De Forrest Gump e do porquê correr

O dia que eu comecei a correr foi porque Joaquim Cruz me inspirou. Ele foi meu maior ídolo no atletismo brasileiro. Mas eu também corri por causa de uma bronquite (que sumiu anos depois), já corri pra perder peso, já corri pra controlar meu peso, já corri pra ser bom e já corri também porque eu vi que era bom. Corri pra ter mais amigos, já corri porque temos que fazer algum esporte, por saúde, por passatempo. Hoje eu corro porque quero. E só por isso. Correr não me faz mais magro, nem melhor, nem mais legal, nem mais nada.

O ser humano tem essa mania de fazer algo com justificativas. Aprendi que não preciso dela pra correr. Tenho minhas desculpas e os meus preconceitos. Pra correr não tenho a primeira; com vários que correm, tenho muito do segundo. E não escondo, tenho meio pavor de quem fica em redes sociais postando que “correr é tudo”, “correr é minha vida”, “Fulano Runner”… corro quase todos os dias e ainda acho um pedaço de bacon ou um Toddynho Light mais prazeroso no meu dia do que minha corrida. Por vezes acho que o tamanho da “paixão” é inversamente proporcional ao volume rodado de muita gente. É isso o que não entendo… Quer provar algo pra quem? Você não precisa ter nem explicar seus motivos pra correr! Talvez tiramos mais do menos, por isso um brownie é tão bom e um Longão só é bom nos minutos finais.

Sabe o Forrest Gump? Qualquer corredor mais experiente que correu na rua já deve ter sido chamado aos gritos disso algum dia. Pois bem, ele com todas as suas limitações explicou melhor do que a maioria o porquê correr. Veja abaixo! E bons treinos!

Naquele dia, sem nenhum motivo, decidi dar uma corridinha. Corri até o fim da estrada, e quando cheguei lá resolvi atravessar a cidade. E quando cheguei lá, resolvi atravessar o condado de Greenbow. E já que tinha ido até lá resolvi atravessar o Estado do Alabama correndo. E foi o que eu fiz. Corri até sair do Alabama. Sem nenhum motivo, e segui em frente. Corri até chegar no oceano. E quando cheguei lá, já que tinha ido tão longe resolvi voltar e continuar. E ao chegar no outro oceano, já que tinha ido tão longe resolvi dar meia volta e continuar correndo. Quando eu ficava cansado, dormia. Quando tinha fome, comia e quando precisava ir… Bom, sabe… eu ia.

Eu pensava muito na mamãe, no Bubba, no Tenente Dan, mas eu pensava muito mais na Jenny. Eu pensava muito nela. Eles não acreditavam que alguém corresse tanto sem motivo.

– Por que está fazendo isso?

– Tive vontade de correr.

Por alguma razão, aquilo fazia sentido para algumas pessoas. (…) eu arrumei companhia. Depois, arrumei mais companhia, depois chegou mais gente ainda. Disseram que eu dava esperança às pessoas. Bom, não entendo nada disso, mas algumas daquelas pessoas me pediam ajuda. Mas, como eu ia dizendo, eu tinha muita companhia. Mamãe sempre dizia que a gente deve por o passado para trás antes de continuar em frente. Acho que foi por isso que corri tanto. Eu corri por 3 anos, 2 meses, 14 dias e 16 horas.

– Eu estou um pouco cansado. Acho que vou para casa agora.

E assim, sem mais nem menos, meus dias de corrida se acabaram. Então, voltei para o Alabama.

IMG_20140830_150259

That day, for no particular reason, I decided to go for a little run. So I ran to the end of the road, and when I got there I thought maybe I’d run to the end of town. And when I got there, I thought maybe I’d just run across Greenbow County. Now, thinking since I’d run this far, maybe I’d just run across the great state of Alabama. And that’s what I did.

I ran clear across Alabama. No particular reason. I just kept on going. I ran clear to the ocean. And when I got there, I figured since I’d gone this far, might as well turn around, just keep on going. And when I got to another ocean, I figured since I’d gone this far, I might as well just turn back and keep right on going. When I got tired, I slept. When I got hungry, I ate. When I had to go… you know… I went. I’d think a lot about Mama and Bubba and Lieutenant Dan. But most of all, I thought about Jenny. I thought about her a lot. They couldn’t believe somebody would do all that running for no reason.

– Why are you doing this?

– I just felt like running.

For some reason, what I was doing seemed to make sense to people. It was like an alarm went off in my head. (…) So I got company. (…) I had a lot of company. Mama always said, “Put the past behind you before you can move on.” And I think that’s what my running was all about. I’m pretty tired. Think I’ll go home now. And just like that, my runnin’ days was over. So I went home to Alabama.

Etiquetado

24 pensamentos sobre “De Forrest Gump e do porquê correr

  1. Hélio Shiino disse:

    – O ser humano tem essa mania de fazer algo com justificativas. –

    Utilizando-se de um velho argumento, a partir de um processo evolutivo do que somos hoje, o homem moderno, quando deixamos de nos guiar pelo instinto e começamos a nos guiar pelo pensar, a maioria de nossos atos começou a ser executados em função de motivos e justificativas. Se iniciasse um retrocesso (seria um retrocesso ou a volta de um modo simples e sem complicação de ser???? Introspecção…) e a parte pensar começasse a dar, novamente, lugar a parte instinto, muito do que fazemos nos dias de hoje, deixaríamos de fazer,

    – E não escondo, tenho meio pavor de quem fica em redes sociais postando que “correr é tudo”, “correr é minha vida”, “Fulano Runner”… –

    Sem me incomodar com isso, acho que é um passo dado daqueles diários que, antigamente, ninguém podia ler, para a sua exibição ao vivo e em cores nos dias atuais. Eu rio com tudo isso. O fulano se torna amigo ou deixa de ser amigo de beltrano com um simples clique do mouse. Fulano é mais amigo do que beltrano por uma contagem de curtidas. Continuo rindo com tudo isso.

    Off-topic:
    Vai acabar o estoque de rivotril…

    Curtir

  2. boa parte do que vc escreveu é verdade Balu… assino embaixo essa história de ‘fulano runner’, ‘minha vida é corrida’ e etc. A verdade é que o selfie e as redes sociais mudaram e muito os motivos pelos quais as pessoas se envolvem no esporte…

    Só achei vago o “corro porque quero”. Se você quer, o faz por algum motivo. Mesmo aqueles que sejam quase inconscientes, ou os dificeis de admitir. Eu também adoraria dizer que corro ‘simplesmente porque quero’. Mas não posso negar que nesse ‘quero’ tem um pouco (ou muito) do desejo de me tornar melhor, de fazer bem para o ego, do prazer de simplesmente anotar na agenda mais volume somados, e etc.

    Curtir

  3. Nishi disse:

    Iniciando a seção “eu corro porque…”. Bom, eu me sinto bem depois de correr. O pós-corrida é puro epicurismo, a rinite passa, o corpo relaxa (mesmo dolorido) e a sensação é de dever cumprido. E comungo da tese de que uma parcela razoável dos corredores são atletas frustrados de outros esportes, baseado em mim mesmo. Corro porque sou egoísta e quero ter a sensação total de esporte, coisa que não acontece quando jogo bola e fico abandonado na lateral-esquerda, sem receber passe porque sou muito ruim.

    Curtir

  4. Concordo e fico meio puto com quem transforma corrida em religião. Principalmente com o monte de dogmas envolvidos. Porra. Eu corro porque quero tomar uma cerveja (ou várias) sem culpa hehehe. Na verdade que mal tem em correr por gostar de correr. Simplesmente.

    Curtir

  5. Tem gente que precisa disso (vídeos e frases motivacionais). Eu acho que não preciso mais. Mas se funciona para alguns, tudo bem. E lembre-se que quase tudo que se posta no Facebook é para si mesmo. Eu penso assim do meu blog também.

    Eu gosto de alguns textos do George Sheehan em que ele diz mais ou menos assim: ok, correr não é nada, é só uma brincadeira, mas qual o problema em levarmos a sério nossa brincadeira? Temos que levar a sério nossa diversão, ele diz.

    Curtir

  6. Comecei a correr porque vi meus primos correndo. Participei de uma corrida de rua e gostei. Parecia simples e fácil. Por desacordo de coordenações em outros esportes, a corrida foi onde me encontrei. Corro mais por teimosia do que por algum talento natural. Atualmente, o objetivo é ser mais rápido do que a versão 2013.
    Nunca precisei correr para emagrecer, mas acabei emagrecendo.
    Hoje o pessoal tá correndo mais para postar nas redes sociais. Novos tempos. Ainda prefiro correr e tentar melhorar meu tempo. Fotos ficam para depois, talvez.

    Curtir

    • Esqueci de comentar.
      Às vezes me irrita, quase sempre incomoda, as pessoas que dizem que correr é tudo e que estão sempre felizes. “amo correr”, “melhor coisa do mundo” “endorfina, uhul”, é muita vontade de aparecer ou falta do que se apaixonar. Não é pra tanto.

      Curtir

      • Danilo Balu disse:

        Hahahaha eu queria sentir isso tb… desgosto da maioria dos meus treinos… vou por no meu isotônico o mesmo que eles devem colocar no deles!

        Curtir

      • Corro a uns 20 anos e nunca senti o tal barato da endorfina. Sinto é muita falta de ar nos tiros, algumas dores no tendão calcâneo, algumas dorzinhas no joelho, e muito tédio nos longões. Só não concordo com a parte do todynho light, é muito ruim. Já um copo de Ovomaltine ou uma cervejinha no final do dia são muito mais gostosos do que a maioria dos treinos.

        Não sei se é pra responder, mas respondo mesmo assim: Hoje corro pra tentar baixar meus tempos, e considerando que estou ficando velho me sinto muito bem chegando na frente de muita gente mais jovem nas provas, assim tenho a ilusão de que vou viver mais do que eles ou coisa do tipo

        Curtir

      • Danilo Balu disse:

        O Toddynho Light é pior (em sabor) que o Toddynho, mas tem só 15g de carboidrato rsrsrsrs
        Tb não sinto toda essa endorfina… só as dores e a falta de ar rsrsrs

        Curtir

  7. 99% da vez que eu “pretendo” sair para correr eu fico enrolando, tentando arrumar uma desculpa para não ir treinar.
    As vezes rezo para começar a chover e ter a desculpa perfeita. Deus não quis 🙂
    No final é muito raro eu não ir.
    Talvez porque sei que me sentirei em falta comigo mesmo se não for, meio que decepcionado comigo.
    Também sei que a sensação pós-corrida é muito boa. Corpo relaxado. Muito problemas pensados e alguns resolvidos durante o isolamento da corrida.
    E dever cumprido, posso comer a vontade.
    Devo ser uma das poucas pessoas que correm uma meia-maratona e no dia seguinte vê que engordou….

    Curtir

  8. Cesar Martins disse:

    Correr por quê? Ótima reflexão! Qualquer outro assunto vira fichinha perto desse. Sempre que procuro respostas para essa pergunta, percebo que todas as outras – sobre alongar, hidratar, comer, desaquecer… – pouco importam. Já encontrei, dentro de mim, todos os tipos de respostas. Numa entrevista para uma rádio, semanas atrás, eu disse de bate-pronto que corria porque parar de correr me fazia mal. Mas essa é a resposta fácil, superficial. Acho que no fundo, correr nos remete a algum instinto meio adormecido nos tempos de hoje. Correr é uma das poucas coisas que nos faz sentir de carne e osso. Deve ser por isso que gosto de correr… eu acho. Enfim… a filosofia Gump deve estar na direção certa. Pois quanto mais racional, mais ingênua é a resposta a essa pergunta.

    Curtido por 1 pessoa

  9. Rodolfo Del Valle disse:

    Correr é diferente de treinar. Pode até rolar esse papo de endorfina, correr é minha vida e blá blá blá quando apenas corre sem se preocupar com pace e tal. Mesmo assim acho totalmente desnecessário ficar descrevendo isso, principalmente em rede social.
    Agora treinar é que complica. “Não há” como adorar os treinos intervalados semana após semana, ou mesmo os longões pra ritmo de prova.
    Agora voltando ao tema inicial, corro para melhorar meus tempos, esse é o grande barato. E sim, eu gosto de competir.

    Curtir

  10. Gustavo Bianch disse:

    Sempre cito o Gump quando alguem me pergunta porque eu corro. As vezes até mostro esse gif pra completar meu raciocínio: http://s3-ec.buzzfed.com/static/2014-04/enhanced/webdr02/3/15/anigif_enhanced-20653-1396555019-11.gif
    hahahaha

    Curtido por 1 pessoa

  11. Sei lá isso é pessoal demais para generalizar. Só se corre por correr? Vejamos. No Japão existem os “monges maratonistas”. Para eles a corrida é parte integrante de um caminho espiritual. Estão errados? Claro que não. (aqui: http://en.wikipedia.org/wiki/Kaih%C5%8Dgy%C5%8D)

    As motivações são tão variadas quanto os seres humanos. Se para alguns é tirar selfie em competição acho meio fútil mas ainda é melhor do que ficar no sofá.

    Curtir

  12. Marcos disse:

    Sei que não vou encontrar motivação em nenhum texto, mas pesquisei no recorrido “voltar a correr” e apareceu este post. Foi legal reler o texto e os cometários.
    Acredito que todos os corredores têm “motivações conscientes” para correr, seja lá quais e quantas forem, saúde, superação, vaidade, disciplina e um monte de coisas (menos amor, é claro… kkkk). Entretanto, observo em uma parte dos corredores, ligações no inconsciente relacionadas ao hábito de correr. Aí são os casos “graves”, que não saberão explicar racionalmente porque fazem o que fazem, mas sabem que vale a pena fazer.
    Enfim, feito o Forest fez, gostaria mesmo era de conseguir executar minha vontade de correr, que é exigente para mim, mas não é inexequível.

    Curtido por 1 pessoa

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: