dos mecanismos pelo qual o enxágue bucal com CHO possa melhorar o desempenho físico seja o seguinte: ao enxaguar a boca com uma solução carboidratada, os quimiorreceptores presentes na língua e cavidade oral excitam neurônios de primeira ordem que levam a informação ao rNTS. Este, por sua vez, irá atuar sobre o núcleo ventral posterior medial do tálamo que projeta neurônios para o córtex insular aumentando a sua atividade. Uma vez ativado, o córtex insular pode estimular a excitabilidade do córtex motor, tornando-o mais eficiente para gerar estímulos motores o que faz com que a produção de potência seja aumentada durante o exercício físico, para uma mesma percepção subjetiva de esforço (Figura 1).”

        E o efeito Placebo, via de regra, depende de uma certa credulidade nos seus resultados. Se a estratégia for explicada, fica mais difícil do efeito ser efetivo.

        Curtir

  11. martinhovneto disse:

    Como não sou uma grande autoridade no assunto, deixo outro link a quem possa interessar. Segue o Resumo e o link.

    “Apesar de não haver consenso a respeito dos efeitos do jejum sobre a oxidação de substratos, este tem sido utilizado, associado ou não a dietas de restrição de carboidratos, como estratégia para aumentar a oxidação de lipídeos durante o exercício e promover alterações da composição corporal em indivíduos praticantes de atividades motoras. O objetivo desta revisão é discutir, a partir dos modelos atualmente aceitos, as adaptações metabólicas decorrentes da associação entre jejum e dietas de restrição de carboidratos e seu impacto sobre a oxidação de lipídeos durante o exercício.”

    http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/remef/article/view/1229

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: