Leituras de 6a Feira

A iniciativa é questionável, mas já foi utilizada no combate a outros tipos de crimes e contravenções. David Epstein explica a ideia por trás da polêmica decisão de punir de forma branda os dopados em troca de informações sobre produtos, fornecedores e cúmplices.

Jon Gugala fala sobre todo o movimento para correr descalço que involuntariamente o escritor Chris McDougall (Born to Run, “Nascido para Correr”) criou. Como quase tudo, de Minimalismo passando por Low-Carb, o problema são os xiitas.

Aliás, a Vibram vem sendo o bode expiatório nos EUA com a ideia de se processar quem promete o que não pode entregar. Agora ela tenta fazer um acerto financeiro com consumidores insatisfeitos baseado no argumento de que prometeu benefícios inexistentes. Será que só ela? O fisioterapeuta Alexandre Lopes, pra mim o maior nome do assunto no Brasil, certa vez disse algo muito interessante: imagine se assim como com a indústria tabagista, chegar o dia que corredores vão processar fabricantes por elas não conseguirem jamais comprovar o que dizem?

É ótima a iniciativa da Federação Paulista de Atletismo (FPA) de publicar as estatísticas das corridas de rua do estado. Em nenhum outro você tem dados para saber como anda esse esporte. Aliás, as federações em sua maioria cobram o seu pedágio caso você queria organizar um evento, só não dão nenhum retorno do porquê. Quer dinheiro mais fácil do que isso?? Alguns destaques interessantes do relatório:

– ao contrário do que sempre pensei, as provas acontecem de forma mais ou menos regular entre Março e Dezembro;

– não sei a confiabilidade, mas seriam mais de 560.000 concluintes no estado de SP;

– o público é de dois homens para uma mulher, ou seja, elas são 33%;

– como árvores não crescem até o céu, seria (muito) interessante ver os dados podendo tirar os números da capital que já chega perto da saturação.

Dá pra melhorar bem, mas parabéns à FPA! Que as demais parem de apenas taxar e digam ao que vieram!

A organizadora da Maratona de Hamburgo teve uma sacada muito legal para promover a prova: filmou próximo à chegada da corrida os atletas tendo que descer uma escada para pegar o Metrô. Sim, degraus (abaixo) são os maiores adversários de quem se aventura a correr 42km. Veja!

Etiquetado , , ,

13 pensamentos sobre “Leituras de 6a Feira

  1. Hélio Shiino disse:

    – Sim, degraus (abaixo) são os maiores adversários de quem se aventura a correr 42km –

    Se ela teve esta sacada, por que não sacou em filmar também subindo em degraus (ônibus, passarela, calçada etc)??? (risos) Deveria ser mais hilário ainda. Será porque ninguém conseguiu subir e tiveram que ser “içados por um guindaste”??? (risos)

    Depois de uma prova de fundo, sinto que subir degraus (elevar o peso do corpo) dói mais do que descer degraus (escorar o peso do corpo). Fora a iminência de dar cãibras até no cérebro.

    Já ouvi relatos de triatletas que entraram em desespero ao chegar em suas residências, depois de um longo treino, encontrarem o elevador em manutenção…

    Curtir

    • Danilo Balu disse:

      Mas a piada está justamente em descer escadas (um gesto simples até para sedentários) e não em subi-las… =)

      Curtir

    • Luis Oliveira disse:

      O problema é real, mas a solução é MUITO simples. Basta descer as escadas “de ré”, andando para trás. Já testei e funciona, zero dor. Exige uma certa atenção e coordenação, mas nada do outro mundo.

      Curtir

    • Luis Oliveira disse:

      A eventual preocupação com a dignidade (ou falta de) ao descer as escadas de ré deve ser depositada no mesmo lugar em que o atleta faz xixi (ou pior) na calça.

      Curtir

      • Adriana Piza disse:

        No dia seguinte a dificuldade de descer é bem maior do que após a prova….e aí é fácil reconhecer quem correu no dia anterior!

        Aproveitando…o que seria uma prova irregular? Pelo que vi, parece que seria aquela clandestina, que não possui alvará da FPA. O que significa na prática esse alvará? Quais seriam essas provas clandestinas? (35% em 2013!).

        Curtir

      • Danilo Balu disse:

        Irregular eu acho que é a prova que não paga o pedágio, não tem nem tira o “permit” (alvará)… a ideia do relatório é excelente, mas ainda é fechado e não dá pra confiar 100%. Infelizmente,

        Curtir

  2. haha muito boa ideia a do video mesmo!

    Curtir

  3. Marcelo Hideki disse:

    Descer escadas depois de uma prova de 42km é a pior coisa que existe,na primeira vez que completei uma maratona(sem nenhum treino) fiquei 3 dias igual esse pessoal do vídeo,talvez para atletas bem treinados não seja tão dolorido assim.

    Curtir

    • Hélio Shiino disse:

      Marcelo Hideki, sabe o que eu ACHO que possa ser a explicação para o que você observou quanto as dores?
      Há tempos tive esta conclusão. Claro, depois de ler a partir de várias fontes.

      As dores musculares das pernas são sensações consequentes de microlesões das fibras musculares.

      Já reparou que quando ficamos no “estaleiro” para nos recuperarmos de qualquer lesão, e que este tempo seja de longos meses, e depois quando voltamos a treinar, mesmo uns 5km, ficamos com os músculos bem doloridos? E depois, com o tempo de treinamento, e à medida que a distânica treinada aumenta, as dores são menores e o tempo de recuperação também?

      Quanto mais treinamos, mais microlesões seguidas de cicatrizações acontecem nas fibras. Deve ser algo parecido quando nos machucamos externamente. A cicatrização não gera aquele cascão??? Creio que deva ocorrer algo similar, internamente, com as fibras. O montante de cicatriz acumulado faz com que não sintamos dores por longo tempo por haver menos fibras a sofrerem microlesões.

      E da mesma forma como a cicatriz externa (cascão) irá desaparecer com o tempo e a pele vota a ter a textura original, o mesmo deve ocorrer com as cicatrizes internas geradas por longos e intensos treinos, mas que ao ficarmos sem treinar por muito tempo, as fibras musculares se regeneram.

      Ótima observação sua!!!

      Curtir

      • Danilo Balu disse:

        Na verdade a explicação é bem mais simples. O gesto de descer escada tem um forte componente de ação excêntrica do músculo, justamente a que mais dói. Subir escada tem componente concêntrico, dói mto menos. Simples assim.

        Curtir

      • Luis Oliveira disse:

        Já que é pra ser excêntrico, desça as escadas andando de ré que não vai doer. Garantido.

        Curtir

  4. […] Lá foram feitos quase 30.000 eventos ano passado. E aqui no Brasil? Fora do estado de SP tudo é uma anarquia, cada um por si só e Deus olhando por todos. Não há dados, números, histórico, mas há sempre […]

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: