Leituras de 6a Feira

A saltadora Fabiana Murer falando à Spikes, a melhor revista digital de atletismo, sobre sua rotina e as expectativas de competir em casa nos Jogos Olímpicos de 2016.

Falo de livros, mas dificilmente de listas de livros. Acho que quem cobre corrida ou esporte no Brasil estaria muito melhor preparado se lesse coisa realmente de qualidade. O Steve Magness fez uma lista ESPETACULAR que com certeza molda o caráter contestador de um bom crítico da área. Dos 9 livros, pelo menos 7 são mais que excelentes. Pode comprar! Vai na fé!

Já falei algumas vezes no Recorrido sobre o Park Run, uma iniciativa britânica que leva provas de 5km semanais e gratuitas em parques públicos. Já há em outros países no mundo, mas não no Brasil. Um amigo postou no Twitter um vídeo antigo que eu desconhecia. Lindo! Veja aqui!

Às vezes penso comigo que ter estudado muito algumas modalidades deixou o meu nível de exigência atlético meio alto pra dizer quando o cara é um fora-de-série à altura de ter a história contada aos 4 cantos. Hoje qualquer esforçado vira herói em redes sociais ou personagem de matérias. Sei lá… devo estar meio velho e rabugento… Jon Mulkeen, esse sim um cara que escreve E entende de corrida, fez uma pequenina série de 8 monstros dos quais muito provavelmente muitos nunca tenham ouvido falar.

577414_351121818269195_261705443877500_937911_323983703_n

Etiquetado ,

5 pensamentos sobre “Leituras de 6a Feira

  1. De fato, os animais, na natureza, não correm desnecessariamente. O Garfield não vive na natureza selvagem, porém têm os genes de seus ancestrais. O Silvio Santos, por exemplo, nunca correu 100 mt na vida e ta aí, trabalhando, com 83 anos de idade. Quantos ex-corredores com 83 anos de idade vocês conhecem ?

    Curtir

  2. Adolfo Neto disse:

    Lista de livros sem Maffetone, não é boa 🙂
    Mas até que ficou razoável.

    Curtir

  3. consrel disse:

    Julio,
    os animais não correm desnecessariamente, mas a necessidade de alguma atividade quase sempre aparece.

    Curtir

    • À rigor, se fosse pra gente seguir os instintos, deveríamos correr sempre que estivéssemos com fome, simulando um homem primitivo que quando com fome precisava perseguir e matar seu almoço. O Balu deve até concordar, já que é um defensor da corrida em jejum.

      Curtir

Duvido você deixar um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: