Leituras obrigatórias de 2a Feira

*mesmo numa correria desgraçada, acho que poucas vezes consegui fazer uma lista de leituras tão boa quanto a de hoje. Falo isso sem o receio de soar arrogante porque aqui falo praticamente de textos alheios. Por quê? Já sabem, não há como produzir em alto volume sem ficar escrevendo como se tira selfie em frente ao espelho do elevador da academia. Vaidade, aliás, é o que impede que a maioria de quem está nesse negócio saiba usar a palavra “não sei”, por mais básico que seja o tema, daí falam do que não sabem. Hoje quem escreve sobre corrida em português não entende de Treinamento, de Alto Nível, de Nutrição, de Fisiologia, de regras… daí você se vê obrigado a ler muitas besteiras. Se for ler pra ler, ao menos fique com uns bons. Como os que vão logo abaixo. Esses eu garanto, sabem e entendem do que falam!

O Daily Relay é um site obrigatório para quem gosta de atletismo competitivo porque escrevem matérias sensacionais. Este review de um dos recordes mundiais mais controversos da história é longo, muito longo, mas preciso como uma cronometragem eletrônica. Demais!

O porquê a Maratona de Boston já era havia muito uma prova que desafiava o medo. Belíssimo texto!

Um texto espetacular do relato de como foram os Jogos de 1896 aos olhos de quem não sabia ainda a dimensão daquilo que viria a ser no futuro o maior espetáculo esportivo do planeta.

Vou ser de uma honestidade comprometedora: nas duas últimas maratonas olímpicas eu dormi em frente à TV. Acordei e tinha acabado. Não trocaria o sono que ganhei pelo que aconteceu. Corrida é chato demais de assistir! Não à toa dou os parabéns à Globo que consegue transmitir provas de 21km e 42km na TV aberta! Encontro amigos pra ver os play-offs da NBA e as finais da NFL, mas nada de corrida! Aqui um texto que diz o óbvio: corrida na TV pode ser um porre de se assistir.

O meio-fundista naturalizado americano Lopez Lomong já passou aqui pelo Recorrido outras vezes. Por quê? Porque além de atleta excepcional, sua história de vida é singular. Refugiado do Sudão, virou atleta e teve a honra de ser porta-bandeira naquele que é o país que melhor acolhe os refugiados. Aqui sua história incrível recontada.

Agora com imagens também do domingo, um vídeo com os melhores momentos do New Balance Nationals Indoor 2014, talvez o melhor torneio indoor do mundo feito para a categoria de base!

Etiquetado , ,

8 pensamentos sobre “Leituras obrigatórias de 2a Feira

  1. Eu nunca dormi assistindo maratonas mas sempre fico lendo as notícias e respondendo e-mails durante a prova. Assistir duas horas de maratona é chato mas a fórmula 1 hoje em dia também é chatérrimo e tem um público fiel.

    O horário da transmissão ajuda. Domingo de manhã a número de TVs ligadas é baixíssimo. Corrida ou Fórmula 1 sempre vai ter alguns fãs que vão acordar cedo pra assistir, o que não se pode dizer da programação habitual.

    Curtir

  2. Corrida na tv é chatíssimo. Não tinha visto ao vivo e ontem à tarde dormi vendo o replay do mundial de meia maratona. Até porque na tv não dá pra ter idéia das táticas de cada atleta, não dá pra perceber os fartlecks, e a câmera está filmando na frente, não dá nem pra ter idéia da velocidade dos atletas. Louvo a Globo e seu filhote SporTV por transmitir corrida de fundo na íntegra ao vivo, mas sempre tenho um pouco de pena do narrador.

    Curtir

  3. É verdade, a transmissão poderia ficar bem melhor. Câmeras ao lado do pelotão, e não só na frente, assim daria pra ter uma idéia da velocidade (espantosa) dos caras. Gráficos com a distância percorrida e a distância que falta, o ritmo atual (em min/km, por favor) e a previsão de tempo para a chegada. Ficaria mais interessante. E nem digo narrador, pois os caras precisam narrar desde bosled até curling, mas um comentarista que entenda do assunto, conheça os atletas e saiba o que está falando.

    Curtir

    • Marcelo hideki disse:

      Outras informações que poderiam enriquecer a transmissão seria comparações com o recorde da prova ou com o melhor tempo do atleta destacado e parciais dos primeiros colocados a cada 5km(algumas das chamadas “Majors” tem esse tipo de marcação,não sei se põem no ar durante a prova).

      Curtir

  4. Adriana Piza disse:

    Essa discussão do vento, não conhecia…em parte mostra a que ponto de detalhes a ser controlados pode-se chegar em uma competição….fez um ótimo contraste com o texto do relato dos jogos de 1896!
    Ótimos textos!!!

    Curtir

  5. […] saltos horizontais e discute casos passados. Não posso deixar de voltar a um espetacular texto que citei aqui sobre o recorde mundial feminino dos 100m que teria sido sob vendaval […]

    Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: